Topo

Moda


Moda

O Google Imagens e a sensualidade na moda não existiriam sem Gianni Versace

David Lees/Getty Images
Imagem: David Lees/Getty Images

Gustavo Frank

Da Universa

15/07/2019 15h49

Esta segunda-feira (15) marca os 22 anos de morte de Gianni Versace. Designer de moda, o italiano é fundador de uma das grifes mais poderosas do mundo da moda, que produz acessórios, fragrâncias, maquiagem, artigos de decoração e roupas.

Influenciado pela carreira da mãe, costureira, Gianni deu início ao seu sonho em 1978, quando abriu sua primeira butique, em Milão, na Itália.

O estilista levava o diferente para as passarelas, ousava pelas cores e pela extravagância. Foram esses "pontos de divergência" aos padrões já estabelecidos que consolidaram sua identidade ao redor do mundo, cultivada por Donatella Versace após seu assassinato, em frente à sua casa, na famosa avenida Ocean Drive, em Miami.

Em 2018, a Versace foi vendida ao grupo Michael Kors por US$ 2,12 bilhões, aproximadamente R$ 8 bilhões, deixando suas contribuições não só para a moda, mas para o mundo.

Grife queridinha entre as famosas

A invenção de um tecido: o Oroton

Getty Images
Imagem: Getty Images

Uma das peças memoráveis da Versace foi o vestido dourado metálico. A peça se destaca por surgir de uma invenção do próprio Gianni, que mantinha obsessão pelas curvas criadas pelo corpo humano: "Eu amo o corpo humano. Gosto de criar tudo que possa tocar ele", diz ele, em uma de suas frases mais memoráveis.

Foi em 1982 que o estilista desejou que uma de suas peças criasse a ilusão de que a pessoa estivesse coberta por metais líquidos preciosos. Para isso, ele contou com a ajuda de um artesão alemão, que, junto a ele, criou um tecido com a flexibilidade da seda e a textura do metal: o Oroton.

A técnica consistia em montar pequenos discos metálicos sem conectá-los entre si. A fluidez do material criou a sensação desejada por ele, como se o corpo fosse abraçado por ouro derretido, celebrando o corpo das mulheres na época, além de ter em mãos um tecido único, que até hoje é presente nas peças das novas coleções da Versace.

Nasce o Google Imagens

Jennifer Lopez na 42ª cerimônia do Grammy Awards - Scott Gries/ImageDirect
Jennifer Lopez na 42ª cerimônia do Grammy Awards
Imagem: Scott Gries/ImageDirect

No dia 23 de fevereiro de 2000, Jennifer Lopez marcou a 42ª cerimônia do Grammy Awards ao usar o exótico vestido de seda esverdeado da Versace. O fino tecido recebeu a impressão de um padrão de folha tropical e bambu, e possuía um corte com decote bem baixo, estendendo-se bem além do umbigo de Jennifer, ao passo que a cintura do vestido foi cravejada de citrinas.

O vestido grifado fez tanto sucesso na época que, em janeiro de 2015, o presidente da Google, Eric Schmidt, citou a peça da Versace como sua motivação para a criação da ferramenta de pesquisas Google Imagens.

Em 2000, os resultados de busca do Google eram limitados a simples páginas de texto com links, mas os desenvolvedores trabalharam em desenvolver isto além, percebendo que uma busca de imagens era requerida para responder ao "termo de busca mais pesquisado" que tinham à época: o Jungle Dres, vestido verde da Versace usado por Jennifer Lopez.

Moda pode ser sexy, extravagante e colorida

Ron Galella/WireImage
Imagem: Ron Galella/WireImage

Ron Galella/WireImage
Imagem: Ron Galella/WireImage

Identificar uma peça da Versace não é muito difícil. As cores gritantes, como o amarelo, os decotes e a sensualidade das fendas dentro do design extravagante marcam os looks da grife italiana.

Um dos vestidos mais marcantes da história de Gianni foi criado por ele em parceria com a irmã, Donatella Versace. Misturando couro a elementos do BDSM, os dois deram luz a uma peça juntos, que tinha como intuito elevar o nome da grife e colocar Donatella sob os holofotes ao lado do irmão.

Em 1993, a caçula, ainda invisível ao público, surge no 100º aniversário da revista Vogue, em Nova York, com o visual inesquecível, que marcaria ainda a identidade da Versace ao longo dos anos.

A Medusa como símbolo

Reprodução
Imagem: Reprodução

Em uma análise do trabalho da Versace, o historiador Richard Martin descreve a imagem da Medusa como estilo de vida.

Segundo amigos próximos de Gianni, foi em um palácio do século XVIII na Via del Gesù, em Milão, comprado por ele em 1981, que o estilista encontrou inspiração para o principal símbolo de seu império. Ao notar o desenho de uma cabeça de Medusa no trinco da porta de entrada da mansão, ele decidiu que usaria a imagem para representar o clássico, o sensual, o perigoso e o teatral.