Topo

Beleza

Sem olhar de panda: guia básico mostra como acabar de vez com as olheiras

Casarsa/iStock
Imagem: Casarsa/iStock

Luana Kondrat

Colaboração para Universa

09/11/2019 04h00

As temidas olheiras, que têm o nome técnico de hipercromia periocular, são responsáveis por conferir uma aparência de cansaço ao rosto. Mas, ao contrário do que muitos podem imaginar, a olheira não é uma doença e também não é, necessariamente, fruto de uma noite de sono maldormida. "São um conjunto de sinais que contribuem para o padrão escurecido ao redor dos olhos, nas pálpebras inferiores ou superiores", conta a dermatologista Lívia Lavagnoli.

Se você está em busca de culpados, é bom saber que seu DNA conta muito para o surgimento das áreas escurecidas em torno dos olhos. A seguir, contamos por que elas surgem e como se livrar delas.

Por que as olheiras aparecem?

As olheiras podem surgir por conta da proliferação ou dilatação vascular da região dos olhos e estão diretamente ligada à genética, diz a dermatologista Karla Assed. "As principais causas para o seu aparecimento incluem o tabagismo, a insônia, a quantidade de gordura embaixo da pálpebra, a flacidez ligada ao envelhecimento e o aumento da vascularização local", conta.

Na maioria dos casos, porém, elas surgem por conta da má circulação local e da alteração do cortisol -hormônio produzido pelas glândulas suprarrenais e que tem como principal função o controle o estresse-, que, em níveis baixos, acaba dando origem a uma olheira funda, explica a dermatologista Michele Haikal.

Por que elas podem ter diferentes cores?

Tudo depende da causa. As marrons geralmente ocorrem quando há acúmulo de melanina na região, explica Karina Gilio, cirurgiã plástica. Fármacos como penicilina e bimatoprosta também podem trazer o aspecto escurecido à área, ressalta Lívia Lavagnoli. Há também os casos em que a cavidade ocular é mais profunda, criando uma sombra logo abaixo dos olhos.

O aparecimento das olheiras arroxeadas, azuladas e avermelhadas "se dá por conta do aumento da vascularização local ou pelo depósito de hemossiderina, que ocorre a partir da degradação das hemácias", explica Lívia.

O que fazer para diminuir o desconforto?

Antes de tudo, é importante adotar hábitos diários mais saudáveis. Isso inclui diminuir a ingestão de álcool, evitar cigarro, dormir pelo menos 8 horas por dia, usar filtro solar e óculos escuros sempre que estiver em ambientes externos, porque as radiações UV costumam causar aumento da pigmentação dos olhos.

Vale também manter a área hidratada e incluir na dieta alimentos ricos em antioxidantes, como frutas, couve e folhas verdes, segundo as médicas.

Que ativos levar em conta na hora de escolher o creme?

Para evitar a formação dos novos vasos, o ideal é apostar em produtos com ativos como o coffeeskin, um derivado da cafeína que atua diretamente na circulação.

Para clarear, vale a vitamina C e o ácido kójico, indica Karina Gilio. Outro bom investimento são os cremes com ácido fitíco, um clareador que combate a hemossiderina, conta Newton Morais, especialista em dermatologia e diretor médico da Clínica Mais, em São Paulo.

"O ácido hialurônico é ótimo pois hidrata a região, ajudando a deixar a pele mais firme. Ele não tem ação clareadora, mas mantém a pele hidratada, o que ameniza as rugas e linhas finas da região. Os bioflavonoides também melhoram a circulação dos vasos, além das vitaminas C e E que são descongestionantes e antioxidantes", diz.

Importante: passe primeiro o creme para a região dos olhos, já que a pele dessa região é muito fina. "Faça a aplicação com movimentos circulares suaves, de fora para dentro. Isso estimula o sistema linfático, ativando a circulação, melhorando as olheiras e o aspecto de cansaço da região dos olhos", indica Karina Gilio. Por fim, passe o protetor solar.

Thinkstock
Imagem: Thinkstock

Como disfarçar com maquiagem?

O corretivo ainda é o melhor item de make quando o assunto é camuflar as olheiras. O segredo é saber como usá-lo da melhor forma possível. Luciana Pesinato, maquiadora e treinadora da Laura Mercier, diz que, antes de aplicá-lo é fundamental hidratar a pele da região. "Ela é muito fina e delicada e, por isso, mais propensa a linhas. O produto tem um resultado muito melhor quando a área está bem cuidada", diz.

A maquiadora conta que para encontrar a cor certa do corretivo é preciso testar na pele. "Para corrigir imperfeições do rosto, teste nas imperfeições. Para olheiras, teste na olheira. Isso porque a pele nesses pontos não tem o mesmo tom que o rosto, logo, a cor do produto provavelmente será diferente da cor da base", diz.

Normalmente, peles morenas e negras costumam ter olheira de fundo frio e, neste caso, o ideal é um corretivo de subtom quente, como o salmão de fundo alaranjado, que neutraliza. É importante porém ser sempre no tom da pele. Em peles claras, com olheiras mais avermelhadas, procure usar um subtom mais frio - o bege, puxando para o amarelo - é o melhor, complementa. "O corretivo deve se fundir ao tom da pele, neutralizando e camuflando as olheiras", recomenda a maquiadora.

Existem tratamentos para amenizar o incômodo?

Sim, vários. Eles podem ser feitos em casa, nas clínicas estéticas e nos consultórios médicos. Veja a seguir o que dizem os médicos.

Para fazer em casa, as recomendações de máscaras e compressas são:

  • Compressas geladas de chá: promovem vasoconstricção, melhorando temporariamente as olheiras
  • Pepino: corte-o em fatias grossas e deixe na geladeira por 30 minutos. Lave o rosto e coloque-os na área dos olhos por meia hora. O pepino funciona como um adstringente e tem propriedades calmantes e clareadoras
  • Máscara: misture uma colher de sobremesa de abacate com mel. Coloque na pálpebra inferior uma camada bem grossa e deixe por cinco minutos. Retire com água
  • Hortelã: é um dos ingredientes caseiros mais eficazes contra olheiras devido às suas propriedades calmantes e por provocar resfriamento, o que equilibra o fluxo sanguíneo na região dos olhos. Basta esmagar 5 folhas de hortelã fresca, aplicar ao redor dos olhos e deixe agir por até 10 minutos. Lave bem em seguida

Exercícios indicados para fazer em casa:

  • Ginástica facial: olhe para frente e force o olhar para o teto. Volte o olhar para frente. Repita o movimento cinco vezes ao dia. Isso ajuda na circulação e a melhorar o aspecto das olheiras
  • Massagem: pressione o dedo indicador no canto interno da pálpebra inferior e, em seguida, passe por toda extensão abaixo da sobrancelha até o canto externo, mas sem fazer força. Esse movimento ajuda na drenagem, melhorando a circulação e clareando as olheiras
  • Rolo de jade: coloque o acessório no congelador e aplique sobre o local por alguns segundos. Tudo o que for gelado funciona, pois faz uma vasoconstrição no local, amenizando momentaneamente a aparência das olheiras, diz Karina.

Tratamentos para fazer em clínicas:

  • Máscara de Chocolate: tem como base o cacau, que ajuda na desintoxicação da pele e devolve a vivacidade
  • Glow UP Light com massagem: trata-se de um aparelho que combina a troca de íons com a técnica de LED. Ele desintoxica a pele dos radicais livres, aumenta a oxigenação da área além de promover revitalização celular. Para finalizar, é feito uma massagem com drenagem para melhorar a oxigenação e a circulação das células
  • FIB com massagem: o FIB é um aparelho baseado na bioenergética que, por meio da troca eletromagnética, reorganiza a vitalidade celular. O FIB trabalha as linhas energéticas para alimentar a musculatura da área dos olhos, estimular a oxigenação, circulação e a vitalidade das células. Por fim, a área dos olhos ganha uma massagem feita com cosméticos naturais que ajudam a recompor e a clarear as olheiras
  • Ionização com drenagem e máscaras faciais: o tratamento trabalha com uma corrente de baixa frequência que facilita a permeação dos ativos cosméticos - beta glucan, camomila, vitamina C, cafeína, ginkgo biloba, ácido hialurônico - dentro da pele. Eles nutrem, hidratam e estimulam o sistema linfático, melhorando a circulação. Em seguida, é feita uma drenagem linfática associada a máscaras específicas com ativos clareadores e drenantes como aloe vera, camomila, chá verde ou extrato de pepino
  • Microcorrentes com drenagem e máscaras faciais: é utilizada uma corrente de baixa intensidade que aumenta em até 500% a produção das células que produzem colágeno. É um tratamento subsensorial, isto é, a cliente não sente nenhum incomodo. A corrente estimula a circulação linfática e sanguínea local, aumentando a oxigenação celular, clareando, tonificando e firmando.


Contraindicações para os dois últimos tratamentos: neoplasias, usuárias de marcapasso, cardíacas, epilépticas, grávidas e pessoas com quadros infecciosos não podem realizar os procedimentos.

Tratamentos para fazer em consultórios dermatológicos:

  • Preenchimento com ácido hialurônico: é indicado, principalmente para as olheiras com aspecto de olhos fundos. O preenchimento corrige a depressão na goteira lacrimal, diminuindo o desnível entre as olheiras e as maças do rosto. Também uniformiza a textura da pele e combate a sombra escura provocada pelos vasos sanguíneos, além de estimular a produção de colágeno na região
  • Luz intensa pulsada: ela alcança os vasos dilatados fechando-os e deixando a pele com aspecto uniforme. Além de clarear, estimula o colágeno, melhorando a qualidade da pele na região
  • Peelings: auxilia no combate às olheiras com excesso de pigmento. Com fórmula e concentração adequadas, o procedimento remove manchas e promove a renovação da camada superficial da pele, amenizando o quadro
  • Fotona: laser que trata os vasos, devolve a elasticidade e melhora a textura da pele
  • Spectra: laser em nanosegundo que trata os pigmentos depositados na região das olheiras
  • Carboxiterapia: é um tratamento mais antigo em que se injeta gás carbônico na região das olheiras para ajudar a melhorar a circulação, a oxigenação e o funcionamento da pele que está danificada

Beleza