PUBLICIDADE
Topo

O que o ex-vocalista do Blink-182 tem a ver com OVNIs divulgados pelos EUA?

O ex-vocalista do Blink-182, Tom DeLonge - Reprodução
O ex-vocalista do Blink-182, Tom DeLonge Imagem: Reprodução

De Tilt, em São Paulo

28/04/2020 21h50

O Departamento de Defesa dos Estados Unidos divulgou na terça-feira (28) três vídeos que, de acordo com o órgão do governo, mostram pilotos da Marinha interagindo com "fenômenos aéreos não identificados" —em outras palavras, Objetos Voadores Não Identificados (OVNIs).

Acontece que os vídeos já tinham sido vazados em 2017 por Tom DeLonge, ex-vocalista do Blink-182, em sua organização To the Stars Academy. Duas das filmagens são de janeiro de 2015 e a outra de novembro de 2004. Em setembro de 2019, o Pentágono atestou a sua veracidade.

Os vídeos mostram pilotos da Marinha dos Estados Unidos perseguindo objetos voadores não identificados, filmados com câmeras de infravermelho, que se moviam em velocidade hipersônica, a milhares de pés acima da Terra, sem asas, motores ou sinais visíveis de propulsão.

Considerado louco por muitos, o músico virou produtor executivo em 2019 da série "Unidentified", do History Channel, resgatando casos misteriosos que já aconteceram no planeta Terra sobre OVNIs e alienígenas.

DeLonge reuniu pessoas com extenso gabarito dentro do serviço secreto e exército norte-americano para ajudá-lo nesta empreitada, como Luis Elizondo, que liderou o Programa Avançado de Identificação de Ameaças Aeroespaciais, realizado em uma área secreta no Pentágono.

Chamado de louco

Tom DeLonge saiu do Blink-182 em 2015 para lançar a organização To the Stars Academy, dedicada a compreender eventos ufológicos, disseminar estudos e descobertas sobre o tema, além de produzir materiais de ficção científica.

"Eu cheguei ao ponto de bater de porta em porta e implorar para que eu tivesse uma conversa responsável [com órgãos importantes do governo], e eu consegui, mas demorou quase um ano", disse o pesquisador para a People ano passado.

O que era apenas uma paixão/curiosidade foi se transformando em um projeto sólido. Aos poucos, Tom entrou em contato com pessoas importantes, e foi conquistando a confiança de nomes que queriam expandir publicamente o conhecimento acumulado após passar décadas trabalhando para o governo. Mas o começo foi o difícil.

Por conta própria, o músico conseguiu informações, vídeos e provas que deixaram impressionados empregados do governo. "Eu realmente entrei em uma parada tipo Edward Snowden [o analista que vazou documentos sigilosos do sistema de vigilância global da NSA] , em que pensei que estivesse fazendo algo bom e então logo percebi que podia facilmente desaparecer e ninguém iria saber".

#SekretMachines - A FIRE WITHIN by @tomdelonge and @a.j._hartley OUT NOW

Uma publicação compartilhada por Official Tom DeLonge (@tomdelonge) em

Ele descobriu um segredo do Pentágono

Tom passou anos afirmando que o Pentágono [sede do Departamento de Defesa dos Estados Unidos] tinha um ala reservada (e secreta) voltada apenas para pesquisas ufológicas. Dito e feito. Em 2017, o New York Times descobriu o Programa Avançado de Identificação de Ameaças Aeroespaciais (AATIP). Segundo o cantor, isso fez parte do plano.

"Você tem que lembrar que estou nessa luta há muitos anos. É engraçado porque sou conhecido como uma espécie de renegado, e fazendo coisas que as pessoas consideram loucas. As pessoas pensam que eu perdi a compostura e larguei minha banda para caçar alienígenas. No começo, eu não falava para ninguém da banda que estava fazendo isso. Precisava ser um segredo", disse para a People.

Luis Elizondo, diretor do AATIP até 2017, abandonou o emprego citando sigilo excessivo e preocupação de que o Departamento de Defesa não estivesse tratando tais fenômenos aéreos não identificados como ameaça à segurança nacional. Elizondo encontrou apoio com DeLonge e agora trabalha com ele em "Unidentified", que ainda traz ex-funcionários da Casa Branca, FBI, CIA e órgãos do governo.