PUBLICIDADE

Topo

Equilíbrio

Cuidar da mente para uma vida mais harmônica


Equilíbrio

Estresse ajuda na produtividade: veja 6 vantagens e como usá-lo a seu favor

iStock
Imagem: iStock

Simone Cunha

Colaboração para o VivaBem

17/12/2019 04h00

Resumo da notícia

  • O estresse é um mecanismo fisiológico natural do organismo e não é necessariamente algo negativo, pois aumenta a eficiência do indivíduo
  • No entanto, quando ocorre por tempo prolongado ou com intensidade, terá efeitos ruins no organismo --o que lhe trouxe fama de vilão
  • Para não adoecer, é importante usar seus recursos positivos, como o aumento de atenção e criatividade e ativação de memória

Apesar da fama de 'vilão' que o coloca na lista de inimigo número 1 da saúde, o estresse também tem o seu valor. A sensação é um mecanismo fisiológico natural do organismo, com componentes físicos, psicológicos e hormonais desencadeado pela necessidade de adaptação a um evento estressor externo ou interno. Portanto, a reação ao estresse é fundamental para a adaptação a situações novas, que demandam energia física e emocional do organismo.

"É como se o organismo saísse temporariamente de seu estado basal para dar conta de algo novo e quando resolvida ou minimizada a questão, retornasse ao seu estado anterior", acrescenta Danielle Irigoyen da Costa, professora adjunta da Escola de Ciências da Saúde e da Escola de Medicina da PUCRS (Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul) e coordenadora do Ambulatório do Núcleo de Estudos e Pesquisa em Trauma e Estresse da mesma instituição.

Frente a algo desafiador, o estresse aumenta a eficiência do indivíduo e pode ser considerado algo positivo Danielle Irigoyen da Costa, professora adjunta da PUCRS

Por que a fama de vilão?

Esse atributo de vilão foi destinado ao estresse, pois normalmente ele está associado a situações ruins, com grande frequência e intensidade. O estresse excessivo, que ultrapassa a capacidade de adaptação ou persiste por muito tempo, tem impacto negativo e deixa o organismo vulnerável a doenças físicas e mentais.

"Por isso, quando o evento estressor acontece é importante saber gerenciá-lo para não deixar esse estresse se transformar em negativo", alerta a psicóloga comportamental Denise Pará Diniz, coordenadora do setor de gerenciamento de estresse e qualidade de vida da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

Saiba reconhecer o estresse positivo

Os sintomas fisiológicos provocados pelo estresse como aumento da frequência cardíaca, pressão arterial alterada, extremidades suadas e frias, mente mais acelerada e respiração rápida e superficial são similares entre o positivo e o negativo. O que altera é a maneira de lidar com esse estresse, pois ele deve impulsionar e não estagnar. "O estresse não vem para adoecer, mas para reequilibrar e restabelecer", confirma Diniz.

Ocorre quando o indivíduo interpreta a situação a ser enfrentada como um desafio e não como uma ameaça, pois percebe que os recursos (internos ou mesmo externos) que possui são suficientes para lidar com a situação.

De acordo com Ana Maria Rossi, doutora em psicologia clínica, presidente da ISMA-BR (International Stress Management Association no Brasil) e co-presidente na Divisão de Saúde Ocupacional da Associação Mundial de Psiquiatria, o estresse positivo proporciona satisfação e prazer, enquanto o negativo gera dor, intimidação e ameaça. E por conta disso, há uma lista de benefícios provocados pelo estresse positivo que listamos com a ajuda dos especialistas.

1. Melhora o desempenho

O estresse pode ser responsável pela melhora das nossas reações diante dos obstáculos, garantindo energia e disposição. "É como uma força extra que o organismo nos oferece para ultrapassarmos uma situação de desafio", diz Costa. Com mais energia, o cérebro funciona melhor provocando mais agilidade mental e física.

2. Garante mais atenção

O estresse também mantém a pessoa mais alerta, perspicaz a estímulos visuais e auditivos. "Essa ativação otimiza o trabalho dos neurônios, aumenta sinapses, garantindo ao indivíduo ter um fluxo de pensamentos mais rápidos, sendo muito positivo para o trabalho e os estudos e para a tomada de decisões", confirma Rossi.

3. Provoca mais empatia

O estresse pode ainda liberar oxitocina, conhecido como hormônio do amor. Isso pode induzir a pessoa a ter mais empatia e cultivar a receptividade. "Eleva a aceitação em momentos que geram aquele frio na barriga como uma reunião com pessoas desconhecidas", exemplifica Rossi.

4. Aumenta a criatividade

Uma situação estressora ajuda a fixar emoções e sentimentos, pois estimula o centro nervoso melhorando a memória e o desempenho. Essa oxigenação cerebral pode ainda contribuir para melhorar a criatividade, pois exige adaptação e acomodação de novas ideias.

5. Ativa a memória

A adrenalina liberada na corrente sanguínea em uma situação estressora faz elevar os batimentos cardíacos para levar mais sangue aos músculos e mais oxigênio para outros órgãos. No cérebro, melhora a capacidade de atenção e, consequentemente, da memória. "As relações entre estresse e sua interferência no funcionamento cerebral, sistema cardiovascular e imunológico já é bastante estudo devido às consequências dessa interferência em nossas funções cognitivas (memória, atenção) e humor", fala Costa.

6. Faz agir mais rápido

A descarga de hormônios liberada pelo estresse é importante para fazer agir e sair de uma situação de risco. Por isso, ele é tão essencial em nossa vida, pois realmente pode nos salvar. E sem ele a vida seria muito monótona e sem motivação. Por isso, é importante lidar com estresse de forma mais amistosa e usá-lo em seu favor. "Procure encará-lo como uma ajuda e tente reconhecer como você está sem culpa. Desacelere", ensina Diniz. Para ela, é essencial avaliar o conjunto comportamental que tem tido para conseguir ajustá-lo. "Observar se não estão amplos e complexos demais e traçar uma nova rota", acrescenta. Essa é uma forma de aproveitar esse alarme para evoluir, sem se deixar adoecer.

Equilíbrio