PUBLICIDADE

Topo

Papo de vagina

Existe um lado bom na TPM? Mulheres dizem o que veem de positivo no período

Mulheres relatam como aprenderam a tirar proveito da fase que antecede a menstruação - iStock
Mulheres relatam como aprenderam a tirar proveito da fase que antecede a menstruação Imagem: iStock

Ana Bardella

De Universa

11/11/2021 04h00

Uma fase terrível em que tudo é motivo de irritação ou choro? Para uma parcela das mulheres, os dias que antecedem a menstruação não são assim tão complicados. Ainda que passem pelas oscilações hormonais naturais do período — e não estejam completamente livres dos incômodos — elas conseguem tirar o melhor proveito possível destes dias.

Mariana Rosário, ginecologista e obstetra, explica que a má fama do período pré-menstrual se deve, principalmente, à progesterona — que é também o principal hormônio da gravidez. "Ele normalmente causa aumento da oleosidade da pele, retenção de líquido, deixa as mamas mais inchadas, os mamilos sensíveis e gera oscilação no humor", lista.

A médica diz que, entre as suas pacientes, existem aquelas que se programam para não permitir que a fase atrapalhe em diferentes áreas da vida. "Por exemplo, no trabalho, algumas estimam os dias em que estarão de TPM e não agendam reuniões importantes, nem tomam decisões que possam comprometer o futuro de um projeto", cita.

Seguindo essa mesma lógica, as entrevistadas a seguir contam como aprenderam a mapear seus sintomas, respeitar os limites do corpo e aproveitar melhor os dias que antecedem a menstruação:

"Percebo que fico mais concentrada e produtiva"

Juliana se sente mais focada para realizar projetos - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Juliana se sente mais focada para realizar projetos
Imagem: Arquivo pessoal

"Normalmente começo a ter os sintomas da TPM dez dias antes de menstruar — e ao longo do tempo eles vão se intensificando, até chegarem ao ápice no dia anterior à menstruação. É uma fase em que fico introspectiva e impaciente. Prefiro ficar na minha, ao contrário do período fértil, no qual tenho o desejo de sair e de me expressar. Como já sei disso, aproveito para ficar em casa, me cuidar e levar projetos adiante.

Entendo como um conjunto de dias nos quais estou mais voltada para o mundo interior do que o exterior. Com isso, meu poder de concentração aumenta e as tarefas que precisam ser feitas fluem de uma forma mais leve.

Notei esse padrão há mais ou menos dois anos, quando comecei a monitorar minhas emoções durante as diferentes fases do ciclo menstrual. Hoje em dia tento ver a TPM e as demais fases como aliadas, não como inimigas". Juliana Catini, 22 anos, estudante, de São Paulo

"Faço reflexões importantes e consigo expressar meus sentimentos"

"Não posso dizer que gosto da TPM, mas reconheço a importância dela. Normalmente é um período em que fico mais sensível e melancólica, com os seios doendo e com retenção de líquido.

Porém, vejo esses dias como uma oportunidade de olhar para minhas emoções de uma forma que eu não faria em outras fases. Não que isso seja 100% confortável, mas é um processo necessário e importante.

Vejo como um bom momento para me recolher e investir em atividades criativas e de escrita. Como todas experiências não agradáveis da vida, sinto que aprendi a conviver com ela". Paula Dias, 37 anos, psicoterapeuta, de São Paulo

"Durante a TPM, adoro ir à academia e faxinar o apartamento"

Débora sente mais energia durante o período - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Débora sente mais energia durante o período
Imagem: Arquivo pessoal

"Meus sintomas de TPM são bastante clássicos: tenho aumento de apetite, mais vontade de comer doces e bastante sensibilidade emocional, que me faz chorar por qualquer coisa. No entanto, ao longo do tempo, comecei a notar também pontos positivos dessa fase.

Normalmente, tenho um pico de energia para praticar exercícios físicos e um aumento na libido. Além de aproveitar os dias para ir à academia, também costumo fazer faxina no apartamento, já que me sinto com mais energia.

Não posso dizer que gosto da TPM, porque ainda me incomodo com algumas das sensações que ela provoca. Mas não odeio mais essa fase como costumava acontecer antigamente". Débora Deon, 29 anos, atendente, de Caxias do Sul (RS)

Papo de vagina