PUBLICIDADE

Topo

Longevidade

Práticas e atitudes para uma vida longa e saudável


Longevidade

Rejuvenescer as mãos? O que pode ser feito para diminuir o efeito do tempo

Se as manchinhas nas mãos te incomodam, alguns tratamentos podem ser eficazes para diminui-las - iStock
Se as manchinhas nas mãos te incomodam, alguns tratamentos podem ser eficazes para diminui-las Imagem: iStock

Samantha Cerquetani

Colaboração para VivaBem

28/08/2020 04h00

À medida que o tempo passa, o corpo vai sofrendo diversas alterações que são visíveis e incomodam bastante. Na pele, por exemplo, além das rugas, surgem manchas marrons, acinzentadas ou mais escuras, principalmente nas mãos. Esses sinais podem acontecer já perto dos 40 anos tanto em homens quanto em mulheres.

Conhecidas popularmente como manchas senis, essas marcas levam o nome científico de melanose solar ou lentigos solares. Elas ocorrem devido ao excesso de produção de melanina, que dá a coloração à pele. E o tamanho varia de milímetros a alguns centímetros, mas geralmente são pequenas, semelhantes a uma lentilha.

Essa pigmentação, muitas vezes, acontece por causa do excesso de exposição ao sol sem proteção. "Essas manchas senis são decorrentes da radiação ultravioleta que a pessoa toma durante toda a vida e vai se acumulando. Pessoas de pele clara são mais propensas a ter esses sinais. Elas aparecem nos dorsos das mãos, antebraços, colo, pescoço e rosto", explica Luiz Gameiro, membro do departamento de Dermatologia Geriátrica da SBD (Sociedade Brasileira de Dermatologia).

Dá para rejuvenescer as mãos?

Além das manchas e rugas, os idosos podem ter as mãos ressecadas e as veias mais visíveis, já que a pele fica naturalmente mais fina. Se a aparência das mãos está incomodando, o ideal é procurar um dermatologista para que ele avalie e identifique quais tratamentos são mais indicados.

"Não há tratamentos caseiros que possam ser feitos para as manchas senis desaparecerem. E eles causam até mesmo intoxicações, alergias ou cicatrizes. Os tratamentos mais eficazes promovem destruição seletiva das camadas de pele comprometidas. E isso deve ser realizado apenas por um dermatologista", destaca Maria Cecilia Rivitti Machado, dermatologista e supervisora da Divisão de Dermatologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HCFMUSP).

Veja detalhes de alguns tratamentos

  • Laser: o procedimento é realizado por meio de um aparelho que emite uma luz que penetra as camadas mais profundas da pele e ajuda a remover as manchas em algumas sessões. Pode também contribuir com a regeneração da pele. Mas é importante evitar tomar sol durante o tratamento para não comprometer o resultado e manter as mãos sempre hidratadas. É um tratamento simples e sem complicações. A quantidade de sessões varia de acordo com o grau das manchas e o tratamento é feito com alguns intervalos de dias ou semanas.
  • Crioterapia: é um tratamento que usa o resfriamento para regenerar a pele. Provoca algumas alterações imunológicas e a destruição dos tecidos. Geralmente é usado nitrogênio líquido. É considerado um método seguro e eficaz contra as manchas senis.
  • Cremes clareadores: eles ajudam a uniformizar a coloração e a textura da pele, mas tendem a ter pouco resultado na diminuição das manchas. Geralmente, são usados cremes com ácido retinoico, mas possuem uma ação limitada em comparação aos outros tratamentos. Há diversos tipos disponíveis no mercado, mas somente um dermatologista consegue definir qual é o mais indicado de acordo com as características da pele do paciente.
  • Peeling químico: nesse procedimento utilizam-se substâncias químicas sob a pele para estimular a renovação e estimular o colágeno. Dessa forma, melhoram-se as manchas e a pele fica mais tonificada. Nesse processo, são destruídas as camadas superficiais da pele. Mas também há peelings que causam uma descamação mais intensa. Durante o tratamento, não é permitido a exposição solar e ele não pode ser realizado se houver alguma ferida no local.
  • Preenchimento: para os dorsos das mãos que perderam o volume ou para disfarçar imperfeições podem ser indicadas algumas técnicas de preenchimentos com ácido hialurônico ou bioestimuladores da produção de colágeno. É um procedimento simples, realizado com anestesia local e são feitos pequenos furos na região para que sejam introduzidas as substâncias. Após o preenchimento, a pessoa volta a realizar suas atividades normais. Para resultados mais satisfatórios, é comum que o preenchimento seja associado ao laser ou peeling para contribuir com o rejuvenescimento das mãos.

Vale destacar que apesar da eficácia desses tratamentos, depois de alguns anos essas manchas podem voltar. Por isso, algumas vezes são necessárias novas sessões depois de algum tempo.

A melhor maneira de retardar o envelhecimento das mãos é não esquecer de aplicar o protetor solar. "As mãos costumam ser esquecidas, mas devem ser protegidas com filtro solar diariamente, que deve ser reaplicado outras vezes durante o dia. E elas também precisam ser hidratadas frequentemente", relata Gameiro.

Investir em hidratações e esfoliantes

mãos hidratante - Thinkstock - Thinkstock
Imagem: Thinkstock

Com a correria do dia a dia, é normal esquecer de hidratar algumas partes do corpo como as mãos. Apesar de estarem bastante expostas a poluição e a produtos como detergente ou sabão, nem sempre elas recebem a atenção que merecem. A hidratação diária costuma ser esquecida.

A hidratação com cremes adequados consegue deixar a pele mais firme e menos suscetível ao envelhecimento precoce. É importante investir em produtos com propriedades emolientes para dar elasticidade. Outra dica importante é realizar uma esfoliação para eliminar as células mortas na superfície da pele.

"As mãos são áreas tão expostas quanto a face e costumam entregar os sinais de envelhecimento sofrido ao longo dos anos. É importante ter a mesma preocupação e cuidados que temos com a face e elas permanecerão saudáveis e com o envelhecimento controlado", explica Paula Silva Ferreira, dermatologista do HC-FMUSP (Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo).

Quando os sinais merecem mais atenção

Existe um outro tipo de lesão benigna que costuma acometer as mãos: as queratoses seborreicas. Elas são elevadas e ásperas e estão relacionadas a uma predisposição genética que associada ao processo de envelhecimento leva a proliferação da camada mais superficial da pele. Às vezes são confundidas com verrugas ou pintas.

Além disso, as mãos podem ter lesões que são as precursoras do câncer de pele, chamado de melanoma. Por isso é importante ficar de olho se a mancha é muito escura ou muda de cor, tem bordas irregulares e é acompanhada de coceira ou descamação. Com a detecção precoce aumentam-se as chances de cura desse tipo de câncer.

"É importante verificar as manchas mais avermelhadas e ásperas ou com feridas que não cicatrizam. Nesses casos, pode ser necessária uma biópsia (retirada do tecido para análise) para checar se não é algo mais sério que precisa de remoção cirúrgica ou tratamento", finaliza Paula Sanchez, geriatra do Hospital Sírio-Libanês (SP).

Revisão técnica: Luiz Gameiro.

Longevidade