PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Abaixe o volume da música: perda auditiva precoce tem relação com demência

Quem tem deficiência auditiva sutis processa as mensagens que ouve de maneira diferente - iStock
Quem tem deficiência auditiva sutis processa as mensagens que ouve de maneira diferente Imagem: iStock

Do VivaBem

24/05/2018 12h00

Você escuta música em um volume muito alto no fone de ouvido? De acordo com um novo estudo, isso pode fazer mal não somente ao seu ouvido, mas também ao seu cérebro. Pesquisadores da Ohio State University, nos Estados Unidos, descobriram que jovens com perda auditiva leve exibem mudanças na atividade cerebral que normalmente são vistas apenas na velhice. "O mais preocupante é que essa perda auditiva precoce pode abrir o caminho para a demência", diz Yune Lee, um dos autores.

Lee e seus colegas recrutaram 35 participantes com idade entre 18 e 41 anos que concordaram em fazer exames de ressonância magnética enquanto ouviam frases de complexidades variadas. Ao analisarem os resultados, os pesquisadores perceberam que os voluntários que tinham deficiências auditivas sutis processavam as mensagens que ouviam de maneira diferente de seus colegas. Além disso, a atividade cerebral deles era semelhante à dos ouvintes mais velhos.

Leia mais:

Segundo os cientistas, adultos jovens saudáveis sem problemas auditivos usam apenas o hemisfério esquerdo do cérebro para processar informações ouvidas. Mas os participantes com deficiências auditivas leves mostraram atividade nos hemisférios esquerdo e direito. E o córtex frontal direito tornou-se ativo --algo normalmente visto apenas em pessoas mais velhas.

Os autores do estudo explicam que, normalmente, adultos jovens saudáveis ​​só usam o hemisfério esquerdo do cérebro quando envolvidos em tarefas de compreensão da linguagem. À medida que as pessoas envelhecem e se esforçam mais para processar a linguagem, elas começam a envolver também a parte frontal direita do cérebro.

como o sexo afeta o cérebro - iStock - iStock
A explicação seria porque o indivíduo faz muito esforço para escutar e isso tem um efeito negativo em seu pensamento e memória, podendo levar à demência
Imagem: iStock

Diminua o volume

É difícil dizer como isso pode afetar esses indivíduos, mas Lee e sua equipe se preocupam que os problemas auditivos só possam piorar, afetando a compreensão. Isso pode acelerar o desenvolvimento de condições neurodegenerativas, como a demência.

"Pesquisas anteriores mostram que pessoas com perda auditiva leve têm duas vezes mais chances de ter demência. E aquelas com perda auditiva moderada a severa têm de três a cinco vezes o risco”, diz Lee. A explicação seria porque o indivíduo faz muito esforço para escutar e isso tem um efeito negativo em seu pensamento e memória, podendo levar à demência.

Lee aconselha os jovens adultos a cuidarem de sua audição com mais cuidado. Segundo ele, a exposição a ruídos acima de 85 decibéis (mas abaixo de 120 decibéis) durante um longo período de tempo pode prejudicar a audição. Tais ruídos poderiam ser ouvidos no volume máximo dos fones de ouvido, ao sentar-se perto de alto-falantes em um show ou em um cinema ou trabalhando com ferramentas elétricas. Ruídos extremamente altos, acima de 120 decibéis, podem causar perda auditiva imediata

VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook • Instagram • YouTube

Saúde