Topo

Beleza


Beleza

Remoção de tatuagem: como funcionam os procedimentos para apagar desenhos

Tatuagens podem ser removidas com laser - iStock
Tatuagens podem ser removidas com laser Imagem: iStock

Da Universa

04/07/2019 12h30

A apresentadora Andressa Urach foi às redes sociais contar sobre o laser que está fazendo para remover suas tatuagens. Os desenhos, segundo ela, não combinam mais com seu estilo de vida. Arrependida, resolveu apagar o nome do filho, Arthur, e um terço que tinha desenhado no ombro.

Se você, assim como Andressa, não curte mais aquela tattoo que um dia amou, saiba que há técnicas para remover a tinta que funcionam e outras, nem tanto. Portanto, nada de sair por aí correndo atrás da maneira mais fácil ou barata. O procedimento escolhido pela apresentadora foi feito com o laser Nd-YAG picossegundos, e ela garantiu que não doeu nada, graças ao uso de uma pomada anestésica.

Laser é a melhor opção

Para o dermatologista Alberto Cordeiro, especializado em estética e cosmiatria, de São Paulo, o laser é o único procedimento eficaz. Ele age em um processo mecânico de quebra de pigmento. O médico explica que o pigmento é como uma pedra negra que fica dentro da pele. "A função do laser é quebrar essa pedra em fragmentos menores para que sejam digeridos pelos macrófagos, que são células de defesa do nosso corpo e vão eliminar esse pigmento", diz.

Existem vários tipos de equipamentos. Segundo Alberto Cordeiro, os capazes de realizar essa remoção são o Nd-YAG, que tem comprimento de onda de 1064 nanômetros; e o KTP, com 532 nanômetros. Há outros aparelhos que podem ser combinados para fazer a remoção, como o Q-Switched, o Dye Laser, o de rubi e o de alexandrita. Procedimentos feitos com esses últimos, lasers mais antigos, podem doer.

Sai mesmo?

Será que qualquer tatuagem pode ser removida pelo laser? O médico afirma que isso não acontece na prática. Ele conta que as mais fáceis de serem retiradas são aquelas com tinta preta -- as coloridas dão mais trabalho. "Às vezes, elas podem sair até por completo, mas deixam algum pigmento residual, tipo de cicatriz ou uma hipocromia, que é quando a pele fica um pouco mais branca do que era", avisa. E completa: "não é um método perfeito que vai recuperar a pele que a pessoa tinha antes de realizar a tatuagem". Quanto mais profundo o desenho estiver na pele, mais difícil será o processo.

A cor da pele também interfere. As mais escuras podem ter mais complicações que as mais claras. "Por conta disso, a gente utiliza energias menores o que faz com que a pessoa negra precise de mais sessões do que uma de pele clara." A quantidade de sessões também varia conforme cada caso. Mas, em média, são necessários seis meses, com uma sessão por mês. O valor depende do tamanho da tattoo e da clínica escolhida: uma pequena, de cinco centímetros, varia de 400 a 500 reais cada sessão, já uma de dez centímetros custa 800 reais. Gestantes não podem realizar o procedimento.

Após a sessão é comum surgirem bolhas de ar no local. Algumas técnicas mais modernas permitem que uma nova aplicação seja feita cerca de 20 minutos depois da primeira, quando as bolhas murcham. Isso agiliza o processo de remoção da tatuagem.

Outras técnicas são mais arriscadas

Há outras técnicas, como cirurgia, dermoabrasão e peelings químicos. Na dermoabrasão é feito o lixamento para remover camadas da pele e, com isso os pigmentos da tatuagem devem desaparecer. Já os peelings funcionam assim: após aplicados, promovem descamações das camadas da pele até chegar na camada em que estão os pigmentos.

    Todavia, Alberto Cordeiro avisa que o resultado de outros métodos não é tão bom quanto a promessa. "Os peelings e as abrasões não conseguem retirar com eficácia o pigmento. Mesmo assim, esses processos ainda são utilizados em algumas clínicas, mas não são indicados", comenta.

    Na cirurgia, é feita uma abertura na pele, retirada a área em que está a tattoo e depois costurado. Alberto Cordeiro avisa que elas deixam uma cicatriz, por isso são mais indicadas para os desenhos bem pequenos. Com o laser, o risco de complicações, como cicatrizes, mudança nas cores e reações alérgicas, é mais baixo.

    Além disso, há ainda uma novidade que pode movimentar o mercado. Doutorando do Departamento de Patologia da Universidade de Dalhousie, em Halifax, no Canadá, Alec Falkenham desenvolveu um creme que promete remover pigmentos da pele sem dor alguma. Um grupo farmacêutico já comprou a patente e o produto ainda está em fase de testes.

    * Com informações retiradas de Arrependida da tatuagem? Entenda como é feita a remoção da tinta a laser e Quer remover sua tattoo? Há técnicas eficientes, outras nem tanto assim...