PUBLICIDADE

Topo

Beleza

Entenda a treta que fez a internet escolher entre Sallve ou Joyce Kitamura

Bálsamo da Sallve, que gerou discórdia na internet - Divulgação
Bálsamo da Sallve, que gerou discórdia na internet Imagem: Divulgação

Natália Eiras

Colaboração para Universa

03/09/2020 04h00Atualizada em 03/09/2020 11h45

Quando a Sallve, marca de cuidados para a pele de Julia Petit, foi anunciada nas redes sociais, em fevereiro de 2019, o hype já foi alto. Com Instagram bombando, a marca já era super comentada e ainda nem tinha produtos à disposição. Desde então, sempre que é lançado no mercado um dos produtos em embalagens em tons pastel super instagramáveis, a internet entra, novamente, em ebulição.

Não foi diferente com o lançamento do bálsamo demaquilante da marca, cujo lançamento oficial aconteceu na terça. Todo mundo queria a novidade em seu arsenal de skincare. O produto, um gel-óleo que promete tirar a maquiagem e hidratar a pele, é uma espécie de óleo limpador.

Aí que começa a confusão: assim como todo produto desse tipo, é preciso passá-lo no rosto, massagear bem e depois lavá-lo com o sabonete de sua preferência. Essa limpeza dupla, termo já familiar para as viciadas em skincare, assustou alguns desavisados.

joyce - Reprodução/Instagram - Reprodução/Instagram
Joyce Kitamura
Imagem: Reprodução/Instagram

Para esclarecer todas essas dúvidas, a youtuber Joyce Kitamura, conhecida por suas resenhas de produto de cuidados para pele e principalmente de beleza asiática, publicou um vídeo em seu canal, no dia 18 de agosto. Nele, ela dá sua opinião sobre o produto e pontua que sentiu bastante ardência nos olhos ao aplicá-lo para tirar o lápis.

"Isso pega para mim, porque não gosto de produtos que ardem, mas pode não pegar para você", ela fala no vídeo. Em outro momento, ela lembra: "Mas isso sou eu e, depois de um tempo, a sensação fica suportável." Na resenha, Joyce diz que não investiria seu dinheiro no produto, que custa R$ 69,90, e conta que preferiria "comprar um picolé".

Ainda assim, fala que sentia a sensação de hidratação da pele prometida pelos fabricantes, ressalvando que pessoas com a pele mais oleosa poderiam reclamar do efeito.

Não parecia nada diferente de uma resenha comum de produtos de beleza, mas a internet não deixou barato.

A treta se espalha

O comentário sobre a ardência nos olhos irritou fãs da marca Sallve, que saíram em defesa dos produtos assinados por Julia Petit.

Fruto de uma identidade e comunicação bem-feitas, o fandom da marca está sempre disposto a "espalhar a palavra" do skincare. Mas, nos últimos dias, ele também não "perdoou" as críticas de Joyce Kitamura. Afinal, o produto tinha o apoio de influenciadoras descoladas e com credibilidade que, inclusive, aproveitaram o espaço nas redes sociais para rebater as críticas. Quem gosta de uma treta já ficou feliz em acompanhar.

De acordo com os internautas, Joyce estaria com "ranço" da marca e, por isso, estaria curtindo comentários negativos contra a marca como uma forma de "alfinetar". Além disso, os usuários disseram que a resenha negativa foi feita porque a youtuber não foi contratada para fazer publieditorial da marca.

Por isso, a discussão ganhou mais um capítulo nessa terça-feira (1º), quando, ao lançar oficialmente o produto, a marca anunciou seu novo casting de influenciadores, incluindo a drag queen Bianca Dellafancy e Lorelay Fox.

No mesmo dia, Joyce Kitamura usou seu Instagram para se pronunciar, pela primeira vez, sobre a polêmica. "Desde que fiz a resenha do bálsamo, venho recebendo várias mensagens de pessoas me atacando, falando que minha resenha foi tendenciosa", ela falou. De acordo com a youtuber, ela foi super respeitosa no vídeo, mais do que em outras críticas que ela já fez sobre outros produtos.

"Eu joguei a base da Dailus no lixo, falei que o protetor solar da Bioderma era um óleo [de cozinha] Lisa", justifica para seus seguidores.

Porém, além de justificar a forma que ela fez a crítica, Joyce também se defendeu em relação a não fazer parte do casting de influenciadores da Sallve. Ela diz que teria cancelado um contrato "de um valor muito alto" com a marca em 2018 por não concordar com alguns posicionamentos da Sallve.

"Eles estavam fazendo marketing de terror, mudaram a fórmula de um dos produtos sem falar nada sobre isso. Não gostei e não concordava, por isso cancelei", ela contou. Como provas, a youtuber publicou mensagens que teria trocado com sua agente, responsável pelo contrato.

A reportagem de Universa entrou em contato com Joyce, que não quis se manifestar. Procurada, a Sallve contou, por meio de nota, que chegou a trabalhar com Joyce entre junho e setembro de 2019. "Em outubro, a influenciadora comunicou através de sua empresária que não gostaria de fechar novas parcerias com a marca porque não concordava com as políticas de segurança da empresa e a Sallve respeitou a decisão", diz o comunicado da marca.

Fora do campo de negócios e dentro da sua nécessaire, é importante lembrar que cada pele é uma pele. Um mesmo produto pode reagir de maneira diversa dependendo das características individuais de cada um. Vamos investir o tempo poupado com tretas na internet para fazer um skincare?

Beleza