PUBLICIDADE

Topo

Michelle entrevista Obama: as quatro lições que aprendemos sobre família

Michelle Obama e Barack Obama - Reprodução/Instagram
Michelle Obama e Barack Obama Imagem: Reprodução/Instagram

De Universa

30/07/2020 15h37

Michelle Obama lançou seu primeiro podcast, nesta quarta-feira (29.07), e contou com o marido, o ex-presidente dos EUA Barack Obama, como convidado do primeiro episódio. Durante os cerca de 49 minutos de conversa, eles falaram sobre família, valores e relacionamento.

A ex-primeira dama contou que cresceu em um núcleo familiar de quatro pessoas, enquanto Obama conta como foi ser criado basicamente por uma mãe solo e avós. "Não era um núcleo clássico", explica o ex-presidente. "Mas eles realmente priorizavam as crianças, faziam muitos sacrifícios por nós e nos sentíamos muito amados e apoiados. E é obviamente aí que a comunidade começa".

Podcast de Michelle Obama: lições sobre família

Criar as crianças em comunidade

Em um modelo mais integrado de criação, o suporte de uma comunidade — a chamada "rede de apoio" — conta muito para que a família se sinta segura em acompanhar o desenvolvimento das crianças. E é essa lição que Barack Obama nos deixa no minuto 7 da entrevista,sobre sua experiência: "Uma coisa que aprendemos é que um dia ou outro eles não precisavam fazer tudo sozinhos. Havia uma vizinhança, uma comunidade, uma família estendida estruturada em volta, que ajudava as famílias a criarem seus filhos".

Michelle Obama e Barack - REPRODUÇÃO/INSTAGRAM - REPRODUÇÃO/INSTAGRAM
Imagem: REPRODUÇÃO/INSTAGRAM

Como as dificuldades financeiras impactam na vida familiar

O impacto das dificuldades financeiras também foi assunto entre o casal Obama, falando do desafio que muitas pessoas enfrentam para conseguir sucesso na carreira e, então, suprir as próprias necessidades e as da família. Com as instituições e sistemas de apoio [governamentais] encolhendo, Barack comenta que se cria uma lógica do "eu", que faz com que as pessoas se sintam impelida a correr atrás do dinheiro para conseguir o sucesso — e não olham para a comunidade nesse processo.

"Eu persigo uma carreira. Eu ganho dinheiro...E então, se eu tiver sucesso o suficiente, eu posso ser autossuficiente e minha família pode ser autossuficiente. Claro, o desafio é que esse tipo de criação cria uma enorme separação entre pessoas, entre níveis econômicos. Ah, você sempre teve separação, infelizmente, em torno da raça".

A ex-primeira dama pontua que, mesmo com uma origem pobre, o que conta são as escolhas dos mais velhos. Ela conta que um de seus sonhos — e que "significavam sucesso" — era ter uma casa com escadas. O pai dela, Fraser C. Robinson III, no entanto, escolheu não entrar em uma hipoteca e deu preferência a guardar o dinheiro deles para pagar a educação dela e do irmão mais velho, Craig.

Os mais velhos e a conexão familiar

Michelle lembra que seus avós moravam com a família e que, nessa época, parecia mais fácil fazer com que as pessoas pensassem coletivamente sobre as conquistas e os sucessos. Ou seja, eles não eram excluídos da vida dos familiares. "Todos os idosos viviam com alguém com quem dividiam despesas, com famílias, com os deveres de criar filhos; portanto, não havia esse sentimento de que você deveria fazer isso chamado amar e apoiar sua família por conta própria", diz.

"A comunidade em que eu morava vivia com essa noção. De que não eram só os pais que deveriam prover suporte e amor".

As amizades também constroem um homem

Barack Obama comenta que se mudou várias vezes durante a infância, e que tinha uma família menor do que a da companheira. Por essa razão, aprendeu a integrar as amizades neste rol "familiar". "Eles eram minha turma, minha família. Todos nós viemos de lares desfeitos. Éramos a classe trabalhadora, mas frequentamos uma escola onde havia muitos meninos ricos. Tivemos que compartilhar e improvisar".

Relacionamentos