PUBLICIDADE
Topo

TPM 2.0 e mais memória: o que seu PC vai precisar para rodar o Windows 11

Microsoft
Imagem: Microsoft

Felipe Oliveira

Colaboração para Tilt

26/06/2021 09h59Atualizada em 26/06/2021 15h48

Após seis anos sem grandes novidades, a apresentação do visual do Windows 11, realizada pela Microsoft na quinta-feira (25), animou os fãs. A data de lançamento não foi revelada, mas a empresa promete atualização gratuita até o fim do ano.

Com nova interface e funcionalidades, o Windows 11 promete agradar diferentes públicos, principalmente os amantes de jogos pelo computador. A única coisa chata é que a atualização do sistema operacional pode não ser tão simples.

A Microsoft vai trabalhar com uma lista de requisitos mínimos para os computadores que poderão rodar a nova versão. Entre as exigências está um chip de segurança chamado TPM 2.0 (Trusted Platform Module, ou Módulo de Plataforma Confiável, na tradução simples), relacionado à criptografia.

O TPM 2.0 tem como função armazenar as chaves de criptografia e detectar mudanças de softwares. Caso o componente detecte essas alterações, ele gera um sinal que a máquina pode usar para conter possíveis danos.

Para ficar mais claro, o TPM tem a capacidade de impedir que programas maliciosos (como vírus de computador) consigam passar pelas funções de segurança da máquina — a versão 2.0 do chip foi lançada em 2014.

Aplicativos famosos de celulares, como TikTok, vão rodar nativamente no Windows 11 - Microsoft - Microsoft
Aplicativos famosos de celulares, como TikTok, vão rodar nativamente no Windows 11
Imagem: Microsoft

Se você tem dúvidas se seu computador está com esse chip ativo, faça o seguinte:

  • Abra o menu Iniciar e digite TPM;
  • Selecione a opção "processador";
  • Olhe para o campo "Versão" e verifique se o recurso está ativado.

Meu PC é compatível?

Outra questão que precisa ser bem observada na hora de fazer a atualização gratuita (ou gastar dinheiro comprando a licença, se for o seu caso) é saber se seu computador é compatível com o sistema operacional em termos das demais especificações técnicas.

De acordo com as regras listadas pela Microsoft em seu site, o processador vai precisar funcionar com no mínimo 1 gigahertz (GHz) com dois ou mais núcleos de 64 bits.

Tela de widgets do Windows 11 - Microsoft - Microsoft
Tela de widgets do Windows 11
Imagem: Microsoft

Além disso, o Windows 11 não é "recomendável" em computadores que usem processadores da Intel ou da AMD fabricados antes de 2017. Ou seja, se o seu aparelho for antigo, a chance do sistema não rodar bem é grande.

Veja como conferir o modelo do seu processador:

  • Abra o menu Iniciar;
  • Acesse o "Gerenciador de Tarefas" (ou utilize o atalho Ctrl + Shift + Esc);
  • Clique na aba "Desempenho";
  • No canto superior direito da janela será exibido o modelo do processador.

Além disso, é necessário que seu PC tenha, no mínimo, 4 GB de memória RAM e 64 GB de armazenamento.

A placa de vídeo exigida é para gráficos compatíveis com DirectX 12 / WDDM 2.x (pode ser uma placa de vídeo dedicada ou integrada), além de uma conta da Microsoft e conectividade com a internet para instalar o sistema na primeira vez.

Menu Iniciar do Windows 11 será centralizado e não terá mais os Blocos Dinâmicos que estrearam no Windows 8 - Microsoft - Microsoft
Menu Iniciar do Windows 11 será centralizado e não terá mais os Blocos Dinâmicos que estrearam no Windows 8
Imagem: Microsoft

A Microsoft também criou um guia de recursos que exigem componentes específicos. Você pode consultar os requisitos mínimos aqui.

Sobrou alguma dúvida? Você pode baixar o Verificador de integridade do PC, um programa da Microsoft que indica se seu computador já está preparado para receber o Windows 11. Para experimentar a ferramenta, é só:

  • Baixar o PC Health Check (Verificação de Integridade do PC) pelo site da Microsoft;
  • Após o download, abrir a ferramenta e clicar em "Verificar agora";
  • Pronto! O aplicativo vai mostrar se seu computador é compatível.

Prévia do Windows 11

Se você está animado para conhecer logo o sistema operacional, você pode fazer parte do Windows Insider, programa de testes da empresa.

Porém, é preciso lembrar que será uma versão de testes, que pode conter bugs e ser instável.