PUBLICIDADE

Topo

Ana Canosa

Aos 47 anos, perdi interesse sexual por meu marido. O que está acontecendo?

Westend61/Getty Images/
Imagem: Westend61/Getty Images/
Ana Cristina Canosa Gonçalves

Ana Cristina Canosa Gonçalves

https://universa.uol.com.br/colunas/ana-canosa

Ana Canosa é psicóloga clínica, sexóloga, professora, escritora e comunicadora. Apresenta o podcast Sexoterapia, em Universa/UOL. Sendo há 28 anos testemunha das mais diferentes histórias afetivas, é categórica em afirmar que muitas vezes, só o amor não é suficiente. Fala de sexualidade desde que se entende por gente, unindo seus estudos acadêmicos com a experiência clínica e seu olhar de observação do mundo.

Colunista do UOL

23/07/2020 04h00

"Tenho 47 anos e estou sem interesse sexual pelo meu esposo. Isso é normal na minha idade?"

Para responder a essa pergunta da leitora, é preciso formular muitas outras: Há quanto tempo você está com esse companheiro? Moram juntos? Como vai a relação afetiva e sexual de vocês? Você costumava ter desejo sexual por ele ou nunca foi lá essas coisas? Você se sente atraída por outras pessoas? Tem sonhos eróticos? Como andam seus hormônios e a sua saúde sexual? Você anda disposta e motivada com seus projetos pessoais, familiares e profissionais?

Em se tratando de queixa de desejo sexual, a resposta nunca é simples. Como a sexualidade é composta por múltiplas dimensões, é preciso dar atenção a todas elas. Se avaliarmos só pela perspectiva da idade, é possível que pela proximidade da menopausa você esteja sofrendo algum impacto na sua resposta sexual por causa da diminuição da produção hormonal.

Também existem outros fatores físicos que podem interferir na resposta sexual, por isso é imprescindível fazer uma investigação clínica e discuti-la com sua médica.

Como anda seu desejo por sexo e pela vida?

Descartadas as questões físicas, outro ponto importante é ter conhecimento sobre como opera o seu desejo: você o tinha de maneira espontânea, ou seja, seu corpo a faz lembrar de sexo? Ou você só tem vontade de transar quando é estimulada, seja por um carinho ou uma situação erótica?

Talvez, como boa parte das mulheres, você seja um misto das duas coisas. Quanto menos o seu corpo te solicita, mais você terá que alimentar a sua mente, pensar em sexo. Pois é... era tão bom quando o tesão brotava, né? Coisas da vida. Para isso existem os contos eróticos, os filmes, os cenários. Descubra o que te estimula.

Agora pensemos nos fatores emocionais: há muitos momentos nos quais a vida está chata ou bem complicada. Fica difícil ter desejo sexual se o seu psiquismo está amortecido com muitas demandas e exigências, onde o espaço para o prazer inexiste, ou se você está vivendo um momento de profunda tristeza ou desesperança.

O desejo tem relação com uma disposição de ser desejante no mundo, ter motivação para a vida, saber que merecemos descobrir e desfrutar de boas novas, fazer projetos, "gostar de" e não só "ter que" cumprir tarefas.

Essa permissão é também influenciada pela nossa autoestima e a liberdade de ter prazer sexual.

Se a gente cresce escutando que só os homens "precisam" de sexo e podem desfrutá-lo, ser uma mulher cheia de tesão pode ser uma grande transgressão. Muitas mulheres simplesmente "abafam" seu erotismo, para se adequarem ao que esperam delas. Caso você se enquadre será preciso desconstruir essas crenças, rever seu projeto de pessoa e de vida. Dar-se a chance de desfrutar da vida, e não só dar conta dela.

Problema pode estar na relação?

Agora, vamos refletir sobre a parte que trata da relação e que diz respeito ao seu marido. Se você tem química com ele, ou seja, se o gosto do beijo é bom, o cheiro, a pele, ótimo. Temos meio caminho andado. Mas a química não é suficiente para garantir satisfação, tem o componente do prazer sexual propriamente dito.

Não que para toda relação sexual ser satisfatória você tenha que ter um orgasmo, mas se a relação é só "gostosinha", a chance de você aumentar a sua preguiça ao longo dos anos, é grande.

Não basta só fazer sexo, é preciso estimular o erotismo. Pode ser que o seu parceiro não saiba o que acende a sua fogueira.

Vocês conversam? Tornam o sexo uma atividade lúdica, ou é aquele bate-estaca com script mais do que manjado? Fazem jogos eróticos, mandam sacanagem pelo Whatsapp de vez em quando? Se arrumam um para o outro?

Eu sei que faço mais perguntas do que te dou respostas, mas é que são elas que te ajudarão a encontrar possíveis explicações para a falta de desejo pela parceria amorosa. Sabe aquela questão do tempo nas relações de compromisso? Pode ser também que vocês não estejam mais apaixonados e a intimidade tenha tornado a relação muito familiar: ou você sente que ele é mais um filho, do que um marido, ou ele te trata como um pai controlador. Ou quem sabe vocês caíram na categoria de irmãos.

Enfim, eu não diria que é normal você, aos 47 anos, perder o tesão pelo seu marido. Afinal, o que é normal? Diante de tudo que eu citei, diria que pode ser comum. Já vi mulheres, por muito menos, perderem totalmente o tesão, como a Leonor, por exemplo, que desde que o marido resolveu passar longos períodos sem cortar as unhas do dedão do pé, nunca mais fez sexo com ele. Só de pensar, a bichinha se arrepiava toda. Para mim, normalézimo.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.