PUBLICIDADE

Topo

Direitos da mulher

Ex-BBB Amanda Djehdian diz ter sofrido ataques por adiar maternidade

A ex-BBB Amanda Djehdian com o marido Mateus Hoffmann - Manuela Scarpa/Brazil News
A ex-BBB Amanda Djehdian com o marido Mateus Hoffmann Imagem: Manuela Scarpa/Brazil News

Colaboração para Universa

18/05/2020 17h28

Amanda Djehdian, 34 anos, participante do BBB 15, denunciou os ataques que sofreu nas redes sociais depois de o marido dela, Mateu Hoffmann, brincar dizendo que gostaria de ter seis filhos. Ela compartilhou mensagens que recebeu criticando-a por "estar velha demais" para ter filhos e pela decisão de adiar uma gravidez.

"No momento eu decidi adiar por vários motivos e talvez se tiver vontade tentar ano que vem", escreveu nas redes sociais, ao mostrar as mensagens que recebeu.

Ela se disse impressionada pelo fato de muitos dos ataques terem vindo de mulheres. "Em pleno 2020, nós mulheres temos ainda a pressão/obrigação em ser mãe, porque estamos casadas, porque estou 'velha' para ter filhos, porque meu marido vai me largar se eu não tiver. Existe uma imposição ridícula, sobre a maternidade".

A ex-BBB disse, ainda, que se sente feliz e realizada com a vida que tem. "Jogam a felicidade da mulher nos filhos. (...) Eu nunca joguei o motivo da minha felicidade em alguém ou em algo", argumentou.

"Pode ser que amanhã eu mude de ideia e queira filho, e pode ser que eu decida não ter. Que esses pensamentos arcaicos possam dar espaço a pensamentos que apoiem as mulheres em suas decisões".

Amanda participou do BBB 15, do qual saiu como vice-campeã. Ela está casada com o empresário Mateus Hoffmann há quase dois anos.

Sábado meu marido fez um post aqui, brincando que queria seis filhos, pediu para os seguidores ajudarem ele a fazer campanha, desde que nos conhecemos ele brinca com isso, na verdade queremos dois, no momento eu decidi adiar por vários motivos e talvez se tiver vontade tentar ano que vem. O que eu fiquei impressionada, foi com alguns comentários (eu apaguei vários pesados) e com directs de MULHERES, falando esses absurdos.(primeira foto) Em pleno 2020, nos mulheres temos ainda a pressão/obrigação em ser mãe, pq estamos casadas, pq estou "velha" para ter filhos, pq meu marido vai me largar se eu não tiver, existe uma imposição ridícula, sobre a maternidade. Jogam a felicidade de um casamento nos filhos, a felicidade da mulher nos filhos, sendo que não respeitam a vontade da mulher, que eu acho o mais importante! Eu nunca joguei o motivo da minha felicidade em alguém ou em algo, so vou ser feliz quando isso acontecer, so vou ser feliz se tiver isso. Eu me sinto completamente realizada, e ter minha vida profissional ótima, isso soma na minha vida, meu casamento maravilhoso isso soma na minha vida, ter filhos, certeza que vai somar na minha vida. A mulher se sente completa e feliz por vários motivos, pelo sucesso no seu trabalho, por realizar sonhos, por uma viagem. E ela, apenas ela que decide quando quer ter um filho, seja ela no casamento, seja ele numa produção independente, inseminação, fertilização, adoção, e também se não quer ter filhos. O corpo é nosso, as inseguranças são nossas, os medos são nossos, e os filhos são nossos pro resto da vida. Não se sintam pressionadas, você será julgada se não quiser ter, se tiver ele nova, se tiver ele com mais idade, se adotar, se criar ele sozinha, por todos os motivos, se seu parceiro(a) não quiser esperar seu tempo, é um problema dele(a), respeite sua vontade, seu momento! Pode ser que amanhã eu mude de ideia e queira filho, e pode ser que eu decida não ter. Que esses pensamentos arcaicos possam dar espaço a pensamentos que apoiem as mulheres em suas decisões como na segunda foto, obrigada a cada mulher que dividiu sua experiência, seus medos, que confiaram em mim para mandar essas mensagens.

Uma publicação compartilhada por Amanda Djehdian Hoffmann (@amandadjehdian) em

Direitos da mulher