PUBLICIDADE
Topo

Apple e Amazon anunciam suspensão do aplicativo Parler

Página principal da rede social Parler - Reprodução
Página principal da rede social Parler Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo

10/01/2021 02h27

A Apple e a Amazon anunciaram neste sábado (9) a suspensão da plataforma de mídia social Parler até que o aplicativo passe a adotar medidas para moderar seu conteúdo. O anúncio das duas empresas segue a mesma linha tomada pelo Google um dia antes.

Parler é uma rede social para onde muitos apoiadores de Donald Trump migraram depois de serem expulsos de serviços como o Twitter. O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e seus filhos também mantêm páginas no Parler. O aplicativo é chamado por alguns usuários como "Twitter dos conservadores".

Assim como o Google, a Apple e a Amazon ressaltaram que a remoção do aplicativo de sua App Store e de seu serviço de hospedagem ocorreu porque o Parler não tomou medidas adequadas para evitar a disseminação de postagens incitando a violência.

Antes de anunciar a suspensão, em uma carta enviada pela equipe revisora de sua App Store ao Parler, a Apple citou exemplos em que o serviço foi utilizado para organização de ataques em Washington depois da invasão do Capitólio por simpatizantes de Trump na quarta-feira. A Apple havia dado 24 horas para que o aplicativo fornecesse detalhes de seu plano de moderação.

De acordo com a agência de notícias Reuters, o diretor-executivo do Parler, John Matze, afirmou que a Apple estava banindo o serviço até que a plataforma desista da liberdade de expressão e institua "políticas amplas e invasivas como o Twitter e o Facebook".

A Reuters teve acesso a um e-mail da Amazon sobre sua decisão. De acordo com o documento, "a Amazon suspendeu o Parler de sua unidade Amazon Web Services (AWS) por violar os termos de serviço da AWS ao deixar de lidar com o aumento constante de conteúdo violento postado por seus usuários".