PUBLICIDADE

Topo

Mães e filhos

Com 4 horas de sono por noite, mãe de quíntuplos relata rotina na pandemia

As cinco crianças, que nasceram de uma gestação natural e estão com oito meses - Arquivo Pessoal
As cinco crianças, que nasceram de uma gestação natural e estão com oito meses Imagem: Arquivo Pessoal

Simone Machado

Colaboração para Universa

14/05/2020 04h00

Manter a rotina da casa e cuidar dos filhos que estão sem aulas durante o período de isolamento social, provocado pela pandemia do novo coronavírus, está deixando muita mãe de cabelo em pé. Imagine uma mãe de quíntuplos de oito meses? Essa é a situação de Anieli Camargo Kurpel, 25, que tem também um filho de 6 anos.

A dona de casa de Chopinzinho, no sudoeste do Paraná, conta apenas com a ajuda da mãe duas a três vezes por semana, e no período da tarde. O marido, que é vendedor em uma indústria de alimentos — portanto, de serviço essencial —, continua trabalhando fora diariamente.

"Nunca tivemos babá. Sempre contamos com a ajuda da família, como minha mãe e padrinhos das crianças", afirma Anieli. "Mas agora, como prevenção durante a pandemia, restringimos totalmente as visitas aos bebês. Só minha mãe que vem me ajudar quando ela pode, mas ela também tem sua casa e afazeres para cuidar, e por isso não pode ficar o dia todo", explica.

A rotina da mãe e das seis crianças (os bebês são Luis Henrique, Jhordan, Thiago, Antonella e Laura, e Davi é o de 6 anos) é dividida em uma conta do Instagram que Anieli criou durante a gravidez — e que hoje conta com quase 200 mil seguidores.

Quarentena prolongada

Segundo a dona de casa convertida em influenciadora digital, seu isolamento social já está acontecendo desde setembro do ano passado, quando os quíntuplos, que nasceram prematuros, tiveram alta do hospital. Os passeios familiares foram então drasticamente reduzidos.

"Eu praticamente vivo em quarentena desde que eles nasceram. Só saio de casa se for para levá-los a consultas médicas ou algo relacionado aos cuidados com os bebês", conta.

Os cinco filhos nasceram quando Anieli estava com 28 semanas de gestação. Por isso, os cuidados com as crianças sempre foram muito intensos. Mesmo assim, tiveram que ser redobrados durante esse período de pandemia, para evitar que as crianças se contaminem.

"Eles são prematuros extremos e nasceram com os pulmões bem fraquinhos. Por isso sempre tomamos muito cuidado", conta e mãe.

"Nós já éramos acostumados a usar álcool em gel e manter a casa sempre limpa, mas agora intensificamos tudo isso. O Davi, meu filho mais velho, sempre está lavando as mãos e mantemos os bebês também com as mãozinhas sempre limpas — ainda mais eles que estão na fase de tudo que pega leva à boca", conta a mãe.

Planejamento de atividades escolares

Além de cuidar dos quíntuplos, Anieli tem que se dedicar também, claro, ao filho mais velho, Davi. Com as aulas suspensas, ela e o marido é que estão produzindo, por conta própria, atividades escolares para que ele continue estudando.

"Davi costumava ficar em período integral na escola e agora ele está sentindo falta disso. Durante a soneca dos bebês, aproveito para dar atenção para que ele não se sinta excluído, além de o ajudar a estudar e fazer atividades escolares. Muitas vezes fico até meia-noite preparando atividades para passar para ele no dia seguinte", conta.

A dona de casa também tem inventado brincadeiras para distrair o mais filho mais velho. "A gente brinca de bola, de pintura, de desenhar. Cada dia tentamos criar uma brincadeira diferente para que ele se distraia dentro de casa", conta.

Anieli lembra ainda que Davi adora brincar com os irmãos e que o menino contribui nas atividades da casa. "Davi é uma criança muito tranquila e ele nos surpreendeu bastante nesse período. Tínhamos medo de ele ter ciúmes dos irmãos porque os bebês acabam precisando mais de atenção. Mas ele adora brincar e cuidar deles, e isso tem ajudado muito — enquanto ele está distraindo as crianças, consigo dar conta de alguns afazeres da casa", diz.

A mulher dorme apenas de quatro a cinco horas por noite para conseguir fazer tudo o que é necessário durante o dia. Sobre a rotina pesada, ela diz: "É cansativa, mas quando vejo o sorriso dos quíntuplos compensa todo o cansaço".

Banho do lado de fora da casa

Uma das maiores preocupações de Anieli é com o pai dos bebês, o vendedor Luis Fernando Araújo, 34, que continua tendo que sair para trabalhar. Para evitar um possível contágio, ele só entra em casa depois de se higienizar e trocar de roupa.

"Ele chega e já vai direto tomar banho e trocar de roupa [num banheiro fora da casa]. As roupas com as quais ele chega da rua ficam em um local separado. Só depois ele entra em casa e tem contato comigo e com as crianças", explica Aniele.

O pai é o único que tem saído para a rua. Por isso ele fica responsável por fazer compras em supermercados, padarias e farmácia.

Gravidez natural

A gravidez de Anieli aconteceu de forma natural. O casal conta que desde o fim de 2018 vinha tentando ter um filho. Antes de descobrir a gestação dos quíntuplos, Aniele sentiu dores e lembra que, em uma consulta, um médico chegou a cogitar que ela poderia ter um cisto no ovário ou um tumor no útero.

Não satisfeita com o suposto diagnóstico e ainda com dores, a mãe procurou outro médico. Fez exames e veio a surpresa: estava grávida. Já no primeiro ultrassom descobriu que eram quíntuplos. A mãe então criou a conta no Instagram para dividir um pouco sobre a rara rotina de estar grávida de cinco bebês ao mesmo tempo — que hoje mostra o desenvolvimento da criançada.

Mães e filhos