Topo

Equilíbrio

Cuidar da mente para uma vida mais harmônica


Equilíbrio

Ficar no Facebook melhora saúde mental em adultos, revela estudo

iStock
Imagem: iStock

Do Uol VivaBem, em São Paulo

08/07/2019 18h10

Você é do tipo que ama as redes sociais e principalmente o Facebook? Um novo estudo mostrou que uso dessa mídia pode prevenir doenças como depressão ou ansiedade em adultos. As informações foram publicadas no periódico Journal of Computer-Mediated Communication.

Dessa vez, os cientistas focaram no público adulto em vez de pegar jovens que estão constantemente conectados nas redes.

Como o estudo foi feito

  • Cientistas da Universidade Estadual de Michigan, nos Estados Unidos, analisaram dados de 2015 e 2016 de milhares de adultos que participaram do Painel de Estudo da Dinâmica de Renda.
  • Os voluntários responderam a um questionário sobre o uso das mídias sociais e seus efeitos na saúde mental
  • Além de cada participante, pelo menos um membro da família participou do estudo.
  • A pesquisa levou em conta questões que podem prejudicar a saúde mental do indivíduo como nível socioeconômico mais baixo.
  • Ao analisar os resultados, os cientistas constataram que 63% dos usuários de mídias sociais eram menos propensos a terem problemas relacionados à saúde mental.
  • Um dos autores do estudo sugere que isso ocorre porque a mídia social facilita o contato com os membros da família e o acesso a informações sobre saúde.

Uso diário das redes

Como parte da análise, os cientistas perguntaram aos participantes sobre qual a frequência que eles usavam apps de comunicação e deram uma escala de até cinco pontos: "todos os dias", "algumas vezes por semana", "uma vez por semana", "menos de uma vez por semana "ou nunca."

Também foi levado em consideração questões relacionadas à saúde mental de cada participante. Mais uma vez, eles responderam usando uma escala que variava de "todo o tempo" a "nenhuma das vezes".

Como em uma das partes do estudo os cientistas levaram em consideração os familiares dos voluntários e uso nas redes sociais, os autores perceberam que sofrimento psicológico de uma pessoa pode diminuir, principalmente quando alguém da família também é usuária de uma dessas mídias. Eles usaram o exemplo de conversar com familiares distantes, perguntar sobre o outro e trocar informações via redes sociais.

SIGA O UOL VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook - Instagram - YouTube