Topo

Mês do Orgulho LGBTQ+


Polícia de Londres prende suspeitos de ataque homofóbico contra namoradas

Imagem do casal de namoradas chocou o mundo; polícia prende suspeitos mas ainda investiga câmeras de segurança - Reprodução/Facebook
Imagem do casal de namoradas chocou o mundo; polícia prende suspeitos mas ainda investiga câmeras de segurança Imagem: Reprodução/Facebook

Da Universa

08/06/2019 11h30

Cinco suspeitos foram presos por agredir um casal de mulheres em um ônibus noturno, em Londres. A imagem do ataque homofóbico rodou o mundo e gerou repercussão entre políticos e solidariedade de casais homoafetivos. 

A polícia inglesa afirma ter prendido quatro suspeitos conectados ao crime nesta sexta (07) e mais um adolescente de 16 anos neste sábado (08). Investigadores continuam a analisar imagens de câmera de segurança e a buscar por testemunhas, segundo o "The Washington Post".

A uruguaia Melania Geymonat e a americana Chris -- o sobrenome da namorada não foi revelado -- tomaram um ônibus noturno em Londres, quando um grupo de homens começou a insultá-las com ofensas homofóbicas. Eles jogaram moedas para que as duas se beijassem enquanto eles assistiam.

Geymonat escreveu no Facebook que tentou acalmar com piadas, mas os homens tornaram-se cada vez mais agressivos. Um deles começou a socar o casal. As jovens, que terminaram cobertas de sangue em consequência dos golpes recebidos, tiraram fotos após o ataque que posteriormente postaram nas redes sociais denunciando o ataque. Elas foram encaminhadas a um hospital.

Segundo a polícia, um celular e uma bolsa foram roubadas. No relato de Geymonat, quatro membros do grupo tinham sotaque britânico e um falava em espanhol.

A comunidade LGBTQ britânica ofereceu solidariedade ao casal. Neste mês, assim como em todo mundo, o país se prepara para receber a Parada do Orgulho LGBTQ.

Ataque gerou repúdio de autoridades

O prefeito de Londres, Sadiq Khan, reagiu ao acontecido com uma mensagem na sua conta do Twitter: "Isto foi um ataque repugnante e misógino. Os crimes de ódio contra a comunidade LGBT+ não serão tolerados em Londres". A primeira-ministra Theresa May também repudiou o ataque. 

(Com agências)

Mais Mês do Orgulho LGBTQ+