PUBLICIDADE

Topo

Manu Gavassi faz crítica a princesas da Disney: 'Imagem deturpada do amor'

Manu Gavassi no BBB20 - Divulgação
Manu Gavassi no BBB20 Imagem: Divulgação

De Universa, em São Paulo

31/03/2020 12h50

Enquanto segue confinada no BBB 20, Manu Gavassi vem marcando presença nas redes sociais com vídeos gravados antes de entrar no reality show. Em um publicado hoje - antes do paredão quentíssimo com Mari e Prior -, ela faz uma carta aberta às garotas que crescem com histórias de princesas da Disney.

Falando rápido e com muita ironia, Manu passa pelos principais contos de fadas da Disney, explorando as problemáticas de "A Bela e a Fera", "A Pequena Sereia", "A Branca de Neve" e mais.

Manu critica o que as histórias ensinam sobre amor: diz que Bela foi sequestrada pela Fera, que Branca de Neve serve de graça a "sete machos" e que Ariel renuncia a tudo por um homem que nem era tudo isso.

A atriz conclui dizendo que espera ter sido a última geração que foi criada sob um conceito de amor que considera inadequado, e fez elogios à nova geração de "princesas", como Moana, Elsa e Anna.

Veja o vídeo e leia o relato completo de Manu sobre o tema:

Bela, querida Bela, minha princesa favorita. Sempre com um livro embaixo do braço e querendo muito mais do que a vida no interior. Você começa essa história sendo promissora, mas aí a gente cresce e entende que o que você viveu não foi um sequestro, e sim um romance. E lutar tanto pelo afeto de uma pessoa que te trata com tanta grosseria e grunhidos, e que queria matar seu próprio pai, pode parecer afeto se você nasceu antes do ano 2000. Mas é só síndrome de Estocolmo.

Ariel, você me mostrou que peixes são fofos, caranguejos são controladores, garfos podem ser usados para pentear os cabelos em emergências, que vale a pena desistir de ser a criatura mais graciosa, mística, bela e poderosa de todos os contos de fadas, para virar uma humana mediana, por conta de um cara nada de mais que você viu de longe na praia. Obrigado por isso, Ariel.

Branca de Neve. Trabalho doméstico para sete machos de graça, beijo de amor verdadeiro de um boy que você nunca nem viu, enquanto você dormia. Não preciso mais continuar...

Cinderela... A Cinderela tá de boa, porque ela foi escravizada pela própria família. Eu também ia tentar fugir para a balada, torcer para alguém achar algum pertence meu perdido e fazer algum tipo de contato e entender que minha situação não estava fácil: envolve exploração, problemas sanitários (com ratos)... Enfim, Cindy, toda a força aí e admiração.

Bom, depois disso, eu só posso agradecer por Meridas, Moanas, Annas e Elsas, e chegar à conclusão de que eu fui a última geração sem amor-próprio e com uma imagem deturpada do amor.

Direitos da mulher