PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Coronavírus: como doar sangue em segurança durante a pandemia

iStock
Imagem: iStock

Priscila Carvalho

Do VivaBem, em São Paulo*

09/04/2020 14h23

Antes mesmo de a pandemia de coronavírus ocorrer, o Brasil já sofria com a baixa adesão de doadores de sangue. Agora, o cenário é ainda mais preocupante. No mês passado, os postos de coleta de sangue tiveram uma queda de 30% no número de doadores, segundo a Colsan (Associação Beneficente de Coleta de Sangue), com sede em São Paulo, e que gere diversos postos de coleta no estado.

E essa diminuição pode ser explicada pelo medo do doador se contaminar em um ambiente hospitalar, além de restrições caso ele tenha tido contato com pacientes que apresentaram sintomas de covid-19.

De acordo com Silvana Biagini, gerente médica e hemoterapeuta da Fundação Pró-Sangue, de São Paulo, embora a preocupação seja válida, é importante ajudar pacientes que sofrem com outras doenças nesse momento.

"Sem estoque de sangue, os hospitais não têm como continuar. A doação beneficia pessoas com doenças crônicas e até quem sofre com covid-19", ressalta.

Para evitar aglomerações, a partir do dia 13 de abril, o doador terá que marcar um horário para realizar a doação de sangue no site da Fundação Pró-Sangue. "Já estamos tomando todas as medidas para evitar uma contaminação, mas com o agendamento fica ainda mais seguro."

Quem pode doar e quais cuidados deve tomar?

Procurado pela reportagem de VivaBem, o Ministério da Saúde informou que as doações de sangue devem continuar acontecendo neste momento de emergência frente à pandemia de coronavírus, justamente para manter os estoques e a rede abastecida.

Segundo a pasta, os hemocentros estão preparados para receber os doadores de sangue em condições seguras.

Antes da pandemia, para ser um doador, era necessário ter entre 18 e 69 anos, pesar no mínimo 50 quilos e apresentar bom estado de saúde. A Fundação Pró-Sangue lista todos os requisitos para ser um doador e também os impedimentos, além dos locais geridos por ela.

Agora, por conta do coronavírus, algumas medidas estão sendo adotadas antes da coleta. Indivíduos que apresentaram sintomas respiratórios e febre nos últimos 30 dias não podem realizar qualquer tipo de doação.

Além disso, se o doador esteve em contato com algum paciente que teve covid-19 ou apresentou sintomas, não poderá fazer a doação de sangue no período de no mínimo 14 dias.

Vale lembrar que doadores e profissionais de saúde devem seguir medidas de higiene como lavar as mãos e manter distância necessária para diminuir os riscos e uma possível contaminação no local.

Onde e como doar?

Em São Paulo, a Secretaria de Saúde lista todos os locais que recebem doação de sangue, vale checar como está sendo feito o atendimento antes de sair de casa. Atualmente, os locais de coleta têm imposto restrições, principalmente quanto ao número de atendimentos diários.

A Colsan, que faz a gestão de 11 postos no estado, possui uma lista atualizada com contatos e endereços, inclusive com o alerta para locais temporariamente fechados.

O Ministério da Saúde também tem uma lista de hemocentros divididos por região do Brasil.

A Santa Casa de São Paulo explica que para manter um estoque de sangue adequado para os pacientes e evitar aglomerações está priorizando os atendimentos agendados. Em caso de comparecimento para doação sem agendamento, poderá ocorrer distribuição de senhas na entrada para manter espaçamento físico adequado entre os doadores.

O banco de sangue do A.C.Camargo, hospital especializado no tratamento de câncer, informa que precisa de ajuda para manter os estoques. "Diante da evolução da pandemia do novo coronavírus, com as orientações para que a população permaneça em casa, as doações estão diminuindo", alerta. Com isso, a instituição iniciou o atendimento por agendamento, garantindo mais segurança, agilidade e sem aglomerações. O agendamento pode ser feito pelo telefone (11) 2189-5000 - ramais 2233 ou 2126.

O Hospital Samaritano informa que disponibilizou mais salas de espera para evitar aglomerações e também está fazendo agendamento de pequenos grupos de doadores para evitar horários com grandes aglomerações.

Na BP - A Beneficência Portuguesa de São Paulo, serão recebidos 60 doadores por dia. O Hospital do Servidor Público Estadual também está limitando o número de doadores diários, e alerta que pode ser solicitado que o doador espere atendimento do lado de fora.

O Banco de Sangue Paulista, com uma unidade em Santo Amaro e outra na Vila Nova Conceição, informa que está atendendo apenas por agendamento, que deve ser feito exclusivamente através do WhatsApp (11) 99340-4585.

Por que doar?

É muito importante doar nesse atual momento já que os bancos de sangue por quase todo país seguem em sua capacidade mínima. Biagini explica que menos de 2% da população doa sangue no Brasil.

A OMS (Organização Mundial da Saúde) ressalta que, para não haver campanhas de incentivo de doação, esse número deveria ser de 3 a 5%. "No Sudeste, esse número equivale a menos de 1,6%, imagina em outros estados. Não é algo cultural", explica a médica.

*Com informações de Bárbara Paludeti, do VivaBem, em São Paulo

Saúde