PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Bactérias intestinais podem estar relacionadas ao Alzheimer, sugere estudo

Getty Images
Imagem: Getty Images

Samantha Cerquetani

Colaboração para o VivaBem

17/11/2020 13h37

O Alzheimer é um tipo de demência bastante comum que afeta a memória, o comportamento e vai evoluindo lentamente até que a pessoa perca a sua independência e não consiga mais cuidar de si mesma. Diversas pesquisas são realizadas em todo o mundo para encontrar um tratamento para a doença ou sinais que mostrem as razões pelas quais o problema aparece em algumas pessoas.

Recentemente, pesquisadores suspeitaram que a microbiota intestinal desempenha um papel importante no desenvolvimento da doença. Um desequilíbrio na microbiota estaria relacionado ao desenvolvimento de placas amiloides no cérebro —que já foram associadas a origem das doenças neurodegenerativas como Alzheimer.

É o que aponta uma pesquisa realizada em conjunto com a Universidade de Genebra, Istituto Centro San Giovannidi Dio Fatebenefratelli, Universidade de Milão (Itália), entre outros.

Os pesquisadores concluíram que algumas proteínas produzidas por bactérias intestinais podem modificar a interação entre o sistema imunológico e o sistema nervoso e desencadear a doença.

"Já mostramos que a composição da microbiota intestinal em pacientes com Alzheimer foi alterada em comparação com pessoas que não sofrem dessa doença. Há uma diversidade microbiana, há o aumento de certas bactérias e a diminuição de outras. Além disso, também descobrimos uma associação entre um fenômeno inflamatório detectado no sangue. Poderia a inflamação no sangue ser um mediador entre a microbiota e o cérebro?", questiona Giovanni Frisoni, diretor da Universidade de Genebra.

Como o estudo foi feito

  • Participaram 89 pessoas com idades que variavam entre 65 e 85 anos de idade. Algumas tinham Alzheimer ou outras doenças neurodegenerativas, já algumas não apresentavam o problema de saúde;
  • Foram usados exames de imagem para avaliar a quantidade de amiloide e usaram marcadores para detectar inflamação e proteínas produzidas por bactérias intestinais, como lipopolissacarídeos e ácidos graxos de cadeia curta;
  • Os pesquisadores concluíram que algumas bactérias da microbiota intestinal estão correlacionados com a quantidade de placas amiloides no cérebro;
  • Os cientistas agora pretendem identificar bactérias específicas que estão envolvidas no desenvolvimento do Alzheimer;
  • Com essa descoberta, acreditam que criarão estratégias para prevenir o Alzheimer precocemente com a administração de um coquetel bacteriano, por exemplo, ou o uso de prebióticos para alimentar as bactérias "boas" do intestino.

Qual é a associação entre bactérias do intestino e cérebro?

Sabe-se que as bactérias intestinais podem influenciar o funcionamento do cérebro e promover a neurodegeneração. Isso porque ajudam na regulação do sistema imunológico e modificam a sua interação com o sistema nervoso.

Uma proteína localizada na membrana de bactérias com propriedades inflamatórias foi encontrada em placas amiloides e ao redor de vasos no cérebro de pessoas com Alzheimer.

E a microbiota intestinal produz metabólitos, que são substâncias com propriedades neuroprotetoras e anti-inflamatórias que afetam a função cerebral.

Saúde