PUBLICIDADE

Topo

Ageless

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

'Aos 45, não tenho mais medo de não me enquadrar', diz Suzana Pires

Edu Rodrigues/Divulgação
Imagem: Edu Rodrigues/Divulgação
Conteúdo exclusivo para assinantes
Silvia Ruiz

Silvia Ruiz é jornalista e trabalha com comunicação digital e PR. Durante mais de 15 anos atuou na cobertura de saúde, bem-estar e estilo de vida. É apaixonada por alimentação natural, meditação e práticas holísticas. Mãe do Tom, do Gabriel e da Myra, tem bem mais de 40 anos e está tentando aprender a viver bem na própria pele em qualquer idade.

Colunista do UOL

06/05/2022 04h00

Suzana Pires escreve colunas, novelas, programas de TV, atua, dá palestras, faz cinema, criou e comanda um instituto voltado para ajudar mulheres a encontrarem sua força, o Dona de Si, que também batiza seu primeiro livro recém-lançado. Aos 45, ela não poderia estar mais no topo do seu jogo.

Mas, vendo essa mulher poderosa e que faz tanta coisa acontecer, é difícil a gente imaginar que tudo isso veio acompanhado de um baque na vida pessoal há pouco mais de cinco anos. "Eu tive um apagão, um desmaio mesmo, no camarim. Foi ali que eu me dei conta de que minhas emoções estavam em frangalhos, que eu estava passando por um sério transtorno de ansiedade generalizada", diz a atriz.

Passar por essa crise fez Suzana ter que rever e mudar toda a sua vida. "Os dois primeiros anos foram de tratamento médico com psiquiatra, terapia. Depois desmame da medicação, e sigo da terapia. Aprendi a reconhecer gatilhos, a me proteger."

Suzana Pires 2 - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

De todo esse processo pessoal ela tirou os pilares que se tornaram a espinha dorsal do Instituto Dona de Si, por onde já passaram mais de mil mulheres, principalmente de classe C e D, para aprender o que Suzana chama de construção da mulher empreendedora de si mesma. "Eu entendi que as mulheres sofrem com opressão, solidão e sobrecarga. Ajudar outras mulheres a encontrar sua jornada foi um processo de cura para mim também. Quando eu criei o instituto estava ao mesmo tempo no meu pior e no melhor momento."

Com a pandemia, Suzana resolveu reunir em um livro suas próprias histórias profissionais entrelaçadas ao método que ajudou a conceber para mulheres que buscam se encontrar também, em qualquer fase da vida. "Não existe idade para a gente recomeçar, se reinventar se for preciso", diz ela. De volta à atuação, em breve ela estará vivendo uma vilã na nova série infantojuvenil "A Magia de Aruna", do Disney+ e marca sua estreia no serviço de streaming depois de deixar a Globo.

Aprendendo a dizer não

"Eu estou vendo meu amadurecimento chegar com coragem. Eu não tenho mais medo de não me enquadrar. A idade não me limita, o tempo não me limita. Hoje consigo dizer não para trabalhos, ambientes ou dinâmicas que sei que não vão me fazer bem. Sei falar isso claramente, me colocar e me fazer ser ouvida. Essa é uma libertação que veio com a maturidade."

Fumante envergonhada

"Essa é a primeira vez que falo isso publicamente. Eu sempre escondi que fumo na mídia, porque é algo que eu realmente não gosto. Me sinto mal de ter esse vício. Eu quero parar, mas o cigarro fez parte do meu processo de cura da ansiedade e depressão, não daria para parar de fumar naquele momento. Agora que estou saindo dele, eu vou querer parar."

Mais de 1000 "filhas"

Suzana não teve filhos, mas gosta de dizer que as mulheres que passaram por seu programa do Instituto Dona de Si são suas filhas. "Eu nunca mais me senti sozinha. É incrível como a comunicação com essas mulheres passa por esse lugar do suporte. Quase ninguém me para pedir selfie, mas para pedir abraço. Isso me salvou. Eu digo que o Instituto foi a minha cura."

Hormônios em alta

Os sintomas da perimenopausa ainda não bateram à porta de Suzana. "Acabei de fazer um checkup, eu ainda não tenho que me preocupar com isso, inclusive tenho testosterona bem alta também. Mas vejo todas as minhas amigas já passando por isso e sempre digo: amo tudo o que é modernidade na ciência e na medicina e com certeza vou fazer reposição hormonal quando chegar a hora. O que eu sinto com o envelhecimento é um cansaço. Claro, a gente vê na pele também. Mas hoje eu preciso sempre pensar em descansar depois de dias intensos, eu preciso achar essa medida."

Alimentação saudável e malhação de leve

Engana-se quem pensa que Suzana é uma superfrequentadora de academia. Na verdade ela pega bem leve com atividade física, apenas na medida para a saúde. "Eu sigo uma alimentação saudável, com pouco carboidrato e receitas com mais vegetais e proteínas. Faço meia hora de exercícios, três vezes por semana, em casa mesmo, com acompanhamento de uma personal online. Uso elásticos, caneleira. Meu objetivo principal é não ter dores nas costas."