PUBLICIDADE

Topo

Victor Machado

Qual a melhor dieta para emagrecer até o final do ano?

Dieta plant-based 4 - iStock
Dieta plant-based 4 Imagem: iStock
Victor Machado

Victor Machado é nutricionista, pós-Graduado em nutrição esportiva e em nutrição Comportamental. Atua com foco em comportamento alimentar e é o idealizador da marca Nutrição Sincera, que tem como objetivo passar informações sobre saúde, alimentação e bem-estar por meio do humor.

Colunista do UOL

14/12/2020 04h00

Com as festividades e as confraternizações chegando, muitas pessoas ficam desesperadas para perder peso na busca de um "corpo ideal" para as férias — ainda que este seja um ano pandêmico. Em alguns casos, a meta de emagrecimento foi estipulada para o início de 2020, mas ficou pelo caminho em função da pandemia. Ainda assim, dentro desse grupo existem aqueles que estão correndo contra o tempo na busca frenética pela perda de peso.

Precisamos lembrar que não existe necessariamente um corpo ideal, e para curtir as férias ou qualquer outro momento da vida, você só precisa ter o seu corpo. É importante sempre valorizar tudo o que ele é capaz de fazer e o fato de ser um dos responsáveis por você chegar aonde chegou. Portanto, desapegue da ideia de ter que se encaixar em algum padrão para se sentir bem com você e viver momentos felizes.

A verdade é que não existe nenhuma dieta melhor ou mais indicada para que esse emagrecimento aconteça até o final do ano. Protocolos dietéticos com nomes específicos (jejum, low-carb, dieta cetogênica, Atkins, Dukan...) costumam não dar certo e, mesmo que os resultados apareçam momentaneamente, normalmente as pessoas tendem a reganhar o peso perdido, muitas vezes por não terem mais forças de seguir em frente com tamanhas restrições. Cada um desses métodos tem suas individualidades e fica para outro momento falar sobre como cada um funciona. O ponto principal é: o desespero das pessoas pelo emagrecimento e a busca por alguma corrente que dê resultados imediatos muitas vezes desconsidera que a solução para a mudança de hábitos alimentares está dentro de cada um e não de uma dieta específica.

Fisiologicamente falando, emagrecimento se trata de perda de gordura e não apenas perda de peso. E dificilmente o corpo consegue perder, de fato, mais de 3kg de gordura em apenas três semanas. Por isso, mesmo que uma pessoa consiga perder mais que 5kg em um protocolo muito restrito, é comum que boa parte desse peso seja água e muitas vezes até massa muscular.

Se você está em busca de emagrecimento, seja pela sua saúde ou para se sentir melhor com você, o primeiro passo é aprender a estar bem com você neste momento. Depois disso, é importante entender que emagrecer na base do desespero não é o melhor caminho. Isso não quer dizer que tudo está perdido e a mudança de hábitos alimentares só vai começar no ano que vem. Mas uma proposta é começar a ter uma relação melhor com a comida, tentar aprender a comer com mais calma, mastigar o alimento mais vezes e talvez até preparar mais a própria refeição. Aumentar o contato e a conexão com a comida é um caminho para ter mais calma diante dela, de tal forma que você esteja mais presente no momento das escolhas alimentares e no ato de comer em si.

Eis aí um pontapé inicial para qualquer objetivo que você tenha relacionado à sua saúde, seja emagrecimento ou apenas a mudança de hábitos alimentares. Lembre-se: eles devem acontecer de forma duradoura e sustentável. Antes de tudo, aprenda a ter mais paciência e a se envolver mais com o processo de emagrecimento. Sem desespero e sem neuras, mas estando em paz com a comida.