PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Coronavírus: tem perigo à saúde receber visitas em casa, como Pugliesi?

Reprodução/Twitter
Imagem: Reprodução/Twitter

Do VivaBem, em São Paulo

26/04/2020 15h19

A influencer fitness Gabriela Pugliesi postou vídeos em sua conta no Instagram na noite deste sábado (25) mostrando que havia recebido visitas em casa, de outras blogueiras, inclusive a ex-BBB Mari Gonzalez e seu namorado Jonas Sulzbach, para uma pequena festa com comes e bebes. As postagens tiveram uma repercussão negativa enorme levando-a a gravar um vídeo em que se dizia arrependida e pedia desculpas.

Mas você pode estar se perguntando: tem perigo para a saúde receber visitas de amigos ou parentes em casa? Primeiro ponto, a quarentena é decretada pelo governo estadual ou federal, mas ela não proíbe que você saia de casa.

No entanto, a recomendação dos governos e também das autoridades de saúde é que as pessoas devem ficar em casa e só sair para trabalhar, caso forneçam algum serviço essencial, ou sob extrema necessidade, como para comprar alimentos, medicamentos ou por motivos de saúde.

Também é permitido andar na rua, na grande maioria das cidades não há toque de recolher, mas recomenda-se no máximo uma volta no quarteirão.

Não é permitido fazer aglomerações públicas e não há consenso sobre a prática de exercícios ao ar livre, desde que haja distanciamento social, embora a recomendação é que sejam feitos em casa. Também deve-se evitar reuniões internas, nas casas de parentes ou amigos.

Do ponto de vista da saúde, vale ressaltar que os casos assintomáticos são vetores importantes na disseminação do novo coronavírus. Então, você pode estar recebendo só um amigo ou alguns casais na sua casa, mas talvez eles estejam contaminados e não sabem, podem passar o vírus para você ou alguém da sua casa, e aí alguém pode ficar gravemente doente.

Como a maioria das pessoas não foi testada para o vírus, não há como saber quem está potencialmente infectado.

Apesar de haver grupos mais suscetíveis à doença, como idosos e doentes crônicos, a doença também tem matado cada vez mais jovens: os genes e a imunidade podem ajudar a explicar.

"Os casos assintomáticos não estão isentos de perigo em meio à pandemia. Parece que eles excretam uma quantidade menor de vírus. No entanto, foi publicado um estudo relatando que vários assintomáticos têm carga viral bastante alta, e que teriam um papel importante na transmissibilidade", explicou Marilda Siqueira, chefe do Laboratório de Vírus Respiratórios e do Sarampo do Instituto Oswaldo Cruz, durante uma das edições do UOL Debate.

Saúde