PUBLICIDADE

Topo

Autoestima

Trança afro é tendência? Elas contam como técnica valoriza autoestima negra

Iza com tranças  - Reprodução/Instagram
Iza com tranças Imagem: Reprodução/Instagram

Nathália Geraldo

De Universa

30/01/2020 04h00Atualizada em 30/01/2020 11h52

Para quem tem cachos ou fios crespos, manter os cabelos naturais ou fazer tranças é uma questão que surge bem cedo. É comum que, na infância, meninos e meninas negras se vejam preocupados com a textura dos fios. Não à toa, a escritora Bell Hooks publicou o livro "Meu cabelo é de rainha"—um tipo de presente para você dar para sua criança desconstruída— para exaltar a autoestima negra em relação ao cabelo.

Mais do que tendência de estilo, no entanto, as tranças e os dreads são uma forma de valorizar as raízes da cultura africana na diáspora, ou seja, fora do continente. No verão, são uma forma de tornar os cuidados com o cabelo mais práticos.

Acontece que, por conta do racismo -há relatos, como o denunciado por Universa no caso da Loja Três em que mulheres são criticadas no trabalho por conta do cabelo que têm- muitas mulheres preferem colocar as tranças neste período por coincidir com as férias e as festas de final de ano, e não só por uma escolha estética.

"Tenho clientes que saem de férias e vêm correndo para trançar. Quando retomam o trabalho, precisam tirar. Aí, usam o cabelo natural, que é lindo, maravilhoso, mas sempre preso em coque. Só usam solto quando vão para uma festa", desabafa a trancista Domenica Correia de Melo, que atende na zona norte de São Paulo e em um salão na Galeria do Rock, destacando o preconceito que muitas mulheres negras enfrentam no mercado de trabalho.

Tranças além da estética

Fora o preconceito racial, manter os cabelos trançados vai além da estética, como conta a trancista Gabriela Christina Lélis, que atende na zona sul de São Paulo. Usar a "coroa" também é uma questão de amor-próprio e resistência. "Além de a mulher já acordar com o cabelo pronto, tem o lance do poder e da beleza. Para nós, é como se fossem coroas. Por isso, tem um significado de afirmação e resistência bem forte."

Gabriela Lélis trancista - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
Gabriela usa tranças desde pequena e começou a trabalhar com os penteados para valorizar autoestima negra
Imagem: Arquivo Pessoal

Gabriela, que é trancista desde os 11 anos, afirma que cada vez mais mulheres negras têm se apropriado de suas raízes e as traduzindo no estilo de cabelo. "É empoderamento. Antes era para ter o cabelo 'alinhado', porque o black power, por exemplo, não era aceito. Mas não é meramente estético, há uma grande identificação das mulheres com a cultura negra."

Vale dizer que, infelizmente, apesar de movimentos de valorização estética de pessoas negras, há ainda casos em que o black power é motivo de ataque e injúria racial contra elas, como o sofrido por uma figurinista carioca no ano passado.

Relação com o cabelo

Para Gabriela, a relação com os cabelos trançados é o mesmo da infância. Ela conta que começou a praticar a confecção das tranças quando era pequena, em um dia que a trancista que faria seu cabelo não apareceu.

"Eu já ajustava a raiz do cabelo quando a cabeleireira não fazia, para que não ficasse muito feio antes dos três meses [que são a duração média do penteado] e para que minha mãe não precisasse gastar dinheiro de novo. Um dia, eu estava sem tranças e fiquei desesperada porque a trancista não apareceu. Resolvi fazer sozinha, com lã, e deu certo", lembra.

Usar esse recurso para arrumar os cabelos, aliás, é uma coisa que faz parte da experiência de muitas mulheres negras, destaca a especialista. "É um de nossos primeiros penteados, porque nossa mãe faz para gente ir para escola; dormimos com elas para nosso cabelo acordar 'assentadinho'."

Inspirações e tipos de tranças

Tessa Thompson, Rihanna e Kerry Washington - Getty Images - Getty Images
Tessa Thompson, Rihanna e Kerry Washington: famosas que usam tranças com muito estilo
Imagem: Getty Images

Há muitos tipos de tranças: as mais famosas são as tranças nagô (enraizadas) e as box braids (soltas). Material colorido, com detalhes para pendurar entre as tranças e a combinação com baby hair são algumas das formas de estilizar os fios.

Os "cabelões", conta Gabriela, são uma tendência, inclusive apresentada cada vez mais por famosas. "A cantora Iza trouxe para a televisão a beleza de uma trança grande, algo que a gente não via há muito tempo", opina. "Acho que quanto mais mulheres negras admiradas usarem penteados afro, mais pessoas tendem a ter vontade de aderir, inclusive as meninas negras."

Taís Araujo de tranças - Paulo Belote/Globo - Paulo Belote/Globo
Cabelo trançado ganha comprimento e vira "tendência" entre famosas, como Taís Araujo e Iza
Imagem: Paulo Belote/Globo

As extensões, além de mais procuradas pelas clientes também protegem mais o cabelo natural. "Para isso, usamos [as fibras] jumbo e kanecalon". Há ainda colocação de apliques como o Marley Hair e Crochet Hair (feito com agulhas).

Ok, quero fazer tranças: quais são os cuidados?

É fato que o cabelo afro natural, seja qual for o tipo de cacho, tende a exigir cuidados diferentes para a finalização: para que os fios tenham mais definição, por exemplo, há quem se dedique a fazer técnicas de fitagem. Receitas naturais, como uma com banana, também são aliadas para diminuir o frizz.

Mas, se você prefere fazer tranças, aqui vão algumas dicas de Domenica e Gabriela para escolher o tipo, detalhes sobre custos, inspirações para visual e mais:

Fazer trança quebra o cabelo?

Nem sempre. "Geralmente, para durar mais, as pessoas apertam bastante. Só que isso pode estourar o fio. É preciso que a cabeleireira separe a quantidade exata de cabelo para cada trança", explica Dominica.

Como fazer a limpeza das tranças?

Domenica explica que é necessário diluir em água o xampu e o condicionador para passar nos fios, para evitar o resíduo. Já Gabriela costuma indicar apenas o uso de xampu, já que o cabelo trançado tem oleosidade natural suficiente, e de tônico capilar (deixando por 10 minutos no cabelo com touca) a cada lavagem, para manter os fios fortes. A trancista recomenda que a pessoa use secador de cabelo após o banho, para acelerar a secagem. É necessário consultar a cabeleireira para entender se o tipo de fibra usado resiste à alta temperatura.

Qual é o tempo de duração das tranças?

Em média, os cabelos ficam bem trançados por três meses. Se necessário, a mulher deve fazer manutenção na raiz com um mês e meio de colocação. Tranças enraizadas, no entanto, duram menos: mais ou menos 15 dias.

Quanto tempo demora para trançar?

O fato de as tranças serem feitas manualmente pode prolongar o processo. Há profissionais que demoram, no mínimo, cinco horas. Outros cabelos podem levar dez horas para ficarem prontos. Depende do tamanho das tranças, da quantidade de cabelo e da técnica, dizem as especialistas.

Quanto custa, em média?

A colocação de tranças custa a partir de R$ 350. Já as boxeadoras, que podem durar até 15 dias, custam a partir de R$ 150.

Autoestima