Topo

Alemanha acaba com "taxa do absorvente" e item deixa de ter 19% de imposto

Absorvente - Getty Images/iStockphoto
Absorvente Imagem: Getty Images/iStockphoto

De Universa, em São Paulo

13/11/2019 18h30

Após anos de cobranças e manifestações, o parlamento alemão decidiu dar fim à taxa de 19% sobre absorventes — considerada uma das mais altas dos países da União Europeia. A decisão foi tomada em votação feita na última quinta.

A partir de 1º de janeiro de 2020, os absorventes terão a mesma taxação de outros itens básicos como alimentos, transporte público e flores, no valor de 7%.

Com isso, eles deixam de ser considerados itens "de luxo". Conhecido como "taxa do absorvente", o imposto de 19% era superior ao cobrado por produtos como livros, trufas, caviar e pinturas a óleo — todos taxados em 7%.

O parlamento veio rejeitando há anos os pedidos pelo fim da alta cobrança sobre itens de higiene feminina alegando não se tratar de discriminação de gênero.

O movimento contrário à taxação ganhou força com uma petição de mais de 200 mil assinaturas e também com o aumento da pressão da opinião pública, incluindo protestos recentes pelo mundo.

A relações públicas por trás da petição, Nanna-Josephine Roloff afirmou em entrevista à CNN que o abaixo-assinado teve fator decisivo na mudança da lei.

"Produtos como salmão, caviar, trufas, hospedagens em hotéis e até corridas de táxi recebem taxas menores que os produtos de higiene feminina", explicou. "Mas como uma mulher poderia evitar a menstruação?", completou.

No dia em que a votação foi realizada, ela utilizou sua conta do Twitter para comemorar o resultado: "Conseguimos: a Alemanha vai parar de taxar produtos de menstruação em 2020. Estou chorando."

Direitos da mulher