Topo

Atriz de vencedor de Cannes diz que diretor a assediou desde os 12 anos

Atriz Adèle Haenel em cena de A Garota Desconhecida (2016) - Divulgação/IMDb
Atriz Adèle Haenel em cena de A Garota Desconhecida (2016) Imagem: Divulgação/IMDb

De Universa, em São Paulo

04/11/2019 08h58

Adèle Haenel, estrela do filme Retrato de Uma Jovem em Chamas, premiado no Festival de Cannes 2019, acusou o renomado diretor Christophe Ruggia, de 51 anos, de assédio sexual. Ela alega que as atitudes começaram quando tinha 12 anos de idade.

Haenel fez as denúncias para o site investigativo francês Mediapart. Ruggia a dirigiu em sua estreia no cinema, Les Diables (2002), filmado quando a atriz tinha 12 anos.

A estrela parisiense contou que Ruggia fez propostas sexuais para ela no set e continuou a perseguindo por três anos após a finalização das gravações. Haenel relatou que, em várias ocasiões, o cineasta tentou beijá-la ou tocar suas partes íntimas sem permissão.

A atriz, que também apareceu em longas como Lírios d'Água (2007), A Garota Desconhecida (2016) e 120 Batimentos por Minuto (2017), disse que contou sobre o assédio para amigos e familiares há anos, mas só agora decidiu se pronunciar publicamente.

Parte do motivo é a notícia de que Ruggia está preparando uma espécie de continuação de Les Diables, ainda sem data de estreia. O novo filme mostraria o que aconteceu com os personagens do original, irmãos abandonados pelos pais, vividos por ela e Vincent Rottiers.

O cineasta negou as acusações, chamando-as de "difamatórias". Em declaração ao Mediapart, ele disse que seu relacionamento com Haenel durante as filmagens foi "profissional e afetuoso", mas de nenhuma forma inapropriado.

Violência contra a mulher