PUBLICIDADE

Topo

Victor Machado

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Como controlar a alimentação no final de semana?

iStock
Imagem: iStock
Conteúdo exclusivo para assinantes
Victor Machado

Victor Machado é nutricionista, pós-Graduado em nutrição esportiva e em nutrição Comportamental. Atua com foco em comportamento alimentar e é o idealizador da marca Nutrição Sincera, que tem como objetivo passar informações sobre saúde, alimentação e bem-estar por meio do humor.

Colunista do UOL

12/07/2021 04h00

Esse conceito existe desde o momento que foi sugerido que os hábitos alimentares do final de semana são os responsáveis pela ausência de resultados significativos das dietas. Ou que durante o final de semana, mais do que nunca, era o momento em que os praticantes de dietas restritivas deveriam se manter fortes para obter resultados satisfatórios. Mas afinal, o que é esse resultado?

Quando falamos de nutrição, é importante lembrar que tal ciência não existe apenas para promover emagrecimento, abdome definido e músculos tonificados. Nutrição se trata de cuidado com a saúde através da alimentação. Portanto, resumir os "resultados" apenas ao efeito que a alimentação pode fazer na estética do corpo é a mesma coisa de ignorar todos os benefícios que a ciência da nutrição traz para a humanidade.

Portanto, melhorar a saúde intestinal, sono, libido, disposição e imunidade, além de ter um aumento no consumo de frutas e vegetais, são formas de dizer que houve resultado através da educação nutricional. Sabendo disso, fica fácil entender que tratar o final de semana como uma tortura em que você precisa ser "forte" para se alimentar bem em busca de um resultado estético não faz tanto sentido assim.

O que ocorre é que para muitos o final de semana é visto como um período em que deve-se comer tudo como se não houvesse amanhã. Atitude que casa com a ideia da "refeição livre", que se trata de um conceito relativamente mais leve para falar de alimentação mas que, ao mesmo tempo, se torna contraditório quando paramos para refletir que durante a semana você não estava preso.

E se esse fosse o caso, então fazer dieta restritiva evidentemente não é uma prática saudável, pois não faz sentido nenhum se sentir preso ao longo da semana precisando de uma "refeição livre" para atender suas necessidades afetivas e emocionais com a alimentação.

Outro conceito bastante polêmico é o "dia do lixo", também utilizado para fazer referência as refeições do final de semana. Lembre-se que comida não é lixo e nem deve ser tratada como tal. Comida é apenas comida e não se deve gerar dicotomia com os alimentos separando eles entre bons e ruins, pois é isso que aumenta ainda mais a probabilidade de transtornos alimentares ou de uma má relação com a comida.

Sendo assim, tente ver a comida apenas como aqueles alimentos que devem aparecer com mais frequência: frutas, vegetais e alimentos naturais. E aqueles alimentos que podem aparecer com menos frequência: industrializados, doces e frituras, por exemplo.

A dica para o final de semana é que depende muito de como funciona o seu estilo de vida, mas muitas vezes é necessário, sim, que você se permita comer alguma coisa que você gosta, mas que por algum motivo você não comeu durante a semana — seja por motivos de saúde ou como forma de aprender a ter equilíbrio com esses alimentos.

Permitir que a comida exista é totalmente diferente de permissividade, pois a permissão para comer tem a ver com você cessar a guerra com algum alimento que você considere proibido no seu dia dia. Porém, ao permitir você aprende a dizer um "sim" de forma genuína para a comida, sem aquele impulso de comer pelas emoções. Ao aprender a dizer sim, com o tempo dizer não se torna algo natural e não uma imposição que a sociedade e a mídia colocaram na sua cabeça por conta de mitos nutricionais.

Quando falamos da permissividade ao comer, já estamos falando em comer sem pensar muito no que está sendo ingerido e sem muita preocupação com a saúde. Tente entender o significado dos alimentos considerados proibidos na sua vida para que você aprenda a lidar com eles e, caso eles façam sentido para você, saiba que é possível comer de tudo, mas não tudo de forma equilibrada independente de ser no final de semana ou não.

Entenda que comer é uma das únicas atividades que você vai fazer até o fim da sua vida, portanto, não faz sentido nenhum tratar alimentação de forma desgastante como se todo final de semana fosse motivo para se controlar ou ficar se culpando pelas suas escolhas alimentares.

Os finais de semana assim como outros dias devem ser encarados de forma mais leve. Só porque é final de semana não significa que você não possa comer frutas e vegetais para o seu bem-estar. Também não quer dizer que você não possa fazer um café da manhã com pessoas que você ama só porque disseram que pão incha e leite inflama. Não trate seu final de semana como mais um estresse na sua vida, apenas entenda que esses dias fazem parte e que você pode se permitir comer o que gosta e ainda manter a saúde.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL