PUBLICIDADE
Topo

Eclipse total da Lua e chuva de meteoros: os espetáculos do céu de maio

Nasa
Imagem: Nasa

Marcella Duarte

Colaboração para Tilt

03/05/2022 04h00

O mês de maio será muito movimentado, astronomicamente falando. Dois dos eventos mais esperados do ano acontecem este mês: um eclipse lunar, totalmente visível do Brasil, e a intensa chuva de meteoros Eta Aquáridas, com resquícios do cometa Halley.

Tilt preparou algumas dicas para observação. Um site ou app de astronomia (como Skywalk, Starchart, Sky Saari ou Stellarium) também são muito úteis para encontrar a posição dos objetos e os horários de visibilidade em sua região.

5-6/5: Pico da chuva de meteoros Eta Aquáridas

Uma das chuvas de meteoros mais belas e icônicas tem seu pico na noite do dia 5 para o dia 6 de maio. Ela é conhecida por sua rapidez e densidade, deixando rastros muito brilhantes no céu noturno; alguns deles podem até parecer explodir.

Especialmente a partir das 2h da manhã, olhe para o horizonte leste (onde nasce o Sol) e você poderá ver até 50 "estrelas cadentes" por hora. O melhor horário para observação é uma hora antes do amanhecer, quando o radiante da chuva - a constelação de Aquário (por isso o nome) estará mais alto no céu. Observe também nos próximos dias; a Eta Aquáridas continua até o final do mês, com atividade cada vez menor.

O que faz desta chuva mais especial é o ponto onde os meteoros convergem, bem visível no Hemisfério Sul, e, principalmente, a sua composição. O que gera os fenômenos luminosos são pedacinhos da cauda do famoso cometa Halley, que nos visitou pela última vez há 35 anos, em 1986.

15-16/05: Eclipse lunar total - Lua de Sangue

O primeiro eclipse lunar total de dois que acontecem em 2022. Neste, o Brasil será mais que privilegiado, bem no centro da zona de observação. Para nossa alegria, ele será totalmente visível em toda a América do Sul, na noite do dia 15 para o 16 de maio.

A fase "total" acontece entre as 00h30 (horário de Brasília) e as 1h50, com a Lua ganhando uma coloração bem avermelhada - por isso recebe o nome de "Lua de Sangue". O pico é alcançado por volta de 1h10. Diferente de um eclipse solar, não é preciso qualquer proteção ou instrumento especial para observar; basta olhar diretamente para a Lua.

O fenômeno completo dura mais de cinco horas, entre as 22h30 e 3h50. Também é legal acompanhar as fases parciais, para ver a Lua sendo encoberta pela sombra do nosso planeta, escurecendo e ficando vermelha — devido ao efeito óptico conhecido como dispersão de Rayleigh, quando a luz solar é refratada e dispersada na atmosfera terrestre - e depois voltando ao "normal".

Um eclipse deste tipo acontece quando Sol, Terra e Lua estão alinhados, nesta ordem. O segundo eclipse lunar total do ano acontece no dia 7 de novembro, mas será apenas levemente visível no Brasil.

16/05: Lua Cheia - Lua da Flor

Mais uma bela noite para observar a Lua, que estará com 100% de iluminação. A fase cheia de maio recebe o nome de "Lua da Flor, por povos nativos norte-americanos, pois marca o auge da primavera, com flores abundantes e clima quente — aqui no Hemisfério Sul, ao contrário, estamos no outono e esfriando.

Ela nascerá logo após o pôr do sol, por volta das 18h — o horário exato em sua cidade pode ser consultado nos apps. E o melhor horário para observar é justamente este, a primeira hora após nascer, pois a Lua pode mostrar belas variações de tonalidade e aparenta estar ainda maior, devido ao efeito da refração atmosférica e à comparação com os referenciais terrestres.

29/05: Conjunção entre Marte e Júpiter

Marte e Júpiter darão um beijo cósmico em nosso céu. Do ponto de vista da Terra, eles estarão coladinhos, a apenas meio grau de distância. O par nasce por volta das 2h da madrugada do dia 28 para 29, no horizonte leste, e passeia junto pelo céu, sendo visível até o amanhecer. A olho nu, será até difícil separar o brilho de um e outro. Marte, alaranjado, estará à direita; Júpiter, que parece uma grande estrela amarelada, à esquerda.

Por volta das 4h, também nasce o superbrilhante planeta Vênus, conhecido como "Estrela Dalva". E Saturno está acima dos três, no alto do céu, em um alinhamento quádruplo que deixa a madrugada mais bonita e digna de muitas fotografias. Como é noite de Lua Nova, sem o brilho da Lua para ofuscar, é uma ocasião perfeita para observação e registro das estrelas e planetas. Um binóculo ou telescópio tornam a experiência mais interessante.

Nos dias seguintes, o casal vai se afastando, mas continuam próximos e rendendo boas observações.

*Com informações da Nasa e do Time and Date.