PUBLICIDADE

Topo

Victor Machado

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Os chás que encontramos em lojas realmente ajudam a emagrecer?

calogero/iStock
Imagem: calogero/iStock
Victor Machado

Victor Machado é nutricionista, pós-Graduado em nutrição esportiva e em nutrição Comportamental. Atua com foco em comportamento alimentar e é o idealizador da marca Nutrição Sincera, que tem como objetivo passar informações sobre saúde, alimentação e bem-estar por meio do humor.

Colunista do UOL

22/02/2021 04h00

Já sabemos que os chás oferecem diversos benefícios para a saúde, fato muito relatado na literatura científica. A bebidas também são muito bem-vindas no processo de mudança de hábitos alimentares, já que ajudam na oferta de antioxidantes e compostos bioativos para o organismo, o que auxilia na prevenção contra doenças.

Entretanto, nos últimos 10 anos houve, e ainda há, um excesso de fórmulas e receitas de chás com promessas milagrosas no processo de emagrecimento e de uma vida saudável. Infelizmente muitos não tiram um tempo para fazer uma pesquisa de poucos minutos em que seria possível descobrir que os ingredientes presentes em chás vendidos como "seca barriga" ou "desincha", dentre outros, são apenas ervas e nada mais que isso.

Tais ingredientes podem ser comprados de forma isolada em feiras ou lojas de produtos naturais, o que possibilita economizar uns bons reais nessa prática.

Em geral, nos "chás emagrecedores", são encontrados ingredientes como hortelã, gengibre, carqueja, erva mate, chá verde, alecrim, cavalinha, hibisco, canela, sálvia, entre outras ervas com benefícios para a digestão, diminuição da retenção de líquidos e mais.

Pelas bebidas conterem propriedades poderosas, as promessas de murchar, afinar e emagrecer acabam se tornando fáceis de aceitar. Para estimular a venda, na maioria das vezes, a propaganda diz que o chá traz todos esses benefícios ao mesmo tempo.

Cada uma dessas ervas citadas tem, sim, diversos benefícios para a saúde — com estudos que comprovam seus feitos. No entanto, as evidências são observadas com os ingredientes isolados e concentrações maiores do que as encontradas nos chás que encontramos em lojas.

Se pararmos para pensar, são muitos princípios ativos competindo dentro de um único sachê para que ocorra de fato algum efeito como o prometido. Sendo assim, mesmo separando todos os ingredientes em quantidades maiores, haveria um risco de intoxicação pelo excesso de substâncias.

A estratégia de comprar as ervas separadas é interessante pelo fator economia, e mesmo que não seja o ideal misturar tudo, uma boa dica é tomar chás diferentes no dia a dia e trocar as combinações com frequência, caso você procure benefícios diferentes.

Para obtermos melhor os efeitos das ervas é interessante misturar até três compostos diferentes na infusão. Isso não é motivo de frustração ou de achar que o emagrecimento não vai acontecer. Emagrecer vai muito além de comprar um chá que faz milagre, mas envolve um conjunto de mudança de hábitos e entender que o processo não acontece da noite para o dia.

Caso os chás da moda sejam a sua escolha, fica complicado dizer qual é exatamente seu benefício para a saúde já que não são declaradas as quantidades de cada erva presente na composição. Provavelmente não vai fazer nenhum mal, mas tenha em mente que não sabemos exatamente quais as vantagens além de ser uma bebida com aroma agradável.

Insira os chás na sua vida como uma forma de autocuidado com você e não por que promovem algum milagre no processo de emagrecimento. Lembre-se que antes do emagrecimento vem a aceitação de ser quem você é e a preocupação com a saúde. Se emagrecer for o objetivo, isso virá como consequência.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL