PUBLICIDADE
Topo

Por R$ 2.399, novo tablet da Motorola tenta bater iPad e Samsung

Moto Tab G70 é o primeiro tablet da Motorola no Brasil desde dezembro de 2011 - Lucas Carvalho/Tilt
Moto Tab G70 é o primeiro tablet da Motorola no Brasil desde dezembro de 2011 Imagem: Lucas Carvalho/Tilt

Lucas Carvalho

De Tilt, em São Paulo

12/01/2022 09h00Atualizada em 12/01/2022 11h17

Dez anos depois, a Motorola está de volta ao mercado de tablets. A marca começa a vender nesta quarta-feira (12) o Moto Tab G70, um novo produto para competir com o iPad, da Apple, e o Galaxy Tab, da Samsung, no Brasil.

Custando a partir de R$ 2.399 (ou R$ 2.599 na versão com suporte a internet móvel via 4G), o aparelho é o primeiro tablet da Motorola no Brasil desde dezembro de 2011, quando a marca lançou por aqui o Xoom 2, que custava na época R$ 1.899.

Nesse meio tempo, a dona da Motorola, a chinesa Lenovo, lançou em 2021 no Brasil o tablet Tab P11 Plus, que é exatamente igual ao Tab G70, incluindo ficha técnica, dimensões e preços. A única diferença é o conjunto de cores e a presença do logo da Motorola na traseira.

Segundo Thiago Masuchette, gerente de produtos da Motorola no Brasil, o retorno da marca aos tablets tem a ver com a mudança de padrão de consumo durante a pandemia de covid-19. "As pessoas estão buscando mais conteúdo em telas maiores", diz.

Ainda assim, a Motorola não garante um retorno definitivo ao segmento. "[O lançamento do Moto Tab G70] é o nosso primeiro movimento. Mediante o feedback do consumidor e tudo o que pode vir a acontecer, nós definimos os próximos passos. Se as tendências do mercado indicarem que este não é o movimento correto, não temos orgulho ou vergonha de reavaliar a decisão e ajustar os próximos passos."

Para tentar atrair o público, a Motorola apostou na sua marca mais conhecida, a "Moto G", que dá nome à linha de celulares intermediários mais vendida da empresa no Brasil —só em 2021, foram nove versões do aparelho lançadas no país.

Primeiras impressões do Moto Tab G70

Assim como os celulares da linha Moto G, o Moto Tab G70 também tenta atrair pelo custo-benefício, oferecendo uma ficha técnica intermediária com um preço mais acessível do que o líder da categoria, o iPad, da Apple, cujo modelo atual mais barato custa a partir de R$ 3.999.

Para começar, o Moto Tab G70 tem uma tela IPS LCD de 11 polegadas (28 centímetros de uma ponta à outra na diagonal) com resolução 2K (2.000 por 1.200 pixels), 4 GB de memória RAM, 64 GB de armazenamento e processador Helio G90T.

A tela é maior que a de concorrentes como o Galaxy Tab A7, da Samsung, e até que o iPad de 9ª geração da Apple. Mas é menor que a do Galaxy Tab S7 FE, o top de linha do segmento da Samsung, e a resolução também é menor, embora seja suficiente e confortável para olhar mesmo de perto.

Sem 5G, suporte a canetas ou a uma capa-teclado oficial da Motorola, o Moto Tab, por sua vez, vem com uma capa protetora que também pode servir de suporte e uma película de proteção para a tela —ambos inclusos na embalagem, assim como o carregador de 20 W.

O processador também não é dos mais avançados. Enquanto a Apple usa um chip próprio líder em testes de desempenho e a Samsung aposta no segundo melhor da categoria, produzido pela Qualcomm, aqui o chip é da MediaTek, que fornece um desempenho mais limitado, porém mais econômico.

Nas poucas horas em que pude usar o aparelho antecipadamente, emprestado pela Motorola, não senti grandes problemas. Há engasgos aqui e ali e alguma lentidão na hora de abrir alguns apps mais pesados, mas nada diferente de outros tablets com Android, como o já citado Galaxy Tab A7 da Samsung.

Por falar em Android, o Tab G70 se destaca por utilizar uma versão sem grandes customizações do sistema operacional do Google. Ele ainda vem com dois recursos desenvolvidos pelo próprio Google para tirar proveito do formato: o Entertainment Space e o Kids Space.

O primeiro é um modo de uso que preenche a tela com os principais títulos dos serviços de streaming instalados no tablet. Basta deslizar para a esquerda na tela inicial e você verá ali as principais séries e filmes do HBO Max e vídeos do YouTube (Netflix aparentemente não tem suporte ao recurso ainda).

Já o Kids Space elimina complicações do sistema e limita a navegação a apps, jogos e vídeos dedicados ao público infantil. O conteúdo pode ser controlado à distância pelos pais através do Family Link do Google com senha, mas há espaço para a sugestão de experiências com base nos gostos dos pequenos.

A Motorola ainda diz que pretende atualizar o Android 11 que vem instalado de fábrica no tablet para o Android 12, mas não há data para o lançamento da atualização.

tablet - Lucas Carvalho/Tilt - Lucas Carvalho/Tilt
Imagem: Lucas Carvalho/Tilt

Já em termos físicos, o tablet é leve e fino, mas não possui leitor de impressões digitais ou outro modo de desbloqueio mais seguro do que uma senha digital. Há um rudimentar sistema de reconhecimento facial baseado somente na câmera frontal que nem sempre é confiável —dependendo da distância ou da iluminação do ambiente, ele não me reconhece.

Por outro lado, o produto vem com acabamento metálico e nada menos que quatro saídas de som, duas de cada lado da tela, com tecnologia Dolby Atmos que permite graves limpos sem rangidos desagradáveis. A bateria é de 7.700 mAh.

Há uma gaveta para a instalação de um cartão micro SD de memória de até 1 TB e as bordas ao redor da tela são bem finas. Às vezes, finas demais para segurar o aparelho sem tocar acidentalmente em algum botão ou ícone da tela.

São duas câmeras, uma frontal de 8 MP e uma traseira de 13 MP. Os dois sensores são tão básicos que nem se comparam aos de qualquer celular recente da linha Moto G, mas dão para o gasto na hora de uma vídeo-chamada, por exemplo.

Embora não ofereça uma experiência livre de travamentos e esteja repleto de apps mal adaptados à tela grande, diferentemente do que o iPad oferece, o Moto Tab G70 parece um bom concorrente na categoria de tablets mais acessíveis com Android —que, até hoje, era dominada pela Samsung no Brasil.

Para saber mais detalhes sobre o desempenho, bateria e testes de câmeras, aguarde o review completo do Moto Tab G70 em breve aqui em Tilt.

O UOL pode receber uma parcela das vendas pelos links recomendados neste conteúdo.