PUBLICIDADE

Topo

Fofuras

Cadela salsicha viaja mais de 16 mil km para reencontrar sua família

Cadela viajou mais de 16 mil km, passando por mais de cinco cidades e três países, para reencontrar sua família - Reprodução/Instagram @noplans.justoptions
Cadela viajou mais de 16 mil km, passando por mais de cinco cidades e três países, para reencontrar sua família Imagem: Reprodução/Instagram @noplans.justoptions

De Universa, em São Paulo

03/09/2020 19h53Atualizada em 04/09/2020 09h39

A cadela salsicha Pipsqueak teve de viajar mais de 16 mil quilômetros para reencontrar a sua família australiana, após ficar presa no estado da Carolina do Sul, nos Estados Unidos, durante uma viagem. Todo o percurso, desde a separação em março até o reencontro em agosto, foi registrado pelos tutores de Pip no Instagram.

Com as fronteiras fechando rapidamente por causa da pandemia do novo coronavírus, Zoe e Guy Eilbeck, e seus filhos Cam e Max, tiveram menos de 48 horas para embalar tudo de seu iate, em que faziam uma viagem ao redor do mundo.

No entanto, as regras australianas de importação de pets impediram que Pip pudesse acompanhar a família da Carolina do Sul até sua casa, em Sydney. O jeito foi deixar a cadela com uma amiga, e depois outra, e depois outra. Ao todo, ela passou por quatro casas em cidades diferentes.

Enquanto isso, a tutora, Zoe, acordava às 4 da manhã todos os dias da semana para lidar com a papelada "interminável" envolvida na importação de um cachorro dos Estados Unidos para a Austrália — que, inclusive, teria de viajar sozinho.

Depois de todos os exames e testes possíveis para provar às autoridades que Pip estava bem de saúde — isso com agências fechadas durante tempo considerável, por conta da pandemia — Zoe descobriu que a família só poderia importar a salsicha se eles passassem pela Nova Zelândia e conseguissem colocá-la em um voo de Los Angeles a Auckland.

O problema da vez era a necessidade de cruzar o país até Los Angeles, com voos constantemente cancelados e o calor do verão sendo um impeditivo para transportar cachorros em muitas companhias aéreas.

Zoe então decidiu postar uma mensagem nas redes sociais em busca de qualquer um que estivesse viajando da costa leste norte-americana para a oeste. Foi quando a funcionária de uma fundação de resgate de cães se voluntariou para voar pelos EUA com Pip.

A salsicha atravessou o país, com direito a escala, debaixo do assento do avião. Encaminhada à Nova Zelândia logo depois, ela chegou em 23 de julho, passando por 11 dias de quarentena e tendo quatro voos cancelados até voltar para Sydney.

Com a história divulgada pela mídia local, Pip retornou em 11 de agosto, cinco meses depois de ver a família pela última vez, com os Eilbecks reunidos com uma equipe de filmagem e vários repórteres locais, esperando registrar o "emocionante reencontro".

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do publicado, a capital da Nova Zelândia é Wellington, e não Auckland. A informação foi retirada do texto.

Fofuras