PUBLICIDADE

Topo

Mayumi Sato

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Além do sexo: eles foram ao motel para jantar, fazer fotos e até trabalhar

Motel  - Skyak/Getty Images
Motel Imagem: Skyak/Getty Images
Conteúdo exclusivo para assinantes
Mayumi Sato

Mayumi Sato é meio de exatas, meio de humanas. Pesquisadora e diretora de marketing do Sexlog quer ressignificar a relação das pessoas com o sexo e, para isso, acredita que é preciso colocar a mão na massa, o que inclui decodificar o comportamento humano. Ao longo dos anos, estudando e trabalhando com o mercado adulto, passou a fazer parte de uma rede de mulheres interessadas e ativistas no assunto, por isso sabe que não está "não estamos" só. Idealizadora do cínicas (www.cinicas.com.br) e feminista sex-positive.

Colunista de Universa

26/09/2021 04h00

Ao longo dos últimos 5 ou 6 anos eu frequentei praticamente todos os principais motéis de São Paulo. Infelizmente, sempre a trabalho. E foi durante as gravações do meu canal do Youtube, o Sexlogtv, que descobri uma infinidade de tipos de quartos, decorações, estilos e serviços disponíveis por aí. Motéis que vão muito além de uma cama e um lugar para transar.

Com o início da pandemia, todo o meu trabalho passou a ser feito de casa, incluindo as gravações para o canal. Depois de muitos meses em casa, comecei a ficar injuriada com a falta de alguma opção de lazer diferente. Foi aí que lembrei dos motéis e surgiu a vontade de, finalmente, ir só pela diversão. Chamei meu namorado e rapidinho decidimos onde e quando ir.

Fomos essa semana e não escolhemos a data por acaso: está rolando até o dia 30/09 o Chef's no Motel, um evento gastronômico promovido pela ABMotéis em parceria com o Guia de Motéis. Com cardápios especiais assinados por chef's renomados o mais difícil foi escolher onde ir e, confesso, o cardápio e o chef pesaram na decisão.

O motel escolhido por nós foi o Lush Motel, que tem uma proposta diferente que eles chamam de "Private Urban Resort", com spa privativo e outras coisitas mais. E posso dizer que uma noite por lá não foi o suficiente para aproveitar tudo o que o quarto-spa tem para oferecer. A gente deve voltar em breve, pois a sauna deixou saudade.

Chegando lá, meu namorado, que ama sauna, quase esqueceu de mim quando viu a do quarto. A sorte é que cabiam duas pessoas ao mesmo tempo! Depois, nos jogamos na piscina, com boias enormes e divertidas e luzes neon que dão um um toque de balada. Como nessa hora abrimos um champagne (dá pra pedir ao realizar a reserva), achamos mais seguro pedir o jantar também. Afinal, a ideia era continuar aproveitando noite adentro.

Pedimos o menu do Chef's no Motel e eles gentilmente fizeram algumas adaptações, pois somos vegetarianos. De entrada, guacamole e chips de banana da terra, de prato principal eu fui de risoto funghi com batatas e ele de massa. Tudo muito gostoso e fresquinho! Depois do jantar, contrariando as recomendações de todo adulto responsável, ainda curtimos a hidromassagem gigante, enquanto planejávamos quanto tempo restava para usar a cama, as poltronas, sofás e os produtinhos oferecidos pelo motel. Posso dizer que mal deu tempo de dormir! rs

Mas pra saber se essa história de ir ao motel para passar a noite (sem um data especial para comemorar) e aproveitar para comer bem (em todos os sentidos) é algo que faz a cabeça de mais gente, aproveitei para pedir uma pesquisa para o pessoal do Sexlog.

Foram 5.346 respostas de um pessoal bem animado e cheio de história para contar:

56% contou que adora ir ao motel, mas prefere transar e ir embora, contra 44% que não tem pressa para ir embora. A maioria, 71%, disse que um motel com cardápio diferenciado e boa gastronomia seria sua escolha para uma noite de diversão. Apenas 29% disse que realmente não ligaria para isso.

Muitos dos que participaram compartilharam algumas histórias vividas em motéis. Aposto que você vai se identificar com alguma delas:

"Eu e a minha ex-noiva fomos a um motel e transamos a tarde toda. Na hora de ir embora o carro não pegava de jeito nenhum. Tive que ligar para um amigo pedindo ajuda e ele apareceu com mais 3 amigos do bairro."

"Somos muito animados! Já fomos algumas vezes no mesmo dia a motéis diferentes para aproveitar com casais diferentes e fazer um tour pela cidade. Nossa brincadeira era avaliar a qualidade das camas, espaço, atendimento e comidas. E claro, transar muuuito"

"Já fui pra motel porque era um lugar lindo e eu queria fazer fotos sensuais. Não rolou mais nada porque minha amiga e eu estávamos com nossos respectivos maridos, que trabalham com fotografia. Foi muito divertido, sexy e sem sexo."

"Levei um kit churrasco para fazer uma resenha no motel e quando começou a esquentar, deu um estouro na churrasqueira elétrica e acabou a luz do estabelecimento todo. Ficamos às escuras e quietos para não gerar problemas."

"Fui ao motel e antes de começar a função precisei ir ao banheiro tirar água do joelho. Ao dar descarga a infeliz simplesmente travou, não parava de sair água. Liguei desesperado pra recepção que pediu pra gente ficar no carro enquanto o técnico ia lá consertar. Fizemos isso, mas o bendito fez o favor de entrar pela garagem e passar bem na nossa frente. Minutos depois, ele sai com um treco na mão - era a descarga. Voltamos a descobrimos que não mais dar para usar o vaso sanitário. Pra melhorar ligo o rádio e começa a tocar Wando. Ainda hoje rimos e lembramos de toda essa situação. Passamos a escolher melhor os motéis depois dessa."

"Já fechei o carro com a chave dentro e tive que sair a pé para pegar um taxi, buscar a chave reserva e retornar ao motel de táxi novamente. Esse itinerário durou mais do que a transa."

E você, tem alguma história de motel pra contar? Compartilha aí nos comentários!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Mayumi Sato