Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Carne e massa estão entre os alimentos que pioram a candidíase; veja outros

iStock
Imagem: iStock

Raquel Drehmer

Colaboração para o UOL VivaBem

24/12/2018 04h00

O corpo humano é a casa de diversos tipos de fungos e bactérias que, inclusive, ajudam em diversas funções do organismo. Enquanto tudo está em harmonia, não há problema algum ter esses tipos de "hóspedes". No entanto, quando há um desequilíbrio, doenças podem surgir.

É o caso da candidíase, que tem como principal sintoma uma coceira intensa na região íntima. Ela é uma doença originada a partir da proliferação exagerada do fungo Candida albicans que se manifesta quando há uma combinação de ambiente úmido, ácido e quente (daí a maior incidência no verão) com sistema imunológico fragilizado.

LEIA TAMBÉM: 

A alimentação contribui de forma importante no desenvolvimento deste quadro. Algumas comidas e bebidas ajudam a gerar as condições necessárias para alimentar fungo, fortalecendo sua reprodução, impedindo que a recuperação da doença seja bem sucedida.

Conheça a seguir sete tipos de alimentos que podem piorar a candidíase e devem, portanto, ser retirados da dieta de quem sofre com esta doença.

Carboidratos simples

O Candida albicans precisa de glicose para se nutrir e, no processo de digestão, os carboidratos simples liberam glicose em abundância, além de aumentar a acidez do sangue. Tudo perfeito para a proliferação do fungo e a manutenção da candidíase. Eles são encontrados em farinha branca e seus derivados (como as massas) e arroz branco. O ideal é consumir as versões integrais dos alimentos que levem esses ingredientes.

Carnes processadas

Os aditivos presentes nas carnes processadas, como os nitratos e nitritos, são tóxicos e afetam o sistema imune, tornando o organismo mais suscetível à ação de fungos. Além disso, os processados têm substâncias inflamatórias, como o sódio, e açúcares (como a dextrose), que pioram os quadros de candidíase. Aqui estamos falando de alimentos como mortadela, peito de peru, salsicha, linguiça, bacon e presunto. É preciso suspender o consumo deles enquanto a candidíase não estiver curada.

Açúcares

Eles alteram o pH da flora vaginal, deixando-a mais ácida e, assim, colaborando para a formação do ambiente ideal para a proliferação do Candida albicans. Estão presentes em doces dos mais variados tipos e refrigerantes, que devem ser riscados da dieta enquanto uma crise de candidíase estiver em curso.

Frutas com alto índice glicêmico

Algumas frutas são ricas em açúcares e, quando digeridas, se transformam em glicose no organismo. Os fungos, nesta condição, aproveitam para se reproduzirem com muito mais rapidez. Entre as frutas com alto índice glicêmico estão banana, manga e caqui. Quem está com candidíase deve evitá-las e optar pelo consumo de frutas como maçã, pera, morango e abacate, cujo índice glicêmico é baixo.

Proteínas animais

Carnes e produtos de origem animal, como leites, estão associados ao estresse oxidativo com liberação maior de radicais livres, tornando o organismo mais ácido e mais propício para o descontrole dos fungos. Eles também aumentam o risco de inflamação e enfraquecem o sistema imune. A candidíase encontra aí um ambiente excelente para se manter. Carne de vaca, de porco e de frango, assim como ovos e leite e seus derivados, devem ser suspensos da alimentação durante o tratamento da doença. Apesar de ser uma carne, o peixe está liberado, pois é anti-inflamatório devido à sua alta concentração de ômega-3.

Oleaginosas

Apesar de serem saudáveis e ricas em Ômega-3, as oleaginosas --castanhas, amêndoas, amendoins, por exemplo-- trazem um altíssimo risco de contaminação por fungos, o que as torna complicadas para pessoas com candidíase, ou seja, que já estão com um fungo em plena atividade no organismo. A recomendação é que elas não sejam consumidas até a doença estar curada.

Bebidas alcoólicas

Destiladas ou fermentadas, as bebidas alcoólicas deixam o sangue mais ácido e afetam o sistema imune, o que facilita a proliferação do fungo e prejudica a recuperação do organismo com candidíase. Durante o tratamento, o melhor é optar pelo consumo de água.

O real papel da alimentação na candidíase

É importante destacar que o consumo destes alimentos sem exagero no dia a dia não é uma causa primária de candidíase. Eles apenas podem favorecer o desenvolvimento dos sintomas ou, ainda, retardar a cura quando um quadro da doença se estabelece.

Por isso, em condições normais de saúde, o indicado é evitar extrapolar nas doses. E, quando estiver em tratamento (feito com comprimidos via oral e/ou pomadas de uso tópico), deixá-los de lado para ter uma melhor recuperação.

Fontes consultadas: Alberto Guimarães (ginecologista e obstetra, mestre pela Escola Paulista de Medicina-Unifesp), Amanda Felippe Padoveze (nutricionista e coordenadora do curso de nutrição do Centro Universitário FMU), Camila Prestes (ginecologista e obstetra) e Viviane Bellucci Pires de Almeida (nutricionista e professora do curso de nutrição do Centro Universitário FMU)

Saúde