PUBLICIDADE
Topo

Astronautas da ISS que voltaram à Terra viverão a pandemia pela 1ª vez

O astronauta da Nasa Chris Cassidy no momento em que aterrizou   - Reprodução/Nasa Television
O astronauta da Nasa Chris Cassidy no momento em que aterrizou Imagem: Reprodução/Nasa Television

Marcella Duarte

Colaboração para Tilt

22/10/2020 14h22

A cápsula Soyuz MS-16, carregando os astronautas Chris Cassidy, da Nasa, Anatoly Ivanishin e Ivan Vagner, da Roscosmos, pousou na quarta-feira (21) em segurança no Cazaquistão. Os três voltaram à Terra saudáveis e em segurança, após passarem 196 dias vivendo na ISS (Estação Espacial Internacional).

Eles fizeram parte da Expedição 63, a primeira lançada durante a pandemia do novo coronavírus, no dia 9 de abril. Como todo astronauta passa por uma quarentena obrigatória antes de uma viagem espacial, os três ainda não conheciam o "novo normal" da vida cotidiana. Retornam em um momento em que os casos voltaram a aumentar em diversos países.

As escotilhas da cápsula foram fechadas às 17h10. Após os procedimentos de pressurização e testes, a Soyuz se desconectou do módulo Poisk e deixou a ISS às 20h32.

A viagem até aqui durou pouco mais de três horas. A fase mais tensa, a reentrada e queima na atmosfera, se iniciou às 23h01, quando altíssimas pressões e temperaturas entram em ação e a comunicação é prejudicada.

Com auxílio de paraquedas, o pouso foi um sucesso, em uma área desértica 150 quilômetros a sudeste da cidade de Dzhezkazgan, às 23h54. Os astronautas foram carregados para fora da Soyuz e recebidos por membros das duas agências espaciais.

Uma equipe médica fez as primeiras avaliações no local, atestando que os três passavam bem, apesar da esperada fraqueza. Uma das grandes preocupações do pessoal de apoio foram as medidas de prevenção à covid-19, já que os três podem estar com o sistema imunológico debilitado após seis meses vivendo na microgravidade, longe de gente e com pouca atividade física.

Depois, eles foram levados, um em cada helicóptero, para que pudessem passar por uma avaliação mais completa e logo voltar para casa: Cassidy mora em Houston, nos Estados Unidos, e Vagner e Ivanishin vivem em Star City, na Rússia.

Expedição 63/64

Permaneceram na Estação Espacial a astronauta norte-americana Kathleen Rubins e os cosmonautas russos Serguei Rizhikov e Serguei Kud-Sverchkov, que chegaram lá na semana passada. Assim, é iniciada oficialmente a Expedição 64. Antes de partir, Cassidy entregou o comando da ISS a Rizhikov.

Durante esta estadia, Cassidy, Vagner e Ivanishin viveram 3.136 órbitas ao redor da Terra e realizaram diversos experimentos, manutenções (como a troca das baterias da estação) e "space walks" (caminhadas espaciais, do lado de fora).

Esta foi a terceira estadia de Cassidy na ISS, que agora totaliza 378 dias vivendo no espaço. Ivanishin também completou sua terceira missão e Vagner fez sua estreia.

No final de maio, eles assistiram à chegada de Bob Benhken e Doug Hurley, a bordo da cápsula Crew Dragon da SpaceX. Eles foram os primeiros astronautas a irem à ISS a partir solo norte-americano, em uma nave norte-americana, desde a aposentadoria do Ônibus Espacial, em 2011.

Usando a mesma tecnologia, com um foguete Falcon 9, mais quatro astronautas irão compor a nova expedição —um recorde de sete tripulantes ao mesmo tempo. O lançamento da missão Crew-1 está previsto para o dia 31 de outubro, carregando Mike Hopkins, Victor Glover e Shannon Walker, da Nasa, e Soichi Noguchi, da Jaxa.

Há seres humanos vivendo no espaço, dentro da ISS, há 20 anos. Como um esforço global, 241 pessoas de 19 países já estiveram por lá, morando e trabalhando na microgravidade, onde foram conduzidos mais de 3.000 experimentos científicos.