PUBLICIDADE

Topo

Filho suspeito de matar a mãe no RJ estava preso horas antes do crime

Igor Gomes de Moraes é preso suspeito de assassinar a mãe em um condomínio na Barra da Tijuca, no Rio - Divulgação/Polícia Civil RJ
Igor Gomes de Moraes é preso suspeito de assassinar a mãe em um condomínio na Barra da Tijuca, no Rio Imagem: Divulgação/Polícia Civil RJ

Marcela Lemos

Colaboração para Universa, no Rio de Janeiro

08/06/2020 10h37

O homem suspeito de matar a mãe em um condomínio na Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio, no último sábado (6), foi identificado como Igor Gomes de Moraes, de 29 anos, e estava em liberdade provisória. De acordo com a delegada Cristiane Carvalho, da Delegacia de Homicídios da capital, ele foi preso na quinta-feira (4) suspeito de tráfico de drogas e solto dois dias depois para responder em liberdade.

A própria vítima, Lucia Regina Gomes Alves, foi quem buscou o suspeito na delegacia. Porém, horas depois, ela foi assassinada em seu apartamento no condomínio Barra Bela Inn, em uma rua perpendicular à praia da Barra da Tijuca. Segundo os moradores, a vítima morava sozinha.

Igor foi preso em flagrante após o assassinato. De acordo com a polícia, ele tentou asfixiar a mãe, que faria 70 anos neste mês, e em seguida desferiu chutes e socos na vítima, além de bater a cabeça dela na parede. O filho chegou a colocar os dedos nos olhos da mãe até que ela morresse, segundo a investigação. O suspeito ainda não tem defesa constituída.

O barulho no apartamento chamou atenção da vizinhança, que acionou a polícia. O filho de Lucia fugiu após o síndico interfonar para o apartamento. Igor foi preso em um condomínio de luxo, com vista para o mar, que também pertencia à família. Segundo a delegada, ele confessou o crime e não demonstrou arrependimento.

"Os dois tiveram uma forte discussão, o que chamou atenção da vizinhança. O síndico do prédio foi acionado e interfonou para o apartamento. Ele chegou a atender e disse que estava tudo bem. Depois disso, fugiu. O endereço do outro apartamento, para onde ele foi, estava anotado em cima da mesa da mãe. Chegando lá, ele estava dormindo e confessou o crime aos policiais e falou sobre a forma cruel com que assassinou a mãe", afirma Cristiane.

Igor não trabalhava e vivia de mesada. No apartamento dele, foi encontrada a bolsa de Lucia, com uma quantia alta de dinheiro. Ele vai responder pelo crime de feminicídio e pode pegar até 30 anos de prisão.

"As investigações vão prosseguir no sentido de encontrar maiores informações sobre a motivação do crime", conclui a delegada.

Segundo a polícia, Igor ainda não tem advogado constituído.

Pulou o muro do prédio para fugir

Uma moradora do prédio, que pediu para não ser identificada, contou ontem a Universa que viu Igor pulando o muro do prédio durante a fuga. Ela disse que não ouviu a discussão, mas sim muito barulho no local.

"Eu ouvi barulhos de móveis arrastando, correria, mas como meu vizinho tem criança, não suspeitei de nada. O que eu vi foi uma pessoa pulando o muro do prédio e invadindo o prédio ao lado", contou.

Após outros moradores ouvirem a discussão, a Polícia Militar foi acionada. Os agentes arrombaram a porta do imóvel e encontraram a vítima caída no chão e ensanguentada.

"O Samu (Serviço de Atendimento móvel de Urgência) foi acionado e, chegando no local, atestou o óbito. A Polícia Militar preservou o local até a chegada da Polícia Civil", informou a corporação.