Topo

Repórter descobre ter câncer de mama ao fazer transmissão ao vivo de exame

Colaboração para Universa, em Campinas (SP)

31/10/2019 11h11

A repórter Ali Meyer, do canal de TV KFOR, de Oklahoma City, nos Estados Unidos, decidiu transmitir ao vivo pelo Facebook parte de sua primeira mamografia como forma de incentivar outras mulheres durante a semana de conscientização do câncer de mama, no ano passado. Afinal de contas, fazia apenas seis meses que ela tinha completado 40 anos e aquela parecia a oportunidade ideal para fazer o exame.

A jornalista achou que seria apenas algo rotineiro, um rápido exame de 30 minutos que serviria como uma boa história jornalística. Ela, inclusive, não tinha histórico de câncer na família, não tinha nódulos ou qualquer razão para imaginar que a mamografia traria algo errado. No entanto, seu exame apontou uma calcificação cancerígena na mama direita. Era o diagnóstico de que estava com câncer de mama.

"Eu nunca vou me esquecer daquele dia. Nunca esquecerei de como contei a meu marido e minhas filhas depois que elas desceram do ônibus naquela tarde. Depois, decidi compartilhar meu diagnóstico no Facebook".

Ali Meyer, em entrevista ao canal de TV KFOR

Como jornalista, Meyer resolveu conversar com vários cirurgiões. Todos foram unânimes: ela deveria remover toda a mama direita para se livrar de fato do câncer. Ela ficou devastada com a recomendação. Dois meses depois da mamografia, a repórter se internou no hospital para a mastectomia.

"Embora a cirurgia fosse uma escolha minha, parecia uma mutilação forçada. Parecia que o câncer estava roubando parte do meu corpo".

A cirurgia poupou o mamilo direito e a cirurgia plástica de reconstrução da mama direita foi um sucesso.

"O cirurgião plástico Oscar Masters me recompôs lindamente. Ele conseguiu manter intacta a parte mais pessoal do meu corpo, o que era importante para mim".

A jornalista se recuperou muito bem da cirurgia e logo voltou a trabalhar. Agora, ela alerta outras mulheres de como uma simples mamografia salvou sua vida.

"Minhas opções cirúrgicas, minha recuperação e meu resultado final foram melhores porque minha mamografia encontrou o câncer antes mesmo que eu soubesse que estava lá. Eu nunca vou parar de fazer mamografias. Eu nunca vou parar de dizer às mulheres para cuidar de seus corpos e agendar sua mamografia".

Tanto é que, um ano após o diagnóstico, Ali Mayer voltou a fazer uma mamografia na semana de conscientização do câncer de mama deste ano. O exame revelou que não há sinais de câncer em sua mama.

Autoestima