PUBLICIDADE

Topo

Beleza

Como o frio afeta a pele? Qual é o melhor hidratante? Especialista responde

Clima frio provoca irritações, rachaduras e ressecamento da pele - Getty Images
Clima frio provoca irritações, rachaduras e ressecamento da pele Imagem: Getty Images

Júlia Flores

De Universa

18/05/2022 16h44

Nesta quarta-feira (18), uma frente fria chegou ao Brasil e fez cair as temperaturas de boa parte do país. Muitas pessoas começam a sentir os efeitos dessa mudança do clima na pele: irritações, rachaduras e ressecamento são os sintomas mais comuns.

De acordo com os especialistas, a pele resseca pelo fato de as células da cútis se encolherem com as baixas temperaturas, afetando a filagrina, proteína que desempenha papel fundamental na hidratação.

A seguir, respondemos às principais dúvidas sobre o assunto.

Por que é importante cuidar da pele no inverno?

A médica dermatologista Joana D'Arc Diniz, diretora científica da Sociedade Brasileira de Medicina Estética, explica que o tempo frio deixa a epiderme desidratada, o que tem como consequência maior irritação e sensibilidade.

Segundo a médica, a hidratação é fundamental para manter a barreira cutânea, ou seja, o manto hidrolipídico da pele saudável. "Esse cuidado afasta o ressecamento e as rachaduras cutâneas", esclarece.

Por isso, ela indica o uso diário de cremes hidratantes nutritivos e manteigas corporais após o banho ou a limpeza do rosto. A médica também reforça a importância de beber água (pelo menos dois litros por dia) e de passar protetor solar, além de tomar cuidado com a temperatura da água na hora do banho.

O corpo em contato com a água muito quente perde oleosidade, levando ao ressecamento da pele. Tenha preferência por banho morno, com sabonete neutro. Joana D'Arc Diniz, médica dermatologista

Por que temos rachaduras no frio? Como tratar?

Quando a temperatura cai, a pele fina e delicada perde queratina, proteína que funciona como uma barreira protetora aos efeitos externos do clima. Sua falta ocasiona rachaduras, fissuras e até sangramento. "O tempo frio causa queimaduras devido à desidratação, já que ocorre queda da produção natural das glândulas que mantêm a lubrificação da pele", esclarece Joana.

A médica orienta que, para casos de rachadura, hidrate-se a pele com fórmulas ricas em vitaminas, antioxidantes e outros componentes químicos: "Opte por cremes com substâncias que vão estimular o processo de cicatrização, como aveia coloidal, vitamina E, pró-vitamina B5, glicerina, manteigas de karité e óleos como o de girassol e o de macadâmia". Produtos com zinco, cobre, manganês e magnésio também são recomendados.

A dermatologista orienta ainda a hidratação de áreas do corpo com poucas glândulas sebáceas, como os joelhos e os pés. Se o ressecamento persistir — quando se observa uma pele com tom esbranquiçado e sensível —, o próximo passo é marcar uma consulta com um médico: "Somente o dermatologista pode fazer o diagnóstico certo e indicar produtos com concentrações maiores de hidratantes nas formulações".

Posso fazer tratamentos com ácidos no frio?

De acordo com Joana, nesta temporada, os ácidos e peelings são bastante aconselhados e favorecem significativamente o tratamento de manchas e rugas porque há uma menor exposição ao sol.

Os principais procedimentos faciais para combater e amenizar estas manchas e rugas são os peelings, que podem ser superficiais, médios ou profundos:

Peelings Químicos (ácido retinóico, glicólico, salicílico, ácido tricloroacético ou de fenol)

Peelings Mecânicos (dermoabrasão, peeling de cristal ou diamante)

Peelings Físicos (laser ablativo, CO2 fracionado ou Luz Intensa Pulsada)

"Também são indicados produtos tópicos que auxiliam no clareamento, com fórmulas de cremes à base de vitamina C, E e A e ácidos (retinóico e glicólico) que estimulam a produção de colágeno, além de clareadores, como hidroquinona, ácido kójico e furfuriladenina. Estes podem ser usados em casa à noite, pois é fundamental não se expor ao sol com o produto. Pela manhã, deve-se lavar bem a face e aplicar o bloqueador solar", indica a médica.

A dermatologista separa os tratamentos por tipo de pele:

Pele seca - Exige uma intensa hidratação, preferencialmente com ativos à base de ureia. No entanto, é bom observar a zona T (testa, nariz e queixo), que costuma ser mais oleosa. Nesta área, não abuse na aplicação do hidratante. Recomenda-se a esfoliação quinzenal ou mensal (de acordo com o grau da pele seca) para remover as células mortas e evitar poros dilatados.

Pele Oleosa ou Mista - Para as peles oleosas, com predisposição a acne e cravo, o ácido salicílico é o mais indicado no tratamento. Além de tratar manchas superficiais e poros dilatados, tem ação antimicrobiana.

Caso a pele seja muito oleosa, adote uma esfoliação semanal. A limpeza diária deve ser feita com água fria e sabonetes específicos para pele oleosa (com ação adstringente ou desengordurante). Depois da limpeza, recomenda-se aplicar água micelar e hidratante gel, que é menos gorduroso.

A Luz Intensa Pulsada também melhora o aspecto de manchas e cicatrizes causadas por espinhas, poros dilatados e controla o excesso de oleosidade.

Pele normal - Adote produtos à base de vitamina A e E, que são os ativos mais recomendados para esse tipo de pele.

Beleza