PUBLICIDADE

Topo

Diversidade

Saiba quem foi Justin Fashanu, primeiro jogador britânico assumidamente gay

Justin Fashanu, o primeiro jogador britânico assumidamente gay, em 1981 - Getty Images/Getty Images
Justin Fashanu, o primeiro jogador britânico assumidamente gay, em 1981 Imagem: Getty Images/Getty Images

Do UOL, em São Paulo

30/06/2020 09h29

Justin Fashanu foi primeiro jogador de futebol britânico assumidamente homossexual da história. Vítima de homofobia e racismo durante quase toda a sua vida, Fashanu teve um fim trágico e vergonhoso para a história do esporte.

A Fifa (Federação Internacional de Futebol) encerra o último dia do Mês do Orgulho LGBTQ+ com uma homenagem ao ex-atleta, que hoje tem a sua importância reconhecida de várias maneiras.

"Ele é um dos homens mais corajosos que você já viu. Eu, nos anos 90, nunca seria capaz de fazer o que ele fez. Estava apenas fora de questão", disse Amal Fashanu, sobrinha de Justin, à Fifa.

Amal trabalhou na produção de um documentário chamado "Gay Footballers" em parceria com a emissora BBC. A produção tenta encontrar outros jogadores assumidamente homossexuais no Reino Unido.

"Essa foi a minha jornada para descobrir por que não havia jogadores profissionais abertamente gays no futebol e, ao mesmo tempo, descobrir a jornada da minha família", explicou Amal.

"Aqui está uma foto de Justin, meu pai e eu quando eu tinha 3 anos de idade. Passaram 20 anos de Justin e parece que foi ontem quando você ainda estava conosco compartilhando seu amor, vibração carismática e risos. Amado para sempre. Ser humano verdadeiramente talentoso!!", escreveu ela no Instagram em 2018.

Ataques racistas e homofóbicos

Em toda sua carreira, Fashanu foi alvo constante de ofensas racistas vindas das arquibancadas. Torcedores imitavam macacos quando ele pegava na bola e atiravam bananas em sua direção. Um dia, ele recolheu uma das bananas do gramado e a comeu para ridicularizar seu ofensor. Em 2014, o lateral brasileiro Daniel Alves, hoje no São Paulo, repetiu o gesto quando defendia o Barcelona.

Mas foi no Nottingham Forest que Fashanu começou a sofrer as maiores pressões contra a sua sexualidade. Aos 20 anos, ele tinha acabado de se descobrir gay, conforme contou a seu amigo e confessor Peter Tachell, um famoso militante pelos direitos civis homossexuais.

O técnico do Nottingham era Brian Clough, famoso por dirigir seus times com mão de ferro, não admitir fraqueza de seus comandados e que obrigava os atletas, por exemplo, a caminhar sobre urtigas só para testar sua obediência.

Justin Fashanu, jogador do Norwich City, o primeiro profissional a se assumir gay na Inglaterra - Divulgação / Norwich City - Divulgação / Norwich City
Imagem: Divulgação / Norwich City

"Uma bichinha." Foi assim que o técnico descreveu Fashanu logo que o atacante chegou ao clube. Naquela época, ele ainda não havia exposto ser homossexual, mas já era alvo de boatos, pois torcedores o avistavam entrando e saindo de boates gays na cidade.

Sabendo disso, o treinador exigiu que o jogador deixasse de frequentar boates gays. Ele não obedeceu. A relação entre os dois, que já começara turbulenta, nunca melhoraria.

O adeus de Fashanu

Numa manhã de maio de 1998, Justin Fashanu cometeu suicídio e deixou um bilhete. Em suas últimas palavras no bilhete de despedida, ele escreveu que a justiça nem sempre era justa com todos e pedia a Jesus Cristo que o recebesse bem "em casa".

Além do pioneirismo fora dos campos, Fashanu também foi o primeiro negro a ser vendido por 1 milhão de libras, na Inglaterra da década de 1980. Centroavante clássico, teve uma passagem meteórica pelo Norwich City e outra frustrante pelo Nottingham Forest.

Diversidade