PUBLICIDADE

Topo

Mulheres inspiradoras

Thalia, 50 anos: 'Tenho olhos treinados. Não leio os comentários ruins'

A cantora mexicana Thalia - Divulgação
A cantora mexicana Thalia Imagem: Divulgação

Nathália Geraldo

De Universa

26/09/2021 04h00

Mesmo que você não seja uma das 18,3 milhões de pessoas que seguem a cantora mexicana Thalia no Instagram, certamente liga o nome à pessoa que foi "musa das novelas mexicanas", como "Marimar" e "Maria do Bairro", sucessos nos anos 90.

Se isso não lhe soa familiar (alô, geração Y), pode ser que você seja parte do público em potencial do álbum de Thalia com músicas sobre amor nos tempos de internet, o "desAMORfosis", lançado em maio. Ou, pelo menos, se identifique com os desejos e as desilusões amorosas que embalam as músicas.

Thalia devolveu a alegria a muitos fãs brasileiros recentemente porque as novelas mexicanas de que foi protagonista — e que foram reprisadas no SBT várias vezes — chegaram à programação do Globoplay. Para divulgar essa novidade e falar sobre o álbum, relacionamentos atuais, maternidade e como é ser uma mulher latina na indústria da música internacional, a artista deu entrevista para Universa, por videochamada, no início desta semana. Veja os principais trechos.

UNIVERSA - As novelas mexicanas em que você atuou são marcadas por muito sofrimento. Acha que ele tem a ver com o amor?
THALIA - O sofrimento molda você. Às vezes quando você está no momento mais escuro da sua vida é onde o tesouro está, está sempre brilhando em um lugar escuro. Todo tesouro espiritual é sempre revelado com a dor.

Então, Deus está sempre trabalhando conosco, sempre. Ele está sempre lapidando o diamante. Isso dói, mas no final, você terá um diamante perfeito.

No desAMORfosis, as músicas são sobre os relacionamentos atuais. As pessoas estão com mais medo de se apaixonar hoje em dia?
Provavelmente, sim. Por causa da era digital, dos aplicativos de namoro e os likes... Tudo é tão descartável, tudo é: 'Eu quero algo de vez em quando, não quero mais no dia seguinte'. Talvez seja um pouco mais assustador seguir o amor. Porque provavelmente você partirá seu coração com mais frequência. Porque é como um salto de fé toda vez que se entra em um relacionamento. Isso é amor, quero dizer, mas agora é uma época diferente e há muitos casos de amor digital acontecendo.

No entanto, ainda acredito que o melhor de todos é deixar o telefone de lado e apenas olhar nos olhos de alguém e se conectar dessa forma. A maneira antiga é a melhor.

Cantoras têm mais espaço para falar sobre os próprios desejos na música do que tinham antes?

thalia - Sony Music / Divulgação - Sony Music / Divulgação
Thalia em foto do lançamento do álbum 'DesAMORfosis'
Imagem: Sony Music / Divulgação

Definitivamente, neste momento, a música está aberta para todas as formas, para criar sons diferentes e com diferentes colaborações.

Há oportunidade para fazer fusões mais malucas do que antes e, por causa disso, a indústria da música para nós, mulheres, é a melhor que já existiu. Porque agora podemos fazer e dizer o que quisermos. Podemos mostrar nosso verdadeiro eu. E está tudo bem.

É um momento lindo, porque as mulheres estão finalmente abertas sobre si mesmas e sobre as mensagens que têm, com união, trabalhando juntas.

Estarmos em uma era digital também ajuda muito, porque é mais fácil encontrar seu próprio grupo, encontrar uma hashtag, e perceber que pertence a ele.

E com isso, trabalharmos juntas, conversamos sobre as coisas. É mais fácil agora do que, talvez, 30 anos atrás, que era tipo: 'Não, não, não. Não diga isso. Nem pense em falar sobre isso'. Mas agora você pode ser apenas você. E isso é tão poderoso.

Você tem 50 anos. Nas redes sociais, as pessoas comentam da sua aparência, seu corpo, seu cabelo. Como lida com isso?
Não leio nenhum comentário desse, tenho que ser sincera. Meus olhos são treinados para focar em certas palavras, em corações, acenos positivos e emojis felizes. Eu não vejo os comentários ruins. Me treino para focar no agora e no positivo.

Além de ser cantora, produtora, empresária, atriz, minha responsabilidade é criar uma atmosfera de amor, de felicidade, de luz, de energia, de possibilidade. Quero compartilhar isso nas redes sociais, constantemente, além de ir para as minhas músicas e meus projetos.

Se de alguma forma com meu exemplo de acordar todos os dias e fazer algo positivo e transformar a negatividade em atividade positiva, posso ser um bom exemplo para alguém, então é isso. Esse é um bom propósito na vida.

Como você conversa sobre diversidade com seus filhos?
É um terreno muito aberto em minha casa. Sou mexicana, meu marido é italiano, vivemos nos Estados Unidos. Temos origens diferentes, fazemos as crianças me veem cantando em duas comunidades diferentes e abraçando todos através da minha música e da minha mensagem.

E, para mim, tudo começa em casa. Então, se você tem conversas reais com seus filhos, coloque uma semente de amor, esperança e devoção na vida para se tornar quem você quer ser desde que eles são novos. Abra a conversa e converse, tenha uma conversa fluida com eles e seja honesto.

O que a maternidade trouxe para você?
Tudo. É exatamente como se fosse a vida não fosse mais sobre você. É sobre eles, sobre os outros e sobre entender que uma das coisas mais importantes é amar os outros.

A maternidade é difícil, não é simples. Tem dias bons, tem dias ruins. E há como sobreviver aos dois dias.

Não há um livro com instruções, então, cada dia que passa é como uma nova aventura.

É preciso estar aberta, alerta e presente para os filhos, para ajudá-los e orientá-los. Ao mesmo tempo, parar, porque você também é uma profissional, também tem sonhos. É encontrar o equilíbrio certo.

E o parceiro certo. No meu caso, graças a Deus, eu e meu marido somos uma ótima equipe. Portanto, trabalhamos juntos e apoiamos nossa família.

Mulheres inspiradoras