PUBLICIDADE
Topo

EUA devem fazer revelações sobre OVNIs até junho, diz ex-Pentágono

Segundo Luis Elizondo, alguns pontos sobre OVNIs não têm ainda explicação - Reprodução
Segundo Luis Elizondo, alguns pontos sobre OVNIs não têm ainda explicação Imagem: Reprodução

Felipe Oliveira

Colaboração para Tilt

27/04/2021 14h43Atualizada em 28/04/2021 13h31

O governo dos Estados Unidos está se preparando para divulgar informações sobre OVNIs (objetos voadores não identificados) até junho deste ano. A afirmação é de Luis Elizondo, que atuou por nove anos no Pentágono como chefe do Programa de Identificação de Ameaças Aerospaciais Avançadas.

A revelação está relacionada a um projeto de lei do ex-presidente Donald Trump que custou US$ 2,3 trilhões (R$ 12,4 tri, na cotação atual). Ele trazia uma ordem para que o Pentágono e as agências de espionagem apresentassem em até 180 dias um relatório sobre "fenômenos aéreos não identificados" (ou UAP). Esses eventos não necessariamente se tratam de alienígenas, mas de qualquer objeto aéreo.

Apesar disso, em entrevista ao "New York Post", Elizondo confirmou a apresentação dos relatórios ao público em junho, destacando que alguns pontos não têm ainda explicação. "Acho que o governo reconheceu a realidade da UAP. Todos querem respostas e acho que todos estão dispostos a fazer as perguntas difíceis", afirmou.

Qualidades impressionantes

Segundo Elizondo, o que chama atenção em alguns dos objetos relatados são a capacidade de fazer coisas impressionantes. Ele descreveu aeronaves voando a mais de 17 mil km/h capazes de virar instantaneamente —algo que os jatos mais avançados do exército americano não seriam capazes de fazer, e com velocidade muito menor, segundo ele.

Elizondo ainda afirmou existirem aeronaves que sobrevoam a mais de 24 mil metros de altura e com a capacidade de submergir na água do mar sem comprometer o desempenho. "Quando você vê isso, reconhece que está lidando com uma tecnologia mais avançada do que a nossa", disse ao New York Post.

Outro ponto que chamou atenção do ex-chefe do Programa de Identificação de Ameaças Aerospaciais Avançadas do Pentágono é a capacidade de decolar dessas máquinas. Segundo ele, "essas coisas não têm asas, cabines, superfícies de controle, rebites na pele, sinais óbvios de propulsão - e de alguma forma são capazes de desafiar os efeitos naturais da gravidade da Terra. Como isso é possível?", questionou.

Aumento de avistamentos

A existência do departamento comandado por Elizondo foi divulgada apenas em 2017, após o presidente Trump comentar a respeito de um vídeo capturado pela Marinha americana que mostrava um objeto circular voando mais rápido que um jato militar. Na época, o Departamento de Defesa confirmou a autenticidade da filmagem e um porta-voz da Marinha confirmou que os objetos nos vídeos eram UAP.

Já em 2019, o Pentágono confirmou em entrevista ao The New York Times que estava investigando OVNIs. Desde então, os avistamentos em Nova York aumentaram 31% apenas em 2020, quando 46 OVNIs foram registrados.

De acordo com um relatório do National UFO Reporting Center, houve um aumento de 238% em avistamentos de objetos não identificados nos EUA desde 2018.

Atividade nuclear

Outro ponto destacado por Elizondo ao New York Post é com relação à capacidade dessas aeronaves desconhecidas em desativar atividades nucleares. "Isso é preocupante a ponto de termos realmente algumas de nossas capacidades nucleares desativadas por essas coisas... Há evidências absolutas de que os UAPs têm um interesse ativo em nossa tecnologia nuclear", disse.

Por conta disso, e também das qualidades inexplicáveis das aeronaves, ele diz que o assunto OVNIs precisa ser resolvido o mais rápido possível. "Esta não é uma conversa como um bom vinho, em que quanto mais tempo mantivermos a rolha, melhor ficará. Esta é uma conversa como frutas ou vegetais estragados na geladeira. E quanto mais tempo ficar lá, mais vai feder", afirmou.