Topo

Mães e filhos


Mães e filhos

"Sempre vou acreditar no amor", diz Débora Nascimento após ano agitado

Débora Nascimento esteve em evento em São Paulo:
Débora Nascimento esteve em evento em São Paulo: 'Me sinto uma mulher potente' Imagem: Léo Franco/Agnews

Carol Martins

Colaboração para Universa

10/08/2019 12h47

A atriz Débora Nascimento, 34, se considera uma mulher potente. "Sei que repito muito isso de potência [nas minhas falas], mas é que o termo faz parte de uma ideia de aceitação de mim. É um entendimento sobre como ressignificar nossas próprias dores", explica. "Não é pensar que nós, mulheres fortes, não vamos sentir dor ou sofrer. A gente sofre, a gente chora. É saber que tudo passa e que estaremos melhor no dia seguinte".

Evento em São Paulo reuniu Débora Nascimento, a modelo Fluvia Lacerda e a influenciadora Rafa Brittes - Léo Franco/Agnews
Evento em São Paulo reuniu Débora Nascimento, a modelo Fluvia Lacerda e a influenciadora Rafa Brittes
Imagem: Léo Franco/Agnews

A resposta foi dada por ela em um evento em São Paulo, neste sábado (10). A pergunta foi sobre como ela tem passados pelos últimos e turbulentos meses. De janeiro para cá ela anunciou o divórcio do ator José Loreto, 35, numa celeuma nos bastidores da Globo sob suspeita de infidelidade do ator.

Todo o processo foi acompanhado pelos olhos pueris de Bella, filha do casal. A bebê tem um ano e meio de idade. "Eu passo isso [de que nós sofremos e superamos] para a minha filha. Ela vai entender que ela vai entrar em contato com essas sensações e, que bom, pois será um sinal do que se é estar vivo", explica.

Até julho, a atriz interpretou a personagem Gisela na novela "Verão 90", exibida pela Rede Globo. O evento no qual ela marcou presença também teve a presença da modelo Flúvia Lacerda e da influenciadora Rafar Brites.

Débora ainda amamenta. "No começo da amamentação, tive fissura que muitas mulheres passam. No começo, não é fácil", explica. "Mas não me preocupei se meu peito iria cair ou se iria engordar. São coisas muito pequenas diante da sensação de gerar uma vida", conclui.