PUBLICIDADE
Topo

Tempo recorde: astronautas chegam à ISS em apenas 3 horas após decolagem

Em Almaty (Cazaquistão)*

14/10/2020 08h46

Foram necessárias apenas três horas e três minutos para que o foguete Soyuz MS-17 decolasse e conseguisse acoplar na ISS (Estação Espacial Internacional). A nave transportava os novos tripulantes da estação: os cosmonautas russos Serguei Ryzhikov e Serguei Kud-Sverchkov e a astronauta norte-americana Kathleen Rubins.

O foguete russo Soyuz se "acoplou" de acordo com o previsto, às 5h48 no horário de Brasília, à Estação Espacial, segundo a agência espacial russa Roscosmos anunciou em um comunicado.

"Um novo recorde foi estabelecido. O tempo total entre o lançamento e o acoplamento foi de três horas e três minutos" destacou a agência.

Com este recorde, o tempo dos voos tripulados rumo à ISS foi reduzido à metade - antes duravam no mínimo seis horas. A viagem foi possível graças a um novo sistema de orientação dos foguetes Soyuz.

Na ISS, o trio foi recebido por Chris Cassidy (Nasa), Anatoli Ivanishin e Ivan Vagner (Roscosmos), cujo retorno à Terra está previsto para 22 de outubro.

A ISS continua sendo, no entanto, um dos poucos exemplos de cooperação que persistem entre os russos e os países ocidentais. Os astronautas e cosmonautas dos dois países ressaltaram a capacidade das viagens espaciais para unir nações rivais por uma causa comum.

A decolagem da nave russa com destino à Estação Espacial Internacional foi a primeira desde que, em 30 de maio, o foguete americano SpaceX rompeu nove anos de monopólio russo nas viagens à ISS, com uma decolagem do Centro Espacial John F. Kennedy, na Flórida (EUA).

O próximo voo da SpaceX rumo à ISS acontecerá em novembro e transportará três americanos e um japonês.

A presença da SpaceX e da Boeing, empresas privadas que assinaram contratos com a Nasa, aumenta o debate sobre o retorno da "corrida espacial" entre diversos países.

*Com a agência internacional AFP