PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Menstruação de Manu atrasou; além da gravidez, o que pode causar isso?

BBB 20: Manu conversa com Marcela sobre atraso menstrual - Reprodução/Globo
BBB 20: Manu conversa com Marcela sobre atraso menstrual Imagem: Reprodução/Globo

Danielle Sanches

Do VivaBem, em São Paulo

17/02/2020 14h46

Resumo da notícia

  • A cantora Manu revelou estar preocupada pois sua menstruação está atrasada; na conversa, a hipótese dela estar grávida ficou no ar
  • Mas outras razões podem provocar o atraso menstrual, como estresse e ansiedade, obesidade e Síndrome do Ovário Policístico
  • O recomendado é que, a partir do primeiro mês de atraso, a mulher procure seu médico para descartar uma possível gestação e outras doenças

Participante do BBB 20, Manu relatou estar preocupada porque sua menstruação está atrasada. Ela conversou com Marcela, que perguntou se ela está comendo bem e especulou que o atraso poderia ser em função do estresse.

A menstruação atrasada geralmente é o primeiro sintoma de gravidez no corpo da mulher, mas existem outras causas fisiológicas que podem explicar esse atraso —que é considerado normal quando consiste em poucos dias, mas pode ser mais sério se dura por mais de três meses, quando passa a ser chamado de amenorreia.

O que é a menstruação?

Todo mês a mulher ovula e seu organismo se prepara para receber o espermatozoide e ter um filho. O endométrio, como é chamada a mucosa que recobre o útero, se prepara e fica pronto para essa fecundação. Se isso não acontece, o tecido "morre" e descama. Essa descamação é eliminada em forma de sangue —a chamada menstruação, que pode durar, em média, de três a sete dias. Esse ciclo se repete, em média, a cada 28 dias (mas é aceitável que esse período varie entre 28 e 32 dias).

Por que ela atrasa?

Se a mulher tem certeza de que não pode estar grávida (usou mais de um método contraceptivo, por exemplo, ou então não teve relações sexuais) e já descartou essa hipótese, há alguns motivos que podem explicar o atraso menstrual.

Um deles é o estresse e a ansiedade, que interferem no ciclo hormonal do corpo e podem desregular a menstruação e até mesmo impedir que você ovule naquele mês. Esse, aliás, foi um dos motivos levantados por Marcela, que é ginecologista, quando conversou com Manu —já que a mudança de rotina e a vida confinada na casa podem estar mexendo com o emocional da cantora.

De acordo com Maurício Abrão, ginecologista da BP - A Beneficência Portuguesa de São Paulo, isso acontece porque a produção de alguns hormônios durante situações de estresse —como a adrenalina— podem afetar o ciclo da mulher. "Essa alteração pode aparecer tanto na forma do atraso da menstruação como na antecipação do sangramento", explica.

Há ainda outras causas, como a Síndrome do Ovário Policístico (que geralmente vem acompanhada de outros sintomas, como excesso de oleosidade e acne na pele); e pode ser até um sinal de que a mulher está entrando no climatério, o período que antecede a menopausa (como é chamada a última menstruação). Neste caso, quando acontece antes dos 40 anos, ela é considerada precoce.

De acordo com Abrão, a alimentação dificilmente seria uma causa —embora a obesidade seja um fator que influencia no ciclo hormonal do corpo e pode, portanto, também provocar alterações na ovulação e na menstruação. O recomendado é que a mulher procure o médico já a partir do primeiro mês de atraso para descartar qualquer problema mais sério.

E se for gravidez?

Se, por outro lado, o atraso menstrual coincide com um período em que a mulher manteve relações sexuais sem proteção (ou se ela desconfia que a proteção falhou), o atraso pode mesmo ser um dos sintomas da gestação. Nesse caso, o corpo também pode dar outros sinais:

  • Inchaço e hipersensibilidade nas mamas: por conta das alterações hormonais (as produções de estrógeno e progesterona se elevam), os seios ficam mais inchados e sensíveis, mesmo no comecinho da gravidez. É o corpo se preparando para a amamentação.
  • Enjoo matinal e alteração de apetite: é um sintoma bastante conhecido popularmente, resultado do aumento dos hormônios (dessa vez, o HCG). Sentir cheiros fortes ou até certos tipos de alimentos já podem provocar ânsia.
  • Prisão de ventre e inchaço abdominal: o HCG também altera o funcionamento do intestino e do estômago, deixando-os mais relaxados. Isso faz com que eles trabalhem mais devagar, causando prisão de ventre e deixando a digestão mais lenta.
  • Cansaço e fadiga: "fabricar" um bebê exige bastante do corpo da mulher. Não à toa, é comum que ela se sinta com muito sono e exausta.
  • Cólicas: a implantação do embrião no endométrio pode provocar dores pélvicas e até um leve sangramento (comumente confundido com menstruação).

Para ter certeza, recomenda-se que a mulher procure o médico e faça um teste de gravidez para descartar (ou não) a gestação.

*Com informações de reportagens publicadas em 24/11/2017 e 11/07/2018.

Jairo, usei camisinha, mas minha namorada não menstrua há 14 dias. Por quê?

Saúde