PUBLICIDADE

Topo

Beleza

Queda de cabelo pós-covid: como recuperar a beleza e o volume dos fios

Pacientes relatam queda de cabelo após infecção pelo coronavírus - Getty Images
Pacientes relatam queda de cabelo após infecção pelo coronavírus Imagem: Getty Images

Karina Hollo

Colaboração para Universa

15/08/2021 04h00

Queda de cabelo, ressecamento da pele e alterações na sensibilidade do corpo são efeitos relatados por pacientes de covid-19, que podem surgir semanas ou mesmo meses após a infecção. Estudos ainda buscam entender a relação entre o vírus e esses sintomas, mas especialistas já podem nos ensinar como recuperar a saúde e o volume dos fios.

"Acredita-se que a infecção pela covid possa levar a uma queda de cabelo intensa, além de lesões na pele semelhantes a alergia ou vermelhidão nas pontas dos dedos", diz Ana Carina Junqueira, médica especializada em tricologia clínica e pesquisa. Ao que tdo indica, essa queda está ligada a um fenômeno conhecido como eflúvio telógeno, que consiste em uma desregulação do ciclo capilar na qual o fio passa precocemente para a fase de queda (telógena), causada pela reação inflamatória intensa no organismo que o vírus gera.

"Pacientes que tiveram a covid-19 citam uma sensibilidade aumentada no couro cabeludo", conta a dermatologista Luciana Passoni. Ocorre também uma mudança brusca da fase de crescimento dos fios (anágena) para a fase de descanso e desprendimento dos fios (telógena).

"Geralmente o fio se solta espontaneamente e também com uma facilidade extrema ao ser tracionado", diz Ana Carina. Essa mudança pode ocorrer por vários gatilhos como carências nutricionais, febre, estresse, procedimentos cirúrgicos e uso de medicações. "Dois possíveis mecanismos para explicar a queda pós-covid são a inflamação sistêmica e a formação de microtrombos no suprimento sanguíneo do folículo dos cabelos", explica a dermatologista Adriana Vilarinho, de São Paulo, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).

O resultado é uma alopecia não cicatricial que toma conta de todo o couro cabeludo, especialmente a região frontal geralmente de 2 a 3 meses após o positivo pra covid. "A queda é autolimitada, ou seja, cessa independente de tratamentos. Infelizmente não é possível impedir que os fios caiam. Esse processo de dano ao folículo acontece durante a infecção pelo vírus", conta a médica.

Lavar diariamente com xampu para controle da oleosidade diminui a inflamação - iStock - iStock
Lavar diariamente com xampu para controle da oleosidade diminui a inflamação
Imagem: iStock

Tratamento começa no chuveiro
A limpeza do couro cabeludo é muito importante para combater a queda e merece atenção especial. "Muitos pacientes relatam sensibilidade e aumento na oleosidade. A orientação é lavar todos os dias, usar xampu para o controle da oleosidade, para diminuir a inflamação do couro cabeludo", diz Luciana.

"Tratamento com antioxidantes e vitaminas não são específicos, mas podem ajudar. Hábitos como a lavagem frequente e o controle da dermatite seborreica também evitam um agravamento dessa queda", acrescenta Ana Carina.

Reforço na alimentação
Cuidar da saúde dos cabelos deve ser pensado diariamente e de dentro para fora.

"As células do cabelo precisam de proteínas, além de vitaminas e minerais, para se manterem fortes e saudáveis. Seu corpo precisa estar sempre hidratado e ter uma alimentação rica em Biotina (gema de ovo, castanhas), vitamina C (frutas cítricas), ômega 3 (peixes e linhaça), silício orgânico (aveia e leguminosas), leite, abacate, espinafre, batata doce, feijão", orienta Luciana.

Estimulando novos fios
Sabe aquela história do ovo e da galinha? Pois é: ficar estressada faz o cabelo cair e ver o cabelo cair deixa qualquer uma estressada. Moral da história: melhor marcar uma consulta para investigar outros fatores que podem estar contribuindo para a queda, como deficiências nutricionais, anemia ou doenças da tireoide. E um dermatologista pode ainda prescrever tratamentos para acelerar o crescimento de novos fios. Ufa! "O quadro é totalmente reversível. Porém, cada caso deve ser avaliado individualmente. Tônicos, suplementação, laser e infusão de ativos no couro cabeludo podem ser úteis no estímulo dos novos fios", diz Vilarinho.

A Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) tem avaliado diversas publicações e ressalta que é cedo para tirar conclusões — não é possível neste momento precisar a duração da perda de cabelo pelo Covid. No entanto, estima-se algo entre 3 e 6 meses.

"Não podemos afirmar em qual sexo a queda é mais intensa, mas podemos considerar que o 'impacto psicológico da queda' costuma ser maior entre as mulheres", observa Luciana. Após esse período, o cabelo volta a crescer. "Essa é uma condição que se recupera espontaneamente. Algumas pessoas são tratadas com minoxidil ou loções capilares, mas não há estudos sólidos que atestem a eficácia. O tratamento pode passar por reposição com polivitamínicos ou proteínas para formar queratina no cabelo e nas unhas, laserterapia, injeções de corticoide ou medicações que estimulam o crescimento do cabelo", conta Luciana.

Há casos em que essa queda se torna crônica e permanece. "As pessoas que já possuem um problema de cabelo de base (por exemplo, a calvície genética) costumam ter uma dificuldade maior na reposição natural desses fios perdidos", alerta Ana Carina.

Beleza