PUBLICIDADE
Topo

Amazon mede temperatura de seus funcionários e fornecerá máscaras

Mulher com máscara de proteção contra coronavírus no Michigan, EUA - REBECCA COOK
Mulher com máscara de proteção contra coronavírus no Michigan, EUA Imagem: REBECCA COOK

Da AFP, em São Francisco

02/04/2020 20h18

A Amazon informou hoje que está verificando a temperatura de mais de 100 mil trabalhadores diariamente e distribuindo máscaras como parte das defesas reforçadas contra a pandemia de coronavírus.

A gigante do comércio eletrônico online fez o anúncio depois de uma série de protestos e reclamações sobre segurança para trabalhadores que entregam comida e suprimentos a pessoas que estão seguindo as recomendações de confinamento em suas casas.

A Amazon começou nesta semana a medir a temperatura dos trabalhadores que chegam às suas instalações dos EUA, pedindo que aqueles que apresentam febre voltem para suas casas, de acordo com o vice-presidente de operações mundiais, Dave Clark.

"Os associados e parceiros da Amazon que trabalham em nossa rede de operações e data centers estão entre os muitos heróis da crise da covid-19", disse Clark em uma postagem online.

"Nada é mais importante para nós do que garantir a proteção da saúde de nossas equipes, e trabalhamos sem parar desde os primeiros dias do surto para fazer alterações em nossos processos e obter os suprimentos necessários para isso".

As verificações de temperatura deveriam ser implementadas nas redes de operações da Amazon nos EUA e na Europa, incluindo as operações de supermercado Whole Foods Market, no início da próxima semana.

A Amazon também providenciou panos com desinfetantes e álcool em gel para os trabalhadores, além de máscaras, que estão a caminho, segundo Clark.

"Os milhões de máscaras que pedimos semanas atrás agora estão chegando e as estamos distribuindo para nossas equipes o mais rápido possível", garantiu Clark.

A Amazon disse que seus estoques de máscaras N95 com filtros estão sendo doados para profissionais de saúde ou para organizações de saúde e governos a preço de custo.

A Amazon contratou mais de 80.000 novos funcionários para ajudar a atender a um aumento nos pedidos, já que as pessoas compram on-line em vez de se arriscarem por suprimentos ou alimentos.

No mês passado, a gigante da Internet com sede em Seattle estabeleceu uma meta de contratar 100.000 pessoas e investir US$ 350 milhões para apoiar funcionários e parceiros durante a pandemia.

"Já contratamos mais de 80.000 pessoas para essas funções e gastamos mais de US$ 150 milhões para apoiar nossa equipe de associados e parceiros", disse Clark.

No início desta semana, cerca de 50 a 60 funcionários participaram de uma paralisação em um armazém da Amazon no bairro de Staten Island em Nova York, exigindo que as instalações fossem fechadas e limpas depois que um trabalhador testou positivo para o coronavírus.

SIGA TILT NAS REDES SOCIAIS