PUBLICIDADE

Topo

Eritritol: saiba tudo sobre adoçante natural que tem quase nenhuma caloria

iStock
Imagem: iStock

Bárbara Therrie

Colaboração para o VivaBem

28/04/2021 04h00

Com praticamente nenhuma caloria, ausência de efeitos colaterais e índice glicêmico igual a zero, o eritritol tem ganhado destaque no mercado de adoçantes naturais. A seguir, saiba o que é eritritol, como utilizá-lo e conheça os seus benefícios.

Tire suas dúvidas sobre o eritritol

O que é eritritol?

O eritritol é um adoçante natural, também conhecido como um poliol ou álcool de açúcar. Ele é da família dos carboidratos e considerado um monossacarídeo. O adoçante eritritol consiste numa substância cristalina branca, disponível na forma de pó e também granular.

Do que o eritritol é feito?

O eritritol está naturalmente presente em alguns tipos de plantas e frutas, como melão, pera, uva, e em produtos fermentados, como vinho, saquê e molho de soja.

Embora encontrado na sua forma natural em alimentos, o eritritol também é produzido via processos químicos ou biotecnológicos. A via biotecnológica é considerada a alternativa de produção mais eficiente e compreende inicialmente na etapa da hidrólise enzimática do amido de milho, obtendo-se a glicose. Esta glicose é fermentada por meio de leveduras, purificada e filtrada para remoção de impurezas orgânicas, centrifugada a cristais com alta pureza até a obtenção do produto final.

Para que serve o eritritol?

eritritol - reprodução - reprodução
O eritritol pode ser usado para adoçar sucos e outras bebidas
Imagem: reprodução

O adoçante eritritol é utilizado como substituto do açúcar ou como alternativa ao açúcar. Tem por finalidade adoçar bebidas e alimentos sem acrescentar poucas calorias. Ele também pode ser utilizado em produtos de higiene bucal.

Para quem o eritritol é indicado?

Para qualquer pessoa que deseja reduzir o consumo de açúcar da dieta e seguir uma alimentação saudável. Ele também é indicado para pessoas que desejam perder peso, pois confere pouco valor calórico ao alimento, e para diabéticos, uma vez que não eleva os níveis de açúcar no sangue.

Qual o sabor do eritritol?

Tem sabor doce sem residual amargo e com sensação de refrescância quando dissolvido na boca. O sabor é suave, pois possui cerca de 60 a 70% do dulçor em comparação ao açúcar.

Em quais alimentos e bebidas o eritritol pode ser usado?

O eritritol pode ser aquecido e utilizado em qualquer alimento ou bebida, como bolos, tortas, sucos, café.

Como possui propriedade de cristalização, ele também é muito usado em balas, chocolates, gomas de mascar, conservantes, compotas e geleias, na preparação de pães, confere volume aos sorvetes e intensifica o sabor de produtos cárneos.

Quais as vantagens do eritritol?

Ele é um adoçante natural e não apresenta gosto residual como os outros tipos de adoçantes. Além disso, devido a sua estrutura química, suas moléculas não são quebradas e, por essa razão, ele não é absorvido pelo sistema digestivo. Isso quer dizer que não sofremos nenhum efeito metabólico ao consumi-lo, como elevação da glicemia, que ocorre quando utilizamos o açúcar. O eritritol também não tem efeitos laxativos.

Eritritol é saudável? Qual o limite seguro de consumo?

eritritol - Getty Images/iStockphoto - Getty Images/iStockphoto
Não há limite estipulado para o uso do eritritol
Imagem: Getty Images/iStockphoto

Não há um limite estipulado. O Comitê Conjunto de Especialistas em Aditivos Alimentares da FAO (Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura) estabelece para o eritritol a IDA (ingestão diária aceitável) "não especificada", isto é, a categoria de segurança mais alta possível.

Eritritol ajuda a prevenir cáries?

Sim. Alguns polióis, especialmente o eritritol, têm efeito anticariogênico porque reduzem a formação da placa bacteriana, dada a diminuição das bactérias associadas ao desenvolvimento de cáries, além da neutralização dos ácidos produzidos pela placa, evitando a desmineralização do esmalte dental.

Eritritol aumenta os níveis de açúcar no sangue?

eritritol  - iStock - iStock
Uma das vantagens de usar o eritritol é que ele não eleva o açúcar no sangue
Imagem: iStock

O eritritol não eleva o açúcar no sangue porque não é metabolizado pelo organismo, seu índice glicêmico é igual a zero.

Nos seres humanos, estima-se que cerca de 90% do eritritol seja excretado pelo organismo pela urina sem gerar alterações nos níveis de glicose e insulina no sangue, e que 10% entre no cólon, sendo eliminado pelas fezes, parte sujeita à fermentação pela microbiota.

Eritritol ajuda a emagrecer?

O valor calórico do eritritol é de 0,2 kcal/g, ou seja, ele praticamente não tem calorias. Ele é indicado para quem deseja emagrecer, pois quando adicionado às preparações, confere redução calórica, auxiliando no controle de peso.

No entanto, a reeducação alimentar e do paladar são as melhores estratégias para o processo de emagrecimento, visto que o ganho de peso é um processo multifatorial que precisa ser tratado com mudanças no estilo de vida que englobam: comportamento, alimentação, atividade física, manejo do estresse, higiene do sono, entre outros.

Quais os riscos do eritritol?

Estudos clínicos indicam que a ingestão de eritritol é bem tolerada, não provocando efeitos colaterais gastrointestinais em níveis de consumo de 2 a 4 vezes maiores em comparação a outros polióis. No entanto, pessoas que possuem sensibilidade podem desenvolver um quadro de flatulência e diarreia, uma vez que 10% do eritritol consumido não é absorvido e fica no colón, onde pode ser fermentado.

No nível mais elevado de ingestão de eritritol, na dose de 50 g, verificou-se o aumento de sintomas como gases e náuseas.

Não foram descritas contraindicações no uso desse adoçante.

Eritritol faz mal à saúde?

Com base em estudos, o eritritol se mostrou um adoçante seguro, bem tolerado e não produziu evidência de toxicidade aguda e crônica. Não causa câncer, nem malformação fetal ou qualquer prejuízo sobre a fertilidade. Mas ainda assim deve ser usado com moderação.

Fontes: Elaine Cristina Moreira, nutricionista formada na USP (Universidade de São Paulo), especialista em doenças crônicas pelo Hospital Israelita Albert Einstein e em nutrição materno infantil, realiza consultoria para indústria e é consultora da Linea Alimentos; Lorena Rebeca Santiago do Nascimento, nutricionista formada na UNEB (Universidade do Estado da Bahia), especialista em nutrição clínica e terapia nutricional, trabalha na Clínica Plus Santé, especializada no tratamento do diabetes, e na Clínica da Obesidade, na Bahia; Catharina Paiva, nutricionista do Ambulatório de Nutrição em Diabetes do Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia e colaboradora da ONG Obesidade Brasil.