PUBLICIDADE

Topo

Autoestima

Ana Furtado lamenta problemas de autoimagem aos 20 anos: 'Me achava gorda'

Ana Furtado relembrou pressão estética da carreira de modelo em post com foto dos anos 1990 - Reprodução/Instagram/@aanafurtado
Ana Furtado relembrou pressão estética da carreira de modelo em post com foto dos anos 1990 Imagem: Reprodução/Instagram/@aanafurtado

Colaboração para Universa, em São Paulo

03/09/2020 12h46Atualizada em 03/09/2020 14h25

Ana Furtado lamentou seus problemas de autoimagem na juventude, em um post relembrando sua carreira como modelo aos 20 anos de idade.

A apresentadora do "É de Casa", que completa 47 anos mês que vem, contou que sofreu pressão externa para emagrecer, apesar de já ostentar um corpo magro.

"O ano deve ser 1993, aos 20 anos. Me achava gorda. Vocês acreditam? Pelo menos era o que me diziam. Que eu precisava emagrecer só mais um pouquinho. Perder um pouco de coxa, que era fora do padrão esquálido da época. Sempre me mantive fiel ao meu biótipo e perder essa coxa (que graças a Deus tenho até hoje) só se fosse na faca ou se nascesse de novo", afirmou na legenda do post em seu Instagram, na manhã de hoje.

Na foto da publicação, Ana posa de biquíni em uma passarela, exibindo sua boa forma. Apesar de estar 'dentro do padrão' da moda dos anos 1990, a apresentadora e atriz revelou que chegou a "maltratar seu corpo" para tentar perder mais peso.

"Cheguei a pesar numa época 49 kg (tenho 1,73 m) e achei que ia morrer. Quando me dei conta, sabia que não podia continuar maltratando o meu corpo e sacrificando a minha saúde. Esse clique é do começo da minha carreira. Algum desfile de moda praia de uma marca de que não me recordo o nome. Vivi momentos incríveis como modelo. (...) Mas a minha grande conquista depois de 3 anos de profissão foi compreender que perseguir um padrão de beleza impossível pra mim não me fazia feliz. Não me fazia bem", defendeu ela.

Ana ainda exaltou o amor-próprio, estimulando suas seguidoras a aceitarem seus próprios corpos.

"Sorriam sempre para a vida! Sorriam para o seu corpo. Se deem carinho. Celebrem cada pedacinho que é só seu. Por que a sua beleza é única, valiosa e potente. Não deixem que te digam o contrário", completou.

O ano deve ser 1993 aos 20 anos. Me achava gorda. Vocês acreditam? Pelo menos era o que me diziam. Que eu precisava emagrecer só mais um pouquinho. Perder um pouco de coxa que era fora do padrão esquálido da época. Sempre me mantive fiel ao meu biotipo e perder essa coxa (que graças a Deus tenho até hoje) só se fosse na faca ou se nascesse de novo. Fui resistência na beleza. Cheguei a pesar numa época 49 kg (tenho 1m73) e achei que ia morrer. Quando me dei conta sabia que não podia continuar maltratando o meu corpo e sacrificando a minha saude. Esse clique é do começo da minha carreira. Algum desfile de moda praia de uma marca de que não me recordo o nome. Vivi momentos incríveis como modelo. Gloriosos. Campanhas Nacionais e Internacionais. Desfiles para grandes nomes do Brasil e do mundo. Mas a minha grande conquista depois de 3 anos de profissão foi compreender que perseguir um padrão de beleza impossível pra mim não me fazia feliz. Não me fazia bem. Eu sempre celebrei o meu corpo, o meu templo. Com os seus defeitos, centímetros de altura a menos exigidos pela profissão, corpo mais atlético e o meu sorriso!!! Sim, porque nessa época não podia sorrir, mas como vocês já me conhecem sabem que isso é algo impossível para mim. Sorriam sempre para a vida! Sorriam para o seu corpo. Se deem carinho. Celebrem cada pedacinho que é só seu. Porque a sua beleza é única, valiosa e potente. Não deixem que te digam o contrário. Um linda quinta para todos! ??

Uma publicação compartilhada por Ana Furtado (@aanafurtado) em

Autoestima