PUBLICIDADE

Topo

Kelly Clarkson: Sofria mais pressão quando era magra e não saudável

Kelly Clarkson - Reprodução/Instagram/@kellyclarkson
Kelly Clarkson Imagem: Reprodução/Instagram/@kellyclarkson

De Universa, em São Paulo

17/06/2020 09h36Atualizada em 17/06/2020 13h42

A cantora Kelly Clarkson disse que, no início da sua carreira, quando estava mais "magra e não saudável", sentia mais pressão da sociedade do que agora. A cantora chegou a revelar que, em certo momento, chegaram a mostrar a ela capas de revistas com mulheres nuas e disseram que ela precisava "competir com isso".

"Havia revistas empurradas na minha frente e [as pessoas diziam]: 'É com isso que você está competindo e precisamos competir com ela'. Eu não posso competir com isso. Essa nem é a minha imagem. Isso não é quem eu sou. São como elas são", comentou em entrevista à revista Glamour, do Reino Unido.

Clarkson ressaltou que não faz sentido se comparar, porque cada pessoa é diferente, e destacou a sua mudança de pensamento com relação às comparações e cobranças sobre o seu corpo.

"Somos todos diferentes e está tudo bem. Eu lutei mais quando era mais magra do que agora, porque agora eu só entro e olho para eles [e digo]: 'Eu te desafio a dizer algo. Estou feliz em minha vida. Vou trabalhar comigo no meu tempo'."

Ao falar sobre o seu novo single "I Dare You" ("Eu te desafio", em tradução liveral), que aborda o tema do amor próprio, a cantora ponderou que se você não consegue amar a si mesmo, não poderá fazer o mesmo com outra pessoa.

"Até que você possa amar a si mesmo e amar quem você é, não acho que você seja capaz de aplicá-lo a outras pessoas. Você está apenas se segurando e está arriscando belos relacionamentos que poderia ter com as pessoas, porque ainda não resolveu seu próprio dano", explicou.

Abandono

Kelly Clarkson disse que está se esforçando para fazer o melhor que pode no cuidado, mesmo com o excesso de trabalho. A cantora ainda relembrou o abandono de seu pai quando ela tinha seis anos de idade.

"Neste momento, eu definitivamente lembrei às pessoas com quem trabalho que estou fazendo o melhor que posso. Estou segurando tantas coisas agora. Não apenas empregos, mas também coisas em que geralmente tínhamos muito mais ajuda. Temos sorte, então não estou reclamando nesse sentido, mas definitivamente tive pessoas com quem trabalho: 'você contratou uma mãe e eu não sou uma mãe ausente'. Sou mãe de verdade. Já tenho problemas de abandono, por isso não quero repassá-los", disse a cantora que tem 18 anos de carreira.

A cantora avaliou que a sua experiência com o abandono do pai a fez acreditar que as pessoas não consigam lidar com isso em sua totalidade, mas é preciso reconhecer "em algum momento que isso fez de você quem você é. Você é grato e eu sou uma pessoa muito forte. Estou muito confiante e fui forçado a encontrar isso em mim".

"Eu também tenho amigos que têm antecedentes semelhantes e eles seguem o outro caminho, e estão sempre no modo de vítima de autopiedade. Você pode sentar aqui e chorar sobre isso o dia todo, mas isso não vai ajudá-lo. Você não está machucando ninguém além de si mesmo. Eu acho que é uma escolha", explicou.

Autoestima