PUBLICIDADE

Topo

Rachel Sheherazade: "Bolsonaro chamou a militância contra mim"

De Universa

24/06/2021 04h00

Conhecida por suas opiniões fortes nos telejornais que comandou, a jornalista Rachel Sheherazade se orgulha em ter conquistado espaço como comentarista política. Ela foi âncora "SBT Brasil", da emissora de Silvio Santos, da qual foi demitida em 2020 e que agora processa na Justiça.

Na posição de entrevistada, Rachel falou sobre esse e outros temas difíceis - como os ataques que vem sofrendo por parte de militância em momento de polarização política - ao "E aí, Beleza?", o talk show de Universa, apresentado pela maquiadora Fabi Gomes.

"Na época em que eu fazia críticas ao governo do PT, diziam que eu era nazista, preconceituosa, homofóbica. Aí, nas eleições de 2018, precisei me posicionar e me identifiquei com a #elenão [movimento contrário ao então candidato Jair Bolsonaro] e atraí a fúria do bolsonarismo. Ele mesmo fez um vídeo mostrando meu rosto. Bolsonaro chamou a militância contra mim", conta Rachel.

A jornalista explica que passou a ser odiada por apoiadores de partidos de direita e esquerda, em diferentes momentos políticos do país. "Agora as pessoas dizem: 'ela é esquerdista, esquerdopata, vai para Cuba'", afirma. Rachel conta que já precisou de escolta policial por uma semana, após receber ameaças diretas de militantes por críticas à então presidente Dilma Rousseff (2011-2016).

Mudam os governos mas o ódio não tem lado. Ignorância não tem lado. Não é uma coisa da direita ou da esquerda, é dos radicais, das pessoas intolerantes, que não aceitam o diferente. Vou ser sempre criticada

Rachel Sheherazade durante sua participação no "E aí, Beleza?" - Reprodução - Reprodução
Rachel Sheherazade durante sua participação no "E aí, Beleza?"
Imagem: Reprodução

"Não estou aqui para enfeitar bancada"

Rachel conta que montou um canal do YouTube para dar suas opiniões políticas depois que passou a ser censurada dentro do SBT — ela não cita o nome da emissora, pois a ação corre em segredo de Justiça. "Chegou um ponto em que não podia nem fazer qualquer expressão facial. Fui proibida", conta. "É difícil conter essa guerreira dentro de mim."

Após sua demissão, abriu um processo contra o canal por assédio, censura e fraude. Uma das provas do processo é a participação dela no Troféu Imprensa 2017, quando ouviu de Silvio Santos que "foi contratada para ler notícias, não foi contratada para dar a sua opinião".

"Sigo tentando fazer o que eu acredito, jornalismo transformador. Não acho que jornalismo é apenas ler teleprompter. Mas não estou aqui para enfeitar a bancada", afirma Rachel."Não vou me permitir ser calada, censurada, me dissociar da minha essência que é crítica, livre, eu gosto de analisar fatos ao meu redor e gosto e quero ser rebelde, uma agente de transformação social."

O SBT foi procurado para comentar as acusações e falar sobre o processo. Em nota, afirmou que "as alegações não prosperam" e que "não comentamos os processos judiciais em andamento".

Fabi Gomes durante a entrevista com Rachel Sheherazade no programa "E aí, Beleza?" - Reprodução - Reprodução
Fabi Gomes durante a entrevista com Rachel Sheherazade no programa "E aí, Beleza?"
Imagem: Reprodução

Próximos episódios

Os episódios do "E aí, Beleza?" vão ao ar sempre às quarta, às 20h, no Canal UOL. A maquiadora e colunista de Universa Fabi Gomes recebe mulheres de opinião e com trajetórias inspiradoras de diversas áreas, para falar sobre os desafios femininos no mercado de trabalho, maternidade, política feita por e para mulheres e ainda dá dicas de maquiagem.

No próximo programa, Fabi entrevistará a médica e vencedora da edição 2020 do Big Brother Brasil, Thelma Assis, a Thelminha.