PUBLICIDADE

Topo

Violência contra a mulher

Sharon Stone relembra assédio de diretor: 'Pedia para sentar no colo dele'

"É assim que as coisas eram", conta a atriz - Taylor Hill/Getty Images
"É assim que as coisas eram", conta a atriz Imagem: Taylor Hill/Getty Images

De Universa, em São Paulo

16/09/2020 15h32

Sharon Stone falou hoje em entrevista à revista Town & Country que, mesmo no auge de sua fama, não estava imune ao machismo da indústria do entretenimento. Ela relembrou o assédio que sofreu de um diretor:

"Ele pedia para eu sentar no colo dele para receber instruções sobre a cena. E quando eu dizia que não sentaria, ele me mandava de volta para o trailer. E é assim que as coisas eram."

O nome do diretor não foi divulgado. À revista, ele negou as acusações.

Ela também deu outros exemplos de momentos em que o machismo afetou sua carreira, como quando ela exigia um cachê maior:

"Quando eu era um fenômeno global e queria ganhar US$ 2 milhões [por filme], era como se eu estivesse pedindo a Lua a eles, como se eu tivesse perdido toda a razão."

Ao longo da vida, Sharon também lidou com inseguranças com o próprio corpo. Não gostava do formato de seu bumbum, nem das linhas de expressão no rosto. Mas tudo isso parou de importar em 2001, quando ela sofreu um AVC:

"Eu fui tão abençoada por continuar viva. E depois eu fui igualmente, se não mais, abençoada por conseguir aprender a contornar as sequelas no meu cérebro."

Violência contra a mulher